Textos arquivados em ''

Meus Pensamentos No Twitter, 09/10/17

twitterUm #Teacher (professor) espiritual é um sistema espiritual, não uma pessoa, que cria problemas e orienta soluções, deixando o aluno entrar no sistema.

#TeachersDay (Dia do Professor) No caminho espiritual, a conexão com o Professor determina o sucesso do aluno, a conexão com o grupo e o Criador.

#TeachersDay A Educação só acontece através da influência do ambiente, colocando a criança em uma sociedade que valoriza a unidade desde o início.

#Catalonia #Spain (Espanha) Haverá cada vez mais conflitos no mundo – para proporcionar distâncias egoístas e ensinar as pessoas a se unir acima das diferenças.

#TeachersDay Um professor espiritual é seu (partzuf, AHP) superior, parindo e elevando sua alma. Seu vínculo é eterno e predeterminado.

Uma criança joga para crescer e se desenvolver. O equivalente espiritual deste jogo é o movimento lento para a verdade a partir do seu oposto. #Teachers (Professores)

Do Twitter, 09/10/17

Duas Encarnações De Uma Grande Alma

Baal HaSulam é o maior Cabalista da nossa época. É muito difícil falar de uma força tão grande porque não entendemos realmente o que significa ser um Cabalista. Ele vive junto a nós e, ao mesmo tempo, em um mundo diferente. Um Cabalista vive de fato em dois mundos.

Para um Cabalista, não há confusão. Ele vê o mundo superior e o mundo inferior. Mas o que mais o interessa é sua interdependência: como é possível fazer correções no mundo superior a partir do mundo inferior, de modo que ele influencie novamente o mundo inferior e o nosso mundo suba para o nível superior. Essa é a tarefa de cada Cabalista.

Um Cabalista vem do desejo que o caracteriza no sistema geral da alma chamado “Adão”. Cada um de nós tem uma raiz diferente. Isso se chama “ponto de referência” ou “ponto no coração”. è por isso que cada um revela o mundo superior de sua maneira única.

No entanto, todos os pontos do coração revelam esse sistema de forma relativamente similar. Porém, todos aqueles que escreveram antes de Baal HaSulam, por exemplo, tiveram dificuldade em escrever um comentário ao Livro do Zohar.

Antes do surgimento do Livro do Zohar, ninguém conseguiu escrever nada parecido, apesar do fato de que muitos Cabalistas sabiam mais do que o Rabi Shimon. Eles simplesmente não podiam descrevê-lo como ele.

Isto é, na Cabalá existem muitas dessas condições: você pode ser ótimo, um gênio espiritual, mas não pode descrever nada, simplesmente não tem a capacidade.

Mas Baal HaSulam tinha essas duas qualidades. É incrível! Em toda a história da Cabalá, praticamente não houve um Cabalista com tal habilidade.

Moisés foi o maior Cabalista, e os Cinco Livros escritos por ele estão escritos de tal maneira e em tal linguagem que todos podem interpretá-los da maneira que quiserem.

E o que o Ari escreveu no seu trabalho, A Árvore da Vida, não pode ser entendido; aqui, é necessária uma clara conquista do mundo espiritual para a pessoa inclusive começar a entender o que ele está falando. Nesse livro, dados puramente físicos são apresentados, assim como em qualquer livro de física.

Por isso, quando o Ari começou a ensinar, o único que conseguia apreciá-lo era um grande Cabalista de seu próprio tempo, o Ramak. Ele também enviou todos os outros alunos para o Ari, enfatizando que esse material era algo novo. Mas nem eles, nem ele, conseguiram entender o sistema do Ari, nem mesmo até o dia em que morreu. E isso ocorre porque o Ramak pertencia à geração anterior de almas, aquelas que vieram a este mundo antes do Ari.

