Textos arquivados em ''

Jerusalém: Um Símbolo De Unidade

Unity, The Way To A Good FutureJerusalém, no sentido espiritual, é o ponto de conexão entre as almas e o sistema superior. A cidade real é completamente original e tem um status especial em Israel porque é a localização do Monte do Templo, onde o Templo esteve uma vez: o símbolo da conexão entre este mundo e o mundo superior.

Jerusalém é o símbolo da unificação. Sabe-se que a unificação é o que torna o povo de Israel especial e escolhido. Sem ela, nossa nação não teria atingido o grau de Bina, de doação (simbolizado pelo número 40, os quarenta anos de pregrinação no deserto), e a terra de Israel, que significa “direto ao Criador” (Israel, Yashar-El).

Tudo isso foi possível por meio do trabalho que eles realizaram enquanto passavam por subidas e descidas, superando todos os tipos de obstáculos ao longo do caminho. Quando nós trabalhamos na unificação contra o egoísmo, atingimos um desejo dirigido ao Criador, que é geralmente chamado de “terra de Israel”. Então chegamos a uma “cidade perfeita” (Yira Shlema), chamada Jerusalém (Yerushalayim).

Há uma montanha (Har) dentro dela, isto é, dúvidas (Irurim) especiais, por meio das quais obtemos um vaso para receber em prol da doação. Esse é o Primeiro Templo, seguido do vaso de doação em prol da doação, o Segundo Templo.

Todos esses estados são alcançados apenas pela unidade. Isso não se refere às pedras ou a uma localização geográfica, mas à Jerusalém “no coração”. Isto é, refere-se a como construir relacionamentos que são chamados de “trepidação perfeita”, “a cidade perfeita” (Yira Shlema), ou seja, o lugar de unificação entre nós e a força superior, o Criador.

Tudo se expressa por meio da unificação. Isto é, a unificação é a terra de Israel, Jerusalém, o Monte do Templo. Se não há unificação, nenhuma delas existe. Assim, será que estamos realmente na terra de Israel e em Jerusalém hoje?

Falando francamente, não estamos. Por ora, estas são noções meramente potenciais, destinadas a nos direcionar para alcançar sua essência, isto é, a unidade correta. Depois acharemos que estamos na terra de Israel, em Jerusalém, no Monte do Templo.

Baal HaSulam explica que recebemos a terra de Israel por algum tempo, como uma oportunidade para realizar nossa unidade e alcançar a redenção, isto é, a revelação da força superior. A redenção é a liberdade do nosso egoísmo, para cada pessoa individualmente e todos nós juntos. Portanto, o nosso principal trabalho é se unir contra o egoísmo. Então revelaremos Jerusalém em nosso coração, juntamente com todas as outras qualidades mais internas que se revelam dentro dele.

O Rabi Yehoshua Ben Levi disse (Talmude de Jerusalém, Tratado Hagiga): “A Jerusalém construída é semelhante a uma cidade que é unida em um, uma cidade que torna todos de Israel amigos”.

Isso significa que quando alcançamos um estado espiritual chamado Jerusalém, nos tornamos a nação unida de Israel, como um só homem. Isto é o que Jerusalém simboliza, sua essência. Nenhum outro lugar ou nação tem essa abordagem. Isto é porque tudo se revela na nação de Israel somente por meio da unificação, e sem ela, não há nenhuma nação de Israel, nem terra de Israel, nem Jerusalém.

Da 3ª parte da Lição Diária de Cabalá 24/05/17Trechos Selecionados para o Dia de Jerusalém

Sentimentos Do Cabalista

laitman_219_01Pergunta: Quando é que você, como Cabalista, experimenta as experiências mais fortes?

Resposta: Quando meus alunos não entendem a necessidade de se comprometer com o movimento. Essas, provavelmente, são minhas preocupações mais intensas, porque tudo o mais não importa.

Pergunta: Você sente isso como uma traição?

Resposta: Não, geralmente é uma desconsideração. Eles não entendem a importância do avanço espiritual.

Pergunta: E qual é o seu sentimento positivo mais forte?

