Duas Tragédias Americanas E O Paralelo Entre Elas

Dr. Michael LaitmanO ataque terrorista em Manhattan ocorreu não muito longe de onde as torres gêmeas costumavam ficar. Alguns anos após a sua destruição, teorias conspiratórias sobre o envolvimento dos judeus no incidente começaram a se espalhar pelo mundo.

Em todos os males o mundo tenta encontrar o “traço judeu”. Eu não ficaria surpreso se fôssemos responsabilizados por isso também, e talvez até mesmo mais rápido do que no passado. Por quê?

Está escrito no tratado “Yevamot” 63, “nenhuma calamidade vem ao mundo, senão para Israel”. Do ponto de vista do senso comum, soa religioso, místico, e até mesmo absurdo. Mas o fato é que é assim que o mundo “tradicionalmente” percebe o papel do povo judeu. Não importa as nossas contribuições para o mundo, não se vê nada de bom em nós, só prejuízo.

Essa atitude vem através dos meios de comunicação social, política, documentos oficiais, decisões de organizações internacionais, mesmo em buscas no Google. Continuam nos culpando por coisas que não têm a menor relação conosco. E isso se torna ainda mais urgente depois de acontecimentos trágicos.

A verdadeira causa por trás de tudo isso somos realmente nós. Mas não no sentido que parece para o mundo confuso. É justo que o povo judeu seja o portador da metodologia para a unidade, o potencial de coexistência pacífica e entendimento mútuo que todos precisam hoje.

Mas nós ignoramos esse tesouro; fingimos que nem existe. Então as calamidades vêm para nos lembrar, e lembra ao mundo, que a nação de Israel é que tem a capacidade de dar um exemplo de conexões sociais saudáveis, um exemplo de subir acima do ódio até a unidade.

Claro que os judeus não planejaram os ataques terroristas. Mas também não os prevenimos, embora pudéssemos. Essa é a nossa responsabilidade. É por isso que somos odiados agora e seremos amados quando as pessoas perceberem um bom progresso da nossa parte.

Comente