É por isso que Baal HaSulam diz abertamente: “Tudo o que eu consegui, eu consegui seguindo a alma do Ari encarnando em mim”, em outras palavras, ele era a próxima encarnação do Ari. O que se entende aqui não é o corpo físico, uma vez que ele não existe e nem o nosso mundo. O único que existe é o desejo quebrado e disperso em um enorme espaço egoísta.

Nesse espaço há gotas, como passas em um bolo que tem inclinações para a unidade, para a adesão ao Criador. Mas nós não sentimos essas inclinações porque existimos em um oceano de egoísmo, nos sentamos nessa massa, é por isso que nem sentimos o nosso ego. Cada “passinha”, cada ponto do coração, sofre todos os tipos de correções.

Baal HaSulam passou a ser o resultado dessa mesma “passinha”, que foi o Ari, a mesma alma que era o Ari, que continuou seu trabalho. Isso é chamado de “encarnação”. Em outras palavras, essa não é uma alma separada, mas essa mesma alma continua seu trabalho, apenas sob diferentes condições, em uma geração diferente.

E o que significa “geração”? Não é o que acontece conosco em nosso mundo. Quando muitos pontos no coração, embriões de uma alma, mesmo que eles estejam mudando constantemente, enquanto ainda existem em um tipo de conexão errada entre si, eles se imaginam ostensivamente experimentando nosso mundo.

É por isso que é muito importante que pensemos não neste mundo, apresentando-se através de nossos cinco sistemas sensoriais de animais, mas sim no que está acontecendo através do ponto no coração.

Pergunta: Quando uma alma reencarna, a individualidade é preservada?

Resposta: A alma envolve várias condições externas. O Ari trouxe para o nosso mundo a Árvore da Vida. Na próxima vez que o mesmo Ari veio, ele se chamou Baal HaSulam e trouxe às nossas vidas o Talmud Eser Sefirot.

Pergunta: Em outras palavras, ele possuía o mesmo nível espiritual de realização do Ari?

Resposta: Ainda maior.

Da Lição em Russo, 16/10/16

A Profecia De Moisés

laitman_740.02No último dia de sua vida, Moisés continuou a falar com os judeus reunidos. Ele começou com afirmações reconfortantes.

“Eu sei que vocês se alarmaram quando ouviram 98 maldições de mim. No entanto, quero assegurar-lhes que, apesar de toda adversidade, o povo judeu não perecerá. No final, essas maldições irão servir para o seu bem” (“Comentário sobre o Midrash Rabba, Capítulo Nitzavim“).

Moisés diz que, depois de todos os terríveis golpes que o povo de Israel deve experimentar, toda maldição se tornará realidade. O profeta fala claramente de cada passo que o povo deve dar, passar, entender qual é o problema, e corrigir-se.

Tudo isso é um sistema de “apego à felicidade”. Sem o reconhecimento do mal, uma pessoa não entende o que deve fazer.

Pergunta: Por que, depois das instruções, a segunda parte da frase sempre diz: “Se vocês não fizerem isso, vou destruí-los”?

Resposta: Isso se refere às qualidades egoístas de uma pessoa que se afastarão no processo de correção. Primeiro é o reconhecimento, depois a correção, e somente depois disso é o domínio do desejo correto.

Pergunta: É como um foguete que deixa suas etapas e avança. Mas esses estágios retornam e será necessário processar esses desejos?

Resposta: Sim, mas eles retornam sob uma forma diferente – na forma de realização e revelação.

De KabTV “Segredos do Livro Eterno” 09/01/17

A Descoberta De Abraão

laitman_740.01O Criador é a qualidade de doação e amor. Ele é absoluto. Somente assim Ele se manifesta para nós. Para ser revelado às Suas criaturas e torná-las semelhantes a Ele, Ele as criou opostas à Sua natureza, como está escrito: “Eu criei a inclinação ao mal”.

No entanto, embora Ele tenha nos criado como criaturas malignas que se tornam cada vez mais egoístas todos os dias, ao mesmo tempo nos deu um instrumento para a correção. O único problema é que tudo isso acontece gradualmente de acordo com as leis da natureza.