Resposta: O sentimento de que meus alunos podem estar juntos, que se reúnam internamente em um único desejo, para o qual estão se aproximando.

Pergunta: Isso significa que esses sentimentos não dizem respeito a você pessoalmente, mas a seus alunos, precisamente aqueles em quem você investiu?

Resposta: Pessoalmente, a minha intenção está sempre direcionada à conexão com o Criador, a persegui-Lo, quando Ele está se escondendo de mim e se revelando nas circunstâncias em que eu O faço revelar a Si mesmo. Eu não tenho problemas com isso. Esse é o meu trabalho constante.

Da Lição da Cabalá em Russo 29/01/17

Desejos De Explorar

laitman_571_03Está escrito na Torá: “Quando você sair para a guerra”. Uma pessoa sai para a guerra com seus desejos e examina todos os 613 desejos, revendo-os em si mesma. Isto significa que “Moisés apela ao povo”.

Moisés é o ponto no coração, a única coisa que temos do nível espiritual. Ele também precisa ser corrigido porque Moisés se desenvolveu na casa do Faraó (no egoísmo). Assim, à medida que é corrigido, ele já pode conduzir todos os outros desejos de uma pessoa.

A correção de Moisés ocorre antes da ascensão acima do egoísmo, no Egito, e, portanto, depois de deixar Jetro, ele começa a revelar o Criador.

O Criador lhe diz: “Venha ao Faraó”. Isso significa que Moisés já sente duas forças nele, a qualidade de doação (Criador) e a qualidade de recepção (Faraó), e vive e trabalha entre elas. Desde o momento em que ouve a voz do Criador vindo da sarça ardente, ele começa a agir nessas duas direções.

Uma pessoa, através de seu Moisés, revisa todos os desejos dentro de si mesma e esclarece qual deles deve corrigir e quais devem ser postos de lado para voltar a eles e trabalhar com eles nos diferentes graus.

Portanto, a Torá (da palavra “Oraa“ - “instrução”) é uma instrução para cada pessoa que explica quais devem ser suas ações.

De KabTV “Segredos do Livro Eterno” 19/10/16

Epílogo Ao Dia Em Memória Do Holocausto, Parte 7

400O livro Siah Yitzhak, Parte 2, Volume 1: A essência da criação e escolha, correção, e danos no mundo – tudo isso depende de Israel.

Isso é verdade porque Israel inclui duas forças da natureza: o desejo de desfrutar e a centelha de luz. É por isso que só eles podem entrar em contato com a luz e estender a luz às outras nações.

Israel são aqueles em quem as centelhas de luz apareceram na Babilônia Antiga e aqueles em quem essas centelhas se tornam aparentes somente agora. A centelha pode despertar em qualquer pessoa, no representante de qualquer nação, como ocorreu uma vez com os babilônios, e ele se juntará a este processo também.

Todas as nações do mundo dependem de Israel, e elas devem ajudar os judeus a fim de não apenas odiá-los sem motivo, mas também empurrá-los à correção. Como disse o profeta Isaías, as nações do mundo levarão os filhos de Israel em seus ombros para edificar o Templo. Desta forma, as nações do mundo forçam Israel a começar a correção, mostrando que isso é o que elas esperam deles.

Imagine que a ONU de repente decida emitir sanções contra Israel por não começar a correção, ou seja, o povo de Israel não se unir de acordo com a sabedoria da Cabalá e da Torá, não ensiná-la aos outros e não dar o exemplo. Se estivéssemos unidos, seríamos bem tratados, e se não, seríamos pressionados até que não tenhamos escolha senão fazer correções. Como essa atitude nos ajudaria?

Por que não está acontecendo? Porque todas as nações ainda desconhecem o método da Cabala, incluindo o povo de Israel. É por isso que ninguém, exceto os Cabalistas, entende o que está acontecendo. O mundo deve saber o que significa a lei do desenvolvimento, o que devemos fazer e em que ordem o processo de correção é realizado.

Este processo começa com a cabeça, com os Cabalistas, e depois passa para todos os judeus, e depois ao mundo inteiro. Todos os que podem fazer isso, se juntam a este trabalho; há um lugar para todos. Nosso tempo requer que o mundo avance para a correção; caso contrário, nos encontraremos em uma situação muito mais difícil do que 70 a 80 anos atrás, na época do Holocausto.

