Textos arquivados em ''

JPost: “Êxodo – O Segredo De Nossa Nação”

O The Jerusalem Post publicou meu novo artigo, “Êxodo – O Segredo de Nossa Nação

Nesse Pessach vamos dar um golpe final na separação e egoísmo; vamos nos esforçar em nos conectar uns com os outros no coração.

O prato do Seder de PESSACH – nesta Páscoa vamos dar um golpe final na separação e egoísmo.

Em cada Pessach, concentramos nossa atenção na luta histórica entre Moisés e o Faraó, e a escravização dos hebreus. No entanto, a história do nosso povo no Egito é mais do que uma memória coletiva; é uma descrição precisa da nossa situação atual.

O Êxodo é o ápice de um processo que realmente começou quando uma autoridade babilônica chamada Abraão descobriu a razão das desgraças da humanidade e tentou contar isso ao mundo. A Mishneh Torah de Maimonides narra que Abraão era um jovem inquisitivo cujo pai, Terah, possuía uma loja de ídolos no centro de Ur, uma cidade movimentada na antiga Babilônia.

Vender ídolos e amuletos era um bom negócio, mas Abraão estava descontente. Ele percebeu que seus habitantes estavam ficando cada vez mais infelizes. Noite após noite, Abraão ponderou o enigma dos sofrimentos dos babilônios até que descobriu uma verdade profunda: os seres humanos são desprovidos de bondade. De acordo com o livro Pirkei de Rabbi Eliezer (Capítulo 24), Abraão observou os construtores da Torre de Babilônia e viu-os brigando. Ele tentou persuadi-los a parar de lutar e cooperar, mas eles apenas zombaram dele. Por fim, eles lutaram até a morte entre si, e a torre nunca foi concluída.

O aflito Abraão começou a dizer aos seus concidadãos que deixassem seus egos e o ódio de lado e se concentrassem na conexão e na fraternidade. Ele sugeriu que eles se elevassem acima de seus egos detestáveis ​​e se unissem.

Abraão começou a reunir seguidores até que Nimrod, rei da Babilônia, ficou infeliz com a crescente popularidade de Abraão e expulsou-o com sua comitiva da Babilônia.

Vagando para o que viria a ser a Terra de Israel, Abraão e sua esposa, Sara, falavam a qualquer um que quisesse escutar. Depois de algum tempo, a companhia de Abraão contou com dezenas de milhares de discípulos e seguidores.

Maimônides escreve que Abraão doutrinou seu filho Isaque na noção da conexão acima do ódio, Isaque ensinou a Jacó exatamente o mesmo princípio e, depois de algumas gerações, uma única assembleia de pessoas foi criada. Eles ainda não eram uma nação, mas tinham uma forma única de unidade.

Sua “cola” era a ideia de que o ódio só pode ser triunfado ao aprofundar a unidade e o amor mútuo.

O povo de Abraão não tinha afinidade biológica, mas sua solidariedade se fortaleceu dia após dia graças aos esforços de união.

O êxodo dos hebreus do Egito foi a etapa final na forja da nação israelense. Quando eles saíram do Egito, ficaram diante do monte Sinai, cujo nome deriva da palavra hebraica “sinah” (ódio). Moisés, que uniu os israelitas no Egito, escalou a montanha para trazer de volta a Torá – o código da unidade – enquanto o povo de Israel se preparava para recebê-la, se comprometendo a se unir “como um só homem com um só coração”. Com esse compromisso, eles passaram seu teste. Eles foram declarados não apenas uma nação, mas uma encarregada de ser um modelo de unidade, “uma luz para as nações”.

A formação da nação israelense parece narrar a improvável forja de uma nação de completos estranhos.

No entanto, essa história retrata a batalha que todos nós enfrentamos entre o nosso inato ódio ao próximo, e a necessidade de conexão.

O Faraó, a inclinação do mal, transformou o nosso mundo do século XXI em um Egito contemporâneo, onde o egoísmo é rei e o narcisismo é a tendência. Nosso mundo poluído e ferido pela guerra, a sociedade polarizada, a depressão ubíqua e as tendências doentias, como as transmissões ao vivo de suicídio no Facebook, indicam que o Faraó é o rei do nosso planeta e o nosso mundo é o Egito.

Como temos nosso faraó interior, também temos nosso Moisés interior, mas ele não pode ter sucesso sozinho. Sem dirigir todas as nossas forças e desejos para a conexão, permaneceremos no Egito, escravos de nossos egos, e o mundo continuará indo de mal a pior.

Atualmente, nós estamos tão divididos que se tivéssemos que voltar a nos comprometer a ser “como um só homem com um coração” e, assim, nos tornar uma nação, seríamos unanimemente recusados. Nós somos escravos voluntários de nossos egos. O livro Yaarot Devash escreve que a palavra “judeu” (Yehudi) vem da palavra “unida” (yihudi).

