Uma Única Força Na Evolução Da Natureza, Parte 1

Laitman_712_03.jpgPergunta: Que força é essa que provoca o desenvolvimento do mundo inteiro: de toda a natureza e da humanidade?

Resposta: Nós existimos dentro de um campo de força chamado natureza, que inclui dentro de si uma série de forças. Nós dividimos essa força em níveis: inanimado, vegetal, animal e humano, ou de acordo com a abordagem científica utilizada para estudá-la: física, química, biologia, etc. Nós a definimos, de acordo com a trajetória do nosso desenvolvimento, como relacionamento de causa e efeito.

Dentro deste campo, há áreas que são completamente desconhecidas e incompreensíveis para nós. Toda a natureza é uma única força. Quanto mais avançamos em nossa compreensão da realidade e quanto mais profundamente investigamos a natureza, mais estamos convencidos de que é uma única força.

Nossa percepção torna-se cada vez mais integrada e global; já entendemos que não há separação entre física, química, biologia e zoologia; em vez disso, cada uma é um aspecto de uma única forma. É apenas devido às limitações de nossa percepção que somos capazes de sintonizar uma única realidade que surge diante de nós sob a forma de fragmentos separados. Simplesmente não podemos ver toda a criação sob a forma de uma imagem, uma força.

Mas, gradualmente, de acordo com o grau do nosso desenvolvimento, começamos a entender que essa é realmente uma única imagem, uma única força, dentro da qual existimos. Essa força nos desenvolve e nos dá a possibilidade de conhecê-la. Essa força chamada natureza, como se ela mesma, quer que a reconheçamos.

Uma pessoa estuda a natureza com suas próprias habilidades, dadas a ela desde o nascimento, e é por isso que certamente está limitada pelo tempo, espaço e movimento, e por suas próprias percepções. Ela não é capaz de limpar seu cérebro e reprogramá-lo de novo. Isso ocorre porque a humanidade é o resultado de um longo processo evolutivo, que ocorreu sob as influências de várias atividades e forças que se estendem ao longo de bilhões de anos.

Uma pessoa é resultado do desenvolvimento da natureza. É por isso que surge uma questão: visto que esse homem é parte inseparável e integral da natureza, ele é capaz de estudá-la? Porque, para fazer isso, é necessário elevar-se acima da natureza.

Somente recentemente, na vanguarda da ciência, começamos a entender que o tempo e o espaço são relativos, que em vez de matéria, pode haver energia. Mas a energia é algo que desaparece, o que significa que a matéria também pode desaparecer.

Acontece que todas as toneladas infinitas de matéria que vemos no universo não são matéria, mas energia, isto é, algo efêmero e que desaparece. Em essência, nosso universo está vazio!

Além disso, a causa e o efeito podem mudar de lugar, e o que nos parece ser a causa, pode ser descoberto como o efeito, e vice-versa. É possível que o evento que precisa ocorrer agora, produz a causa por si mesmo e não a causa do evento.

Existe um fenômeno descrito na física quântica onde partículas que estão separadas umas das outras por diferenças cósmicas são observadas como conectadas uma à outra. E se uma das partículas gira de uma maneira particular, a outra partícula, que fica a bilhões de quilômetros de distância, gira do mesmo jeito. E não é que uma partícula imita as ações da outra; em vez disso, as duas estão unidas. Nenhuma delas é a causa nem o efeito, mas tudo é um todo unificado e está em uma forma tal que não podemos conceituá-lo com nosso intelecto porque nosso intelecto é extraordinariamente limitado. Acontece que, por isso, toda a nossa investigação da natureza é extremamente limitada.

Pergunta: Nós devemos admitir que há algo grande que não conhecemos?

Resposta: Nós não sabemos quase nada! Uma vez que nossa percepção de matemática e física é também resultado da forma como somos feitos. E se fôssemos criados de forma diferente, teríamos um tipo diferente de matemática e 1 + 1 não seria igual a dois.

É apenas uma suposição de que 1 + 1 = 2. Se substituíssemos os órgãos sensoriais, veríamos uma realidade diferente. Toda a natureza que nos rodeia pareceria completamente diferente.

Mas a força que desenvolve a natureza pode ser aceita como absoluta, existente fora de nós. Essa força criou a natureza e nós nessa forma que nos permite estudar parte da natureza em um grau limitado. E se realmente quisermos estudar a natureza, devemos nos elevar ao nível dessa força, para o qual é necessário adquirir novas habilidades.

De KabTV “Nova Vida” 27/06/17

Comente