Obter Liberdade Tornando-Se Um Escravo Do Criador

Laitman_712.03Baal HaSulam, A Última Geração: Existem duas escravidões no mundo, seja a escravidão ao Criador, ou a escravidão às Suas criaturas. Uma delas é uma obrigação. Mesmo um rei e um presidente necessariamente servem ao povo. De fato, o gosto da total liberdade é apenas para alguém que é escravizado apenas ao Criador, e não a nenhum ser no mundo. A escravidão é necessária, pois a recepção é obscena; é a besta. E a doação, a questão é “A quem?”

É muito claro e acentuado. Por nossa natureza, somos opostos ao Criador. O egoísmo nos limita e nos reduz a um pequeno ponto animal.

Portanto, só se nós o escravizarmos e domesticarmos, o unirmos dentro de nós, fizermos uma restrição sobre ele e construirmos nossa existência acima dele, alcançaremos a qualidade do Criador. Nesse caso, nada nos impede; nos tornamos ilimitados e absolutamente não sujeitos a qualquer tipo de restrições.

Essa é, de fato, a conquista do infinito, porque se eu me elevar acima do meu egoísmo, nada me restringe e eu continuo avançando apenas na conquista do Criador. E o Criador é todo o universo: tanto do ponto de vista da matéria quanto do ponto de vista do seu preenchimento.

Pergunta: No entanto, uma conotação negativa prevalece na palavra “escravo”. Por que um cidadão da última geração se sente como um escravo e não como um cúmplice do Criador?

Resposta: Esse estado não pode ser expresso de forma alguma senão como um escravo do Criador.

Hoje somos escravos do nosso egoísmo, e até mesmo escravos duplos porque não estamos conscientes disso. O egoísmo nos escraviza tanto que não sentimos a nossa escravidão.

Imagine que exista um planeta onde as pessoas trabalham o tempo todo por um mestre maligno que fica no alto de uma montanha; eles, drogados pelo gás do riso, estão cheios de felicidade e trabalham para ele com prazer e grande devoção. Isso é nós hoje.

Não sentimos a nossa escravidão ao egoísmo, e estamos satisfeitos por estarmos trabalhado para ele cada vez mais. Trabalhamos duro para desfrutar e parece que gostamos, simplesmente não vemos onde tudo desaparece. No entanto, tudo entra no egoísmo e, ao longo do caminho, praticamente nada nos resta.

Portanto, a percepção de que você é um escravo do egoísmo é uma ótima visão que não chega facilmente a uma pessoa.

Sair da ignorância só é possível com a ajuda da Luz superior, a energia especial que permite que você se eleva, saia do egoísmo e sinta que está de repente deixando-o. Anteriormente, você não imaginava que ele estava em você ou que você estava nele. Você trabalhava constantemente para ele e todos os seus pensamentos, sentimentos e sentidos estavam completamente nele.

É como sair da atmosfera. Você nunca sentiu a sensação e, de repente, sente que pode sair. É quando você começa a sentir: “Sim, eu era um escravo”.

Mesmo em nosso mundo, não é simples sentir a escravidão. As pessoas que eram escravas nas gerações anteriores não consideravam que suas vidas eram ruins. Elas achavam que era certa, que nasceram desse jeito e iriam morrer dessa maneira. Elas concordavam plenamente com isso até o próprio egoísmo começar a crescer e levá-las ao próximo estado.

O desenvolvimento do egoísmo ocorreu sob a influência da força superior, o Criador, uma vez que o Criador queria levar a humanidade pelo estágio da escravidão física.

Agora, nós chegamos a um estado em que devemos entender completamente nossa escravidão espiritual interna que nos obriga a relacionar tudo apenas ao egoísmo em todas as nossas sensações e a compreender o mundo em que vivemos. O egoísmo nos controla em tudo: como sentir o mundo, como interagir com ele e o que desejar.

Surge uma questão: como removemos esse programa egoísta de nós mesmos e começamos a olhar para o mundo corretamente? Como substituir o egoísmo por uma escravidão diferente e tornar-se escravos do Criador e nada mais? Afinal, o que podemos fazer? Só podemos substituir uma coisa por outra porque o ponto de escolha é entre esses dois estados. E nós começamos a sentir que ao escolher a escravidão ao Criador, escolhemos a liberdade acima do egoísmo.

Assim, a última geração é a transformação da sociedade e da consciência, a libertação de seu programa anterior de funcionamento em pensamentos e sentimentos, como no computador, quando você apaga completamente o programa anterior em si mesmo e começa a carregar um novo.

Pergunta: Então, a habilidade máxima é que eu comece a me sentir como escravo do meu egoísmo?

Resposta: Você começa a se sentir assim porque o programa anterior de repente deixa de funcionar; é obsoleto e já não pode resolver novos problemas. Isso impede sua existência e precisa ser alterado.

É por isso que hoje nós sentimos a nós mesmo e o mundo em crise. “Crise” traduzida do grego antigo significa “nascimento”. Esse é realmente o nascimento de um novo programa.

De KabTV “A Última Geração” 19/06/17

Comente