Sabe-se que os judeus não perceberam a ameaça e não aproveitaram a oportunidade de mudar seu destino e deixar a Europa. No início, eles até apoiaram a chegada de Hitler ao poder. E hoje, eles apoiam Obama e protestam contra Donald Trump, embora seja óbvio qual dos dois é contra o Estado de Israel e quem é “a favor” dele.

Estes são os sinais do Holocausto que se aproxima. Portanto, é mais importante para nós não pensar no que aconteceu, mas olhar para a frente e pensar no que precisamos fazer para que isso não aconteça novamente. Somente se todos os judeus se unirem, poderemos salvar a nós mesmos. Não devemos chorar pelo Holocausto, mas pelo fato de que somos tão rígidos que não podemos ouvir as advertências dos Cabalistas e evitar o novo Holocausto.

E ele certamente virá, se não desencadearmos forças de misericórdia contra as forças de justiça; isto é, se não nos opusermos ao ódio pela unidade. Agora, o ódio e a separação entre os judeus é mais forte do que em qualquer outra nação. Se os judeus americanos, tanto os apoiadores de Donald Trump como seus oponentes, se unissem, chegariam à correção.

Assim, até o final do Dia em Memória do Holocausto, todos devem sair com um pensamento profundo e uma preocupação no coração: Como posso evitar o Holocausto do meu povo e do mundo? Isso só pode ser feito por meio da conexão entre nós, tornando-se um homem com um coração em doação mútua, de modo que o amor irá cobrir todos os crimes. Nós temos que nos preocupar apenas que o amor se eleve acima de todos os obstáculos. Então o poder da unidade “derramará” do povo de Israel ao mundo inteiro.

Da 2ª parte da Lição Diária de Cabalá 24/04/17, Lição sobre o Tópico: “Dia em Memória do Holocausto”

Shavuot: Para Que A Torá É Realmente Destinada?

A Torá não é um conjunto de regras que devem ser observadas a fim de  apaziguar um Deus temível, nem é uma coleção de contos que podem ou não  ter acontecido.​ Então, para que é realmente destinada?

Como É Que Uma Vida Real Começa?

Pergunta:​ ​Nós vemos o mundo como se estivesse dentro de nós mesmos e tentamos satisfazer os nossos desejos, mas fora de nós não vemos nada, porque parece-nos que estes são os desejos de outras pessoas. A Cabalafar-nos-á sentirmos o mundo inteiro como nossos próprios desejos?

Resposta:​ ​Sim, fará. Além disso, os desejos que vêm até nós como se de fora serão mais significativos para nós do que aqueles que nós sentimos por dentro.

Você começará a sentir os desejos de outras pessoas mais do que o seu próprio. E você sentir-se-á apenas na medida em que é necessário. Você estará em alta, não sentir-se-á sozinho. E quando você pensa: “O que posso dar-lhes?” – então você voltará para si mesmo e começará a procurar internamente o que você pode fazer por eles.

Pergunta:​ Há bilhões de pessoas em torno de um cabalista. Será que ele só pensa: “O que eu posso doar”?

Resposta:​ ​Mas na medida que ele sente como a ​Luz,​ o ​Criador,​ flui através dele. Ele é o condutor que liga o Criador a cada um dos seres humanos. Eles não sentem isso, mas ele faz.

Pergunta:​ Como você pode sentir os outros como seus próprios desejos e ainda mais?

Resposta:​ Você deve perguntar por isto. Este é o começo de uma vida real.  Você aprecia o fato de que você transfere a idéia do Criador a todos; você é Seu condutor. Portanto, você adere a Ele, tornando-se um instrumento em Suas mãos. O Criador está inclusive em Si mesmo. Mas, graças a você, Ele pode chegar a toda  a criatura. Adesão com o Criador é todo o ganho, a recompensa, o tributo.

[206564]

Da Lição de Cabalá em russo 17/3/17

Material relacionado:

Qualquer Um Pode Receber. E Doar?
A Escolha É Sua