O Deleite Supremo Da Alma

laitman_239Torá, Deuteronômio, 23:07: Não lhes procurarás nem paz nem bem em todos os teus dias para sempre.

Os desejos egoístas, chamados de “amonitas ou moabitas”, revelam-se em cada nível da escada que ascendemos. E cada vez eles são novos e mais poderosos.

Todos os 125 níveis são semelhantes entre si; eles só diferem em potência e volume de propriedades positivas e negativas, propriedades da linha direita e esquerda e o número de detalhes envolvidos. Em princípio, o poder do nível depende do número de desejos e intenções.

Quando subimos, nosso estado se torna muito integrado e complexo, e é nessa complexidade, compreendendo todas suas vantagens, desvantagens, todo o poder de nossa conexão, que encontramos a perfeição.

É do fechamento de milhões de vários tipos de forças, intenções e atos – do início da criação, do meio, e novamente do início, do fim, etc. – que a perfeição do Criador é alcançada. A revelação completa da mecânica da interação do Criador com o desejo que Ele criou é o deleite supremo da alma.

Sobre isso, é dito que “Os justos se sentam e desfrutam do brilho da Shechina“. Afinal, a Luz superior da sabedoria preenche toda a criação, reluz e brilha. Essa conquista compreende o maior significado e prazer supremo que a alma sente.

De KabTV “Segredos do Livro Eterno”, 19/10/16

Comente