Não Existe Uma Atitude Neutra Em Relação À Cabalá

laitman_281.02Pergunta: É difícil para uma pessoa permanecer neutra quando se familiariza com a Cabalá. Ela se torna seu adversário e “hater” ou um aliado fiel. O que determina o lado que a pessoa irá tomar?

Resposta: Depende da extensão do desenvolvimento de seu “ponto no coração”, na força com que ele está ardendo, e na demanda para se libertar e encontrar uma resposta sobre o sentido da vida. Ela não poderá mitigar e decidir que o sentido da vida é observar as tradições religiosas; ela quer descobrir o mundo superior.

A natureza de uma pessoa decide o que ela será: um oponente da Cabalá ou seu aliado fiel. Eu não tinha escolha, eu tinha que me tornar um Cabalista porque a questão sobre o sentido da vida era vital para mim e me pediu para encontrar uma resposta para ela.

Toda a humanidade é dividida em dois tipos de pessoas de acordo com essa característica. Essa divisão também existe dentro de cada pessoa; uma parte se opõe à Cabalá e a outra é atraída a ela. Tal confronto pode continuar até o fim do caminho.

Pergunta: Você já teve o desejo de abandonar a Cabalá?

Resposta: Não, nunca. Houve períodos de fraqueza, que cada um tem, mas não consegui imaginar como seria possível sair para sempre. É necessário acreditar que existe um programa superior que orienta uma pessoa. Não importa para onde ela queira se voltar, o programa a leva à meta designada.

Pergunta: Por que o programa superior, que é o Criador que quer ser revelado nos seres criados, desperta nas pessoas tal resistência à Cabalá em toda a história e mesmo hoje, quando a Cabalá deve ser revelada a todos?

É interessante que a atitude negativa para com a Cabalá é semelhante ao antissemitismo, quando pessoas inteligentes, espertas e progressistas, como por exemplo, pensadores livres como Voltaire, ao mencionar os judeus, como que enlouquecessem e começassem a praguejar como estivadores. A mesma atitude existe para com a sabedoria da Cabalá, cuja menção transforma pessoas inteligentes e educadas em profundos ignorantes. De onde vem isso?

Resposta: Essa resistência vem do fato de que existem duas forças na natureza, a força de doação e a força de recepção. Uma pessoa, por sua natureza, pertence à força de recepção, que é o desejo de desfrutar para o seu próprio prazer. Nós aceitamos tudo o que funciona para nossa diversão, isso é próximo e compreensível para nós, e podemos apreciar isso e nos entender.

Nós estamos sempre no processo de “compra e venda”, tentando extrair o máximo de prazer um do outro. Como está escrito, “Vão ganhar a vida um do outro”. Nossas vidas são assim, como no mercado. Todo mundo entende que somos egoístas; essa é a base da política, filosofia e tudo mais.

Além disso, nós também vemos conexões egoístas na natureza, na física, química, dentro da matéria inanimada, plantas e animais. Ao nível das partículas elementares, das moléculas e dos organismos mais desenvolvidos, até o humano, sua mente e sentimentos, tudo age de acordo com as leis do egoísmo, o desejo de desfrutar. Portanto, o egoísmo é compreensível para todos.

No entanto, quando se trata da sabedoria da Cabalá que fala sobre a natureza oposta, sobre a força de doação e amor que não existe em nosso mundo, isso causa perplexidade. Afinal, para nós, até mesmo a doação é apenas para o nosso próprio benefício e o amor é apenas para nós mesmos.

Portanto, não entendemos o que a Cabalá está falando. Não somos capazes de perceber que existe tal fórmula de quando você age em benefício dos outros. Se alguém já pensou que agia em prol dos outros, era uma recepção escondida e uma preocupação por si mesmo.

A sabedoria da Cabalá diz que precisamos se elevar acima de nossa natureza a tal ponto que deixamos de sentir a nós mesmos e recebemos um novo desejo que não existe em nosso mundo. Ele habita sobre o teto deste mundo, onde vamos adquirir um desejo diferente e oposto de doação e um programa que opera de acordo com um princípio oposto ao atual.

Se hoje queremos ser preenchidos com toda a bondade, e a nossa mente e sentimentos são dirigidos apenas pelo nosso próprio prazer, então, nós vamos agir de forma oposta, desejando preencher o nosso próximo. Nós teremos que abordar e amar desinteressadamente, não o nosso filho, o amigo ou a pátria, mas alguém oposto a nós e até odiado pelo nosso egoísmo.

De KabTV “Razões Para A Atitude Negativa Em Relação À Cabalá” 19/19/17

Comente