O Trabalho Sobre Si Mesmo

laitman_243_02Torá, Deuteronômio, 25:02 – 25:03: E será que, se o injusto merecer açoites, o juiz o fará deitar-se, para que seja açoitado diante de si; segundo a sua culpa, será o número de açoites. Quarenta açoites lhe fará dar, não mais; para que, porventura, se lhe fizer dar mais açoites do que estes, teu irmão não seja humilhado aos teus olhos.

Pergunta: Está escrito: “Se o injusto merecer açoites, o juiz o fará deitar-se, para que seja açoitado diante de si” O que significa “deitar-se”? Por que estas pequenas coisas são descritas com tal detalhe?

Resposta: Estas não são coisas pequenas. Trata-se da descida de uma pessoa para tal estado onde é necessário humilhar não ela, mas seu egoísmo e humilhá-la de tal forma que ela verá o egoísmo em toda a sua feiura e não poderá mais usá-lo. Ela considerará usá-lo como uma baixeza para o “homem nela”.

Este é o trabalho da pessoa sobre si mesma. Portanto, todos os juízes e jurados são necessários apenas para ajudar a pessoa a entender a si mesma. Ela mesma deve escolher uma punição sob a forma de golpes que vêm da qualidade de Bina, cujo valor numérico é igual a quarenta: “quarenta” níveis. Ela deve sentir esses golpes sobre si mesma e o quanto é oposta à qualidade de doação.

O sentimento de oposição às qualidades de Bina, a compreensão de quão longe ela está de atingir seu nível e a realização do mal em si mesma são golpes no egoísmo, e não em uma pessoa.

De KabTV “Segredos do Livro Eterno” 22/11/16

Comente