A natureza se desenvolve de acordo com as leis dos organismos inanimados, vegetativos, animados e humanos. De acordo com a sabedoria da Cabalá, uma pessoa difere de um animal não por andar em duas pernas com a cabeça elevada (afinal, um avestruz também caminha em duas pernas) e não pela capacidade de pensar. Ela tem a aspiração para o propósito da vida que a distingue dos animais.

Esse é o claro desejo de conhecer o propósito da vida, a questão sobre o seu sentido: “Por que e para que eu vivo? O que é definido na natureza como o propósito da minha criação e existência?” Essas questões realmente preocupam algumas pessoas. No entanto, enquanto fazem essas perguntas, elas não sabem como respondê-las.

A primeira pessoa que tentou responder a essa pergunta 5777 anos atrás foi um homem chamado Adão, que através de seus pensamentos, sentimentos, aspirações internas e profundo escrutínio penetrou os segredos do universo e escreveu um pequeno livro sobre isso chamado O Anjo Secreto, que sobreviveu até a nossa época.

Graças a essa descoberta e trabalho em si mesmo, ele começou a usar corretamente as forças da natureza para seu desenvolvimento e foi chamado de Adão. ”Adão” da palavra “Dome” (como) o Criador.

Muitas pessoas em diferentes gerações depois de Adão usaram seu método. Ele passou por 20 gerações de seus discípulos e chegou a Abraão, que morava na antiga Babilônia e, em princípio, era um pregador da abordagem não tão correta da natureza. Ele acreditava que a espiritualidade é dividida em muitos deuses que devem ser adorados.

No entanto, mais tarde, ele descobriu que todas essas muitas forças opostas da natureza que atuam de forma independente e até mesmo algumas interações positivas e negativas entre elas, como vários deuses gregos antigos, de fato, vêm de uma única mente e força.

Nós devemos explorar, revelar e abordar essa mente, e assim a pessoa saberá e entenderá qual é o sentido da vida. Abraão acreditava que, de outra forma, todos os séculos que se passaram desde Adão eram inúteis e indignos de nota.

Em princípio, nós exploramos as diferentes forças que realmente existem. No entanto, elas têm uma base comum (fonte) e é necessário revelá-la. Foi o que Abraão fez.

Ele descobriu a força unificada da natureza acima de suas outras forças díspares, que naquele tempo todas as pessoas adoravam, incluindo ele mesmo até descobrir essa única força.

Quando a explorou, ele descobriu que ela é totalmente boa e unificada. Isto é exatamente o que Abraão começou a explicar aos babilônios.

Parece-nos que não existe diferença entre politeísmo e monoteísmo. No entanto, monoteísmo significa não adorar uma força, mas se tornar semelhante a ela. O fato é que, quando uma pessoa, no cumprimento de seu destino, se esforça para se tornar como ela, ao mesmo tempo, muda a si mesma, seu comportamento, sua visão da vida e constrói as relações sociais de acordo.

Ao mudar a si mesma, ela muda o mundo, a sociedade e sua família. Ela cria tudo de acordo com um único padrão que recebe de cima, alcançando, explicando, abraçando e explorando a força superior.

Em princípio, isso é o que Abraão fez. Ele tentou explicar tudo a seus alunos e eles seguiram seu caminho. Assim, um grupo de pessoas foi organizado chamado povo de Israel, da palavra “Isra-El” (Isra: direto, El: o Criador), que estava direcionado ao Criador. Em outras palavras, esse é um grupo que é direcionado à exploração da força boa e unificada, o Criador.

Da Lição de Cabalá em Russo 04/06/17

O Mundo Na Encruzilhada, Parte 5

Laitman_408Baal HaSulam, Os Escritos da Última Geração: Resulta que o mundo considera erroneamente o nazismo como um ramo particular da Alemanha. Na verdade, é a ramificação da democracia e do socialismo que ficaram sem religião, normas e justiça. Assim, todas as nações são iguais nisso; não há esperança de que o nazismo perecerá com a vitória dos aliados, pois os anglo-saxões adotarão o nazismo, pois eles também vivem num mundo de democracia e nazismo.

