Textos arquivados em ''

Shavuot: O Que É O Juramento Da Nação De Israel?

arava-convention_931-01.jpgPergunta do Facebook: Eu não entendo muito o que você diz e escreve, mas por algum motivo, não posso me afastar. Você poderia explicar o que é o juramento que a nação de Israel fez ao Criador enquanto eles estavam no Monte Sinai: “Faremos e Ouviremos (Obedeceremos)”. Isso é um juramento de escravos?

Resposta: Na verdade, é um juramento de escravos. Nós concordamos em nos escravizar a um novo princípio de existência. Nós concordamos em fazer somente o que é benéfico para a sociedade que nós, antigos escravos do Faraó, vamos agora criar e se tornar escravos do Criador. Ser escravos do Faraó significa trabalhar com um foco egoísta, um desejo egoísta. Ser escravo do Criador significa trabalhar com o desejo altruísta. Apenas um desses dois pode operar dentro da pessoa. Ela pode se tornar um escravo consciente do Faraó ou um escravo do Criador.

Sob nenhuma circunstância devemos pensar que um escravo é algo negativo. Mesmo agora, nós somos escravos. Nós somos escravos o tempo todo; simplesmente não vemos quem é o nosso mestre. Nosso mestre é o egoísmo. Ele nos gira, e inconscientemente executamos todos os seus pedidos. Ele vive em nós, constantemente nos forçando a nos preocupar, pensar e a fazer algo, nos dando metas desnecessárias. E nós, ao fazermos tudo isso, gastamos nossas vidas e não conseguimos nada.

Na realidade, ser um escravo significa ser consciente de que você existe na natureza, que é controlado por desejos e pensamentos. Você precisa entender como esses desejos e pensamentos podem ser corrigidos, como mudar seu mestre do Faraó para o Criador e, ao fazê-lo, você alcança uma liberdade total, mesmo que seja escravo do Criador.

Isso é muito interessante e, ao mesmo tempo, uma conexão incompreensível entre escravidão e liberdade. Ao ser um escravo do Criador, você ganha liberdade porque se torna um escravo da qualidade de doação e amor. Você se eleva acima do egoísmo, que já não o limita de forma alguma, e dessa maneira você se torna livre.

Shavuot, o feriado da entrega (outorga) da Torá, fala sobre o fato de que, a partir desse momento, a pessoa se torna livre. Ela começa a adquirir sua liberdade, recuperando tudo o que estava nela sob o domínio do Faraó e gradualmente corrigindo-se, retirando todos os seus desejos, pensamentos e qualidades egoístas, e mudando-os para o oposto: altruístas.

Em pé no Monte Sinai significa que nos comprometemos, queremos, estamos prontos para qualquer coisa, a fim de receber a Luz superior chamada Torá: a Luz que Reforma nos reforma para nos assemelharmos ao Criador. Nós queremos recebê-la e estamos prontos para isso. Isto é simbolizado pelo em pé no Monte Sinai.

Um enorme ódio e grandes contradições são reveladas ao longo do caminho, e graças a essas revelações de todas as nossas qualidades e características negativas, estamos prontos para qualquer correção, apenas para nos livrarmos do ego.

Este é o momento exato a partir do qual a nação de Israel nasceu, no momento em que tomamos o juramento de ser escravos do Criador e Lhe pedimos isso.

De KabTV “Notícias com Michael Laitman” 22/05/17

Como Podemos Alimentar Crianças Famintas?

laitman_600_04Pergunta: O que os Cabalistas podem fazer para alimentar crianças famintas que morrem a cada cinco segundos em algum lugar do planeta?

Resposta: Os Cabalistas não podem fazer nada, como todos os outros. O Criador nos dá todos esses estados, de modo que, com base neles, possamos alcançar a relação correta um com o outro – “ama o teu amigo como a ti mesmo” – de outra forma, não seremos capazes de mudar o mundo. Isso significa que temos que avançar gradualmente em direção a isso.

A sabedoria da Cabalá nos diz como fazer isso. Se contarmos a outras pessoas sobre isso e mostrarmos o método que estamos desenvolvendo nas dezenas Cabalísticas, podemos ter certeza de que o mundo alcançará a revelação do estado correto de uma boa maneira.

Da Lição de Cabalá em Russo 22/01/17

Cabalá E As Relações Familiares

Laitman_725.jpgPergunta: Dizem que os Cabalistas podem trazer a presença divina entre o marido e a esposa. Como a sabedoria da Cabalá pode ajudar na construção de relações familiares hoje e na resolução de conflitos?

Resposta: A Cabalá dá conselhos sobre como tratar adequadamente um ao outro, o que se refere a toda a humanidade, incluindo um marido e uma esposa. Se um casal interagir adequadamente entre si, poderão revelar o Criador entre eles.

Da Lição de Cabalá em Russo 22/01/17

Uma Moça Prometida

laitman_571_08Torá, Deuteronômio, 22:25: E se algum homem no campo achar uma moça prometida, e o homem a forçar, e se deitar com ela, então morrerá só o homem que se deitou com ela.

Uma moça prometida (noiva) é o desejo de outra pessoa que não pertencia à pessoa e não estava sob seu Masach (tela). E se ela usasse esse desejo, era necessariamente de maneira egoísta. ”Uma moça prometida” significa um desejo que tem um Masach comum (tela) com algum outro Masach, e, portanto, o uso desse desejo será provavelmente egoísta. Ao estar em contato com esse desejo, a pessoa “se mata” – seu Masach, sintonizado para a doação, se transforma em recepção e quebra.

“Campo” é a ausência de quaisquer circunstâncias externas que possam impedir a pessoa. Nesse caso, a mulher não pode resistir sozinha.

Torá, Deuteronômio, 22:26 – 22:27: Porém à moça não farás nada. A moça não tem culpa de morte; porque, como o homem que se levanta contra o seu próximo, e lhe tira a vida, assim é este caso. Pois a achou no campo; a moça desposada gritou, e não houve quem a livrasse.

Na moça (o desejo) em si, não há pecado, mas as correções devem ser realizadas, porque ela caiu sob o uso de um Masach completamente diferente, que quebrou sob as circunstâncias.

De KabTV “Segredos do Livro Eterno” 10/10/16