O Anseio Por Descanso

laitman_564Baal HaSulam, “Matan Torá” (A Entrega da Torá): Agora aqui se abre diante de nós uma porta para entender a fonte de todos os prazeres e dores em nosso mundo. Uma vez que o Criador é a raiz de Suas criações, nós sentimos tudo o que existe Nele e se estende para nós diretamente Dele como agradável e delicioso, porque nossa natureza está perto de nossa raiz. E tudo o que não está Nele, e não se estende a nós diretamente Dele, mas contradiz a própria criação, será contra a nossa natureza e difícil para nós tolerarmos.

Assim, nós adoramos descansar e odiamos tanto mover-nos, que não fazemos um único movimento se não for para alcançar o descanso. Isso é porque nossa raiz é imóvel, mas em repouso, e nenhum movimento existe Nele. Portanto, isso é contra a nossa natureza e repugnante para nós. Da mesma forma, nós amamos a sabedoria, a força, e a riqueza, etc. porque todas essas existem Nele que é nossa raiz.

Qualquer pessoa cuja natureza é o desejo de receber anseia por prazer. O prazer é alcançado somente quando há um desejo, bem como o preenchimento desse desejo. Se eu quero algo e não tenho, eu sofro. Se eu recebo o que quero, eu aprecio.

Um estado de prazer é chamado de descanso já que eu não preciso de mais nada; eu queria, eu quis. Esta é a razão que toda a natureza aspira pelo descanso, por um movimento direto unificado, que significa tanto imutável como possível. Isto significa que eu estou em um estado confortável. Nosso desejo em si cria tais regras de comportamento para si mesmo.

Se o desejo sente uma deficiência, ele é forçado a mover-se de acordo com a deficiência e alcançar o que lhe falta. Podemos ver isso em todos os níveis da natureza.

A singularidade de nossa evolução é que temos que mudar a nós mesmos, a fim de querer assemelhar-nos ao Criador, que é contra a nossa natureza original, e agir a fim de atingir este objetivo através da implementação de um método especial chamado a sabedoria da Cabalá.

Nós não podemos receber a energia para realizar nossas ações por nós mesmos, porque o oposto da nossa natureza não pode nos preencher de forma alguma. A única coisa que podemos fazer é pedir ao Criador para nos ajudar a mudar a nós mesmos, o que significa mudar a nossa intenção de receber para a intenção de doar.

Essa mudança ocorre como resultado do impacto da Luz superior, que vem e nos afeta e invoca mudanças em nós, fazendo-nos querer assemelhar-nos ao Criador. Mas, ao mesmo tempo, não podemos dizer que ações a Luz executa em nós.

Nós começamos gradualmente a perceber essas ações que têm atributos do sistema superior ou da Luz superior e podemos realizar essas mudanças em nós: em vez de pensar em mim, eu começo a pensar nos outros. É para isso que a Luz superior nos empurra. Nós vamos ter que mudar quer gostemos ou não.

Hoje, vemos como o mundo muda gradualmente e como a vida se torna tão difícil de entender, tão barulhenta e egoísta. A humanidade sente que algo está acontecendo com ela e que tem que mudar de alguma forma, mas não entende o que está acontecendo. As famílias estão quebrando, há mudanças globais sérias, etc.

Tudo isso está acontecendo a fim de nos forçar a querer mudar nossa atitude para com o mundo, para nos convencer de que não podemos mais existir no mundo dentro do atributo de receber, porque só podemos ser preenchidos e descobrir uma boa maneira de viver através do atributo de doação.

Tudo isso indica que chegou a hora da sabedoria da Cabalá ser revelada e tornar-se mais popular e acessível, porque é realmente essa sabedoria que explica como fazer isso de uma forma fácil, simples e agradável.

Comentário: A palavra “descanso” é geralmente associada com tranquilidade, com ações de movimento lento, ou com imobilidade.

Resposta: Isso não é verdade. Mesmo de acordo com a física e outras ciências exatas sabemos que o movimento imutável na velocidade da luz é um estado de descanso. Portanto, não é sobre o nosso estado, mas sobre a falta de mudança no estado; se você não anseia por nada, você está satisfeito.

Da Lição de Cabalá em Russo 02/04/17

Comente