O desenvolvimento contínuo do egoísmo, que é fundamental na natureza, nos leva à unidade, que se chama “democracia”. Nós vemos que, mais cedo ou mais tarde, um sistema “democrático” será estabelecido em todos os países e nações.

A democracia significa que a maioria decide. Mas, por mais paradoxal que seja, após a democracia, vem o fascismo. Nós já vimos esses exemplos em todas as formas possíveis, e isso não é por acaso, mas um desenvolvimento lógico. Democracia e socialismo geram fascismo e nazismo. Nós devemos entender que esse é um desenvolvimento natural que acontecerá em todos os lugares.

Clamores por democracia, socialismo, ultra-liberalismo, igualdade universal, até o governo da maioria, estabelecem a igualdade em uma sociedade que não está mais dividida em aristocratas e pessoas comuns, mestres ricos e escravos pobres. Todo mundo começa a se misturar e deve haver igualdade para todos. Isso significa que as pessoas começam a se reunir e se unir.

Mas sua conexão acaba por ser egoísta e, portanto, as leva primeiro ao liberalismo, à democracia e ao socialismo, que, naturalmente, se transformam em nazismo e fascismo. Esses são os estágios no desenvolvimento do egoísmo. E existe apenas uma solução que pode realmente funcionar: uma unificação que não se baseie no egoísmo, mas esteja acima dele, chamada de “fé acima da razão”.

Acontece que todas as nações no decorrer de seu desenvolvimento que não adotam o método de Abraão, isto é, o método da Cabalá, certamente chegarão ao nazismo, quer o desejem ou não. Definitivamente, há uma grande diferença entre a Índia e a China se compararmos com a Europa e a América. Mas nos lugares com mais democracia e socialismo, o nazismo será estabelecido muito mais rápido.

Os fascistas levarão muitos anos para chegar ao poder na Índia ou na China, porque a ditadura é a forma de poder e eles não tentam estabelecer a igualdade. Mas isso acontecerá muito rapidamente na Europa e na América. E será um desenvolvimento natural. Baal HaSulam escreveu sobre os nazistas na América nos anos 20 do século passado. E não era uma profecia; ele simplesmente conhecia as leis da natureza e seu desenvolvimento.

Os Estados Unidos são um país em rápido desenvolvimento, e não pode ser que não chegue ao fascismo e ao nazismo após a Alemanha. E a humanidade deve perceber que está na encruzilhada.

Ou a humanidade chegará ao fascismo ou aceitará o método da Cabalá. Então, nós começaremos a entender onde estamos. Esse conhecimento já cura a sociedade humana porque desperta a grande Luz circundante que certamente corrigirá a humanidade.

Não existe outro caminho: nosso dever é disseminar o método de unificação. É por isso que recebemos o desejo de estudar a sabedoria da Cabalá. Essa é a nossa missão. E, é claro, o interesse pela Cabalá não é dado a nós, de modo que olhemos indiferentemente sobre como o mundo está se movendo em direção ao abismo.

Da 1ª parte da  Lição Diária de Cabalá 21/08/17, Lição sobre o tema: “Europa Numa Encruzilhada”

Nova Vida # 894 – Superando As Dificuldades

Nova Vida # 894 – Superando As Dificuldades
Dr. Michael Laitman em conversa com Oren Levi e Yael Leshed-Harel

Resumo

Por que a vida coloca dificuldades diante de nós? Qual é o caminho certo para lidar com elas e como podemos estar em conexão com a força superior através delas? A comunicação real com a força superior requer a correção do egoísmo e a aceitação do poder de amor e doação aos outros.

De KabTV “Nova Vida # 894 – Superando As Dificuldades”, 08/08/17