Resistência À Sabedoria Da Cabalá, Parte 3

laitman_234Do livro Coleção de Leis, “Bênçãos para Odores e Bênçãos para a Gratidão”, Lei 4: Agora devemos abordar o verdadeiro homem justo desta geração, para que ele descubra para nós o que a é fé para a época atual, pois a fé deve ser aprendida de novo todos os dias.

Assim, o principal fortalecimento do princípio do mal em cada geração é o de esconder, e esconder exatamente o verdadeiro homem justo de nosso tempo. Como vemos com nossos próprios olhos que o principal desacordo é sobre o homem justo dessa geração e, depois de muito tempo, o reconhecerão e o chamarão de homem justo, mas não concordarão com a justiça da próxima geração.

Em cada geração há disputas sobre o Cabalista que vive e trabalha neste tempo. Eles o odeiam, lutam com ele e não podem concordar com ele. Essa é a natureza.

Na verdade, o mesmo acontece em todos os estados pessoais. Quando subimos os degraus espirituais, podemos concordar com os degraus que já atravessamos, mas somos contra o estado atual e temos muitas objeções.

Somente depois que o estado foi passado por meio de luta, das linhas direita, esquerda e média, por meio de altos e baixos, e esclarecimentos, como resultado de tudo isso, podemos concordar com o passado, que já está incluído na correção.

Portanto, as objeções à Cabalá são bastante compreensíveis. Nós precisamos considerá-las como parte integrante do processo de desenvolvimento que vem da natureza. Ainda sentiremos o confronto face-a-face com as linhas direita e esquerda, o poder de doação e o poder de recepção – as duas forças que atuam na natureza.

Portanto, não se preocupem muito com os adversários da Cabalá. Nós estamos no campo de batalha de duas forças. E, de fato, isso não é uma luta, como parece, mas uma forma de comunicação e correção. Dessa forma, podemos estudar essas duas forças – quando uma se baseia na outra.

Mas em todos os momentos, um Cabalista que vive nesta geração não tem chance de ser reconhecido por seus contemporâneos e entendido pelas pessoas. Como é possível compreendê-lo se ele pertence à mesma geração? Todos estão em um nível tal que são incapazes disso.

Porém, depois de um tempo, há um amolecimento. Gradualmente, alguns começam a entender os Cabalistas da última geração e há alguns que estão envolvidos no trabalho espiritual, mas ainda não conseguem entender seus seguidores.

É por isso que mesmo o Ari não foi aceito imediatamente por todos os Cabalistas de sua geração. A renovação que todo Cabalista traz ao mundo em seu tempo não é necessariamente revelada em outras almas. É por isso que é difícil para elas concordarem com ele.

Cada geração revela uma nova camada de genes informativos (Reshimot), e há almas nesta camada que estão mais desenvolvidas e já estão prontas para correção. Portanto, essas pessoas vão até o fim. E há aquelas que ainda estão na fronteira e podem esperar.

Elas dizem que a Cabalá é o ensino certo, mas não para elas, e talvez nem concordem com ela. Isto é, elas sentem alguma relação com a Cabalá e, ao mesmo tempo, a separação e o ódio aparecem. Elas começam a protestar contra a Cabalá.

As pessoas que começaram a estudar e depois abandonaram também se tornaram oponentes da Cabalá porque precisam se justificar. Suas Reshimot ainda não amadureceram. E se uma pessoa não corrigiu seu desejo de desfrutar, ela deve se justificar sobre por que deixou o processo de correção.

Em todas as épocas, o desejo egoísta quer que sintamos que existimos, isto é, que estamos certos. Portanto, suas críticas à Cabalá são inevitáveis. Houve muitos desses casos em nosso tempo e no passado.

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 24/09/17, Lição sobre o Tópico: “A Resistência à Cabalá”

Comente