No Limiar De Uma Era “Pós-Egoísta”

laitman_928A humanidade quer saber onde está e para que vive, qual é o segredo da vida e o que será depois disso? De onde viemos quando nascemos neste mundo? Para onde vamos depois de morrer? Nós existimos apenas como animais que não sentem nada além da nossa existência biológica e material?

Os últimos desenvolvimentos em física, química, biologia e, em especial, mecânica quântica estão revelando novas formas de existência; estamos começando a descobrir mais níveis de complexidade em nosso mundo. Nosso mundo, aparentemente, tem muitas dimensões, uma dentro da outra, e contém uma multiplicidade de formas de vida, algumas ainda desconhecidas para nós.

Nós vivemos em um fragmento minúsculo da realidade, e é muito possível que essa realidade não seja real, mas sim gerada somente em nossa consciência muito limitada. Parece-nos apenas que existimos nos corpos físicos, num mundo grande, num imenso universo, mas, em essência, tudo isso é apenas uma representação dentro de nossas mentes. A física quântica já está encontrando evidências para isso.

Esse tipo de entendimento é principalmente importante para determinar a maneira como nos relacionamos com a vida. Basta ver o quão poderosamente a religião muda a visão de mundo de uma pessoa, quando ela acredita que vive neste mundo com a possibilidade de continuar a vida após a morte em algum outro mundo.

Uma visão particular de mundo pode reverter completamente as ideias sobre a vida, levando a guerras e conflitos, dividindo e unindo pessoas. Essa é a questão mais importante porque traz sentido para nossas vidas biológicas neste mundo e para o que está além dos limites desta vida, como nos parecem.

É por isso que é muito importante chegar a uma percepção correta da realidade. E aqui nos deparamos com a resistência do lado da religião e outras formas de práticas baseadas na fé, com a indecisão das pessoas e com as ciências.

Esse assunto é silenciado e coberto; não é agradável falar disso. Porque, se falarmos disso na abertura, haverá resistência, inverterá completamente a filosofia da vida para as pessoas, mudará a maneira como as pessoas se relacionam com a existência e o sentido da vida. E isso não é uma coisa fácil.

Até agora, a ciência apenas começou a adivinhar isso e os cientistas estão começando a falar um pouco sobre isso. É muito bom se as pessoas descobrem que o nosso mundo está realmente estruturado de forma extraordinariamente complexa e é apenas um dos muitos mundos, que podemos mudar a nós mesmos e passar de um mundo para o outro, e tudo o que é necessário é mudar nossa percepção, nossos órgãos sensoriais.

Quando nos movemos de um nível potencial e nos elevamos para outro, perdemos contato com essa vida material. Começamos a perceber a vida de forma completamente diferente: não limitada em cem anos, mas infinita no tempo e no espaço, acima de todas as limitações.

Se essa evidência aparecesse em todas as fontes de mídia de massa, isso atrairia muitos para o estudo da ciência da Cabalá, porque é especificamente a Cabalá que abre a cada pessoa a possibilidade de viajar entre os mundos.

A era do controle egoísta acabou. As pessoas mudaram e o já egoísmo não pode controlá-las. A programação egoísta se esgotou e, pouco a pouco, começamos a ser liberados do controle totalitário do ego, da nossa atitude consumista em relação à natureza. É por isso que nos sentimos menos limitados e começamos a sentir e supor que existe algo superior a nossa percepção egoísta do mundo.

Eu tenho muita esperança de que, em última análise, vamos revelar a verdade. Então todos mudarão: a religião, as práticas baseadas na fé e a maneira como as pessoas se relacionam com a vida.

De KabTV “Discussão sobre a Percepção da Realidade”, 26/12/16

Comente