Enquanto permanecermos separados, não seremos judeus, assim como não éramos judeus antes de nos unirmos e concordarmos em nos esforçar para amar nossos vizinhos como a nós mesmos.

Este Pessach nos dá um golpe final na separação e egoísmo. Vamos nos esforçar em nos conectarmos uns com os outros em coração. Em tempos difíceis como o nosso, nossa unidade é vital. Ela restaurará a nossa humanidade, nos tornará “uma luz para as nações”, um exemplo de solidariedade e coesão, e nos libertará do flagelo do narcisismo e do resto de nossos males sociais.

Feliz e kosher Pessach, querido povo de Israel.

Meus Pensamentos No Twitter, 07/04/17

twitter

Estar no Egito significa ser governado pelo Faraó, o representante da cultura do ego. (Clipe completo: https://youtu.be/QlnkBJQsapk# Passover2017 (Pessach)

picPassover

Os termos de #Passover (Pessach) são realmente sobre a limpeza de nossos corações, de nossa crueldade e nosso ego. (Clipe completo: https://www.youtube.com/watch?v=cLmkEMaFZIk&t=3s)

picCleaningHeart

Quem é o culpado pela situação na Síria? #SyriaStrikes (clipe completo: https://www.youtube.com/watch?v=KitZdLbhxU4)

picSiria

Do Twitter, 07/04/17

Um Rim Para Uma Criança

laitman_600_02Pergunta do Facebook: Se uma pessoa deu o seu rim para o seu filho, é egoísmo? Ela pensa em si mesma? Se for, eu gostaria que existissem mais egoístas abnegados como esse no mundo…

Resposta: Se estamos falando de um pai e um filho e não há outra maneira de curar o filho, então o pai certamente vai dar o seu rim.

Do ponto de vista da Cabalá, isso não é considerado um ato altruísta, porque todas as ações que estão no nível do mundo material são egoístas. Não importa quão maravilhosas possam parecer, elas não vão além do nosso mundo e não têm nenhuma relação com a qualidade espiritual da doação. E dentro do nosso mundo, é claro, elas podem ser divididas em diferentes níveis.

Pergunta: Se falamos sobre este mundo, você tem um sentimento que, digamos, tal e tal pessoa é amável, fez uma coisa boa, e assim por diante?

Resposta: Eu não vejo isso. Afinal, se falamos da estrutura geral do universo, qualquer ação é avaliada apenas quando se aproxima do objetivo da criação. Portanto, ações boas ou más em nosso mundo e no mundo superior são vistas de forma diferente.

É um sistema completamente diferente no mundo superior; todas as ações são avaliadas de forma diferente. Talvez em nosso mundo alguma ação pareça muito cruel, mas, no mundo espiritual, tem sua própria bela continuação. E vice-versa.

Pergunta: Como Cabalista, o que você considera uma boa ação?

Resposta: Somente aquilo que atrai a humanidade ao seu bom fim.

Pergunta: Mesmo que isso aconteça por meio de sofrimentos?

Resposta: Não é sofrimento se nos aproxima da meta. Se não, então estamos sendo empurrados pelos sofrimentos.

De KabTV “Notícias com Michael Laitman” 01/03/17

A Regularidade Da Felicidade

laitman_549_02Nas Notícias (The New York Times): “Sozinho com seu psiquiatra, o paciente confidenciou que seu recém-nascido tinha sérios problemas de saúde, sua esposa perturbada estava gritando com ele e que ele tinha começado a beber novamente. Com sua vida e o segundo casamento se despedaçando, o homem disse que precisava de ajuda.

“Mas o psiquiatra, Dr. Donald Levin, o parou e disse: ‘Espere. Eu não sou seu terapeuta. Posso ajustar seus remédios, mas não acho que isso seja apropriado.

“Como muitos dos 48.000 psiquiatras do país, o Dr. Levin, em grande parte por causa de mudanças na quantia que o seguro vai pagar, não fornece mais psicoterapia, a forma de psiquiatria popularizada por Sigmund Freud que dominou a profissão por décadas. Em vez disso, ele prescreve medicação, geralmente após uma breve consulta com cada paciente. Assim, o Dr. Levin mandou o homem embora com uma referência a um terapeuta menos dispendioso e uma crise pessoal inexplorada e não resolvida.

“A medicina está mudando rapidamente nos Estados Unidos de uma indústria caseira para uma dominada por grandes grupos hospitalares e corporações, mas as novas eficiências podem ser acompanhadas por uma significativa perda da intimidade entre médicos e pacientes. E nenhuma especialidade sofreu essa perda mais profundamente do que a psiquiatria. …”

Meu Comentário: Tudo se desenvolve sob a influência de economistas porque se considera que a humanidade precisa deles, mas seus cálculos são muito simplistas. Eles vão começar a misturar drogas que evocam a felicidade com água ou qualquer outra coisa e todos vão andar com um sorriso feliz em seu rosto e não vão pensar em mais nada.

Parecerá que tudo está bem: nos tornaremos mais amigáveis, daremos o nosso lugar no transporte público para os outros e poremos fim às guerras. Tudo vai ser ótimo!

Por que não nos comportamos assim? Simplesmente porque há uma força superior que não nos permite fazer isso! Não nos permite fazer isso inclusive agora. Ela é contra isso e não nos permitirá dormir. O Criador continua nos fazendo tropeçar não nos deixando ser felizes.

Pergunta: Para onde Ele está nos empurrando e nos dirigindo?

Resposta: Para a felicidade por meio da vara. A felicidade é um estado em que nos assemelhamos a Ele, o que significa que nos tornamos totalmente diferentes da nossa natureza atual. Nós nos amamos, nos unimos e nos tornamos amigos uns dos outros, dando tudo aos outros. No final, a Luz Superior, seu preenchimento, aparecerá gradualmente em nós de acordo com nossas ações egoístas.

Pergunta: E se fizermos isso sob a influência de medicamentos?

Resposta: O medicamento não vai funcionar e nem você. Esse não é todo o problema, então não seremos capazes de sentir nada. A diferença é que você mesmo tem que querer. Você faria isso por si mesmo se pudesse ao tomar uma pílula, e o problema poderia ter sido resolvido há muito tempo.

Trata-se de um sistema muito complicado que deve descer até nós de cima.

Eu espero que ainda consigamos atraí-lo até nós em certa medida, para que ele caia sobre nós e comece a formatar as pessoas em uma forma semelhante a ele, obrigando-as a serem compatíveis entre si. Então começaremos a sentir até que ponto um novo sentimento pode emergir da compatibilidade mútua entre nós, um mundo infinito, perfeito e eterno que nos mantenha despertando e nos puxando para cima.

Nós temos que agir como criancinhas com olhos bem abertos e não como velhos cansados ​​que dão bicadas com o nariz, como toda a humanidade faz hoje: eles existem e pronto. Eu olho para as pessoas e vejo que todas vivem como se estivessem meio adormecidas, sem escolha. Na espiritualidade há um incentivo totalmente diferente para a vida e vamos mostrar isso às pessoas. Essa é realmente a diferença entre os antidepressivos e o Criador, nosso próprio anseio em avançar, na medida em que você está ardendo de entusiasmo, e não quando a química está empurrando você.

De KabTV “Notícias com Michael Laitman” 28/12/16

Em Um Sistema Firmemente Conectado

laitman_553Pergunta: Será que uma alma que deixa o nosso mundo decide por si mesma quando deve reencarnar em um corpo, ou o Criador decide isso?

Resposta: Uma vez que estamos todos conectados, neste aspecto não temos livre arbítrio. Cada um de nós é uma parte de um imenso sistema fechado geral. Portanto, nossos movimentos são estritamente limitados e estipulados sem exceção. Só podemos alterá-los de positivo para negativo, de negativo para positivo, como em um sistema binário em um computador, nada mais.

Nós estamos inicialmente incluídos em um único sistema e somos completamente interdependentes, como pequenas engrenagens em um único sistema. Portanto, a alma de uma pessoa não pode se manifestar em diferentes estados, está conectada a todas as outras almas.

Desde o início do sistema até seu fim, tudo é predeterminado: quando nascemos, quando morremos, como somos posicionados com outros. A única coisa que podemos fazer é guiar o sistema mais rapidamente para a correção completa de uma boa maneira, através de nós mesmos e através dos outros.

Pergunta: Isso significa que o Criador toma decisões com base nas circunstâncias?

Resposta: O Criador não toma nenhuma decisão. Nós estamos num determinado sistema de leis rígidas do mundo superior desde o início. Ele existe e funciona dentro de si mesmo, de modo que não requer nenhum poder superior único.

Nós elevamos um desejo (MAN) e recebemos uma resposta (MAD) do sistema em conformidade. Isso significa que existimos em relação a um sistema ideal e tudo depende dos sinais que lhe enviamos. Da mesma maneira que influenciamos, recebemos uma resposta.

Esse sistema geral é chamado de Criador. Ele não toma nenhuma decisão porque é absoluto. Tomar decisões é algo que acontece com as pessoas. Nós ativamos o sistema quando nos introduzimos nele como uma unidade constituinte e recebemos uma resposta dele de acordo com a maneira pela qual nos conectamos a ele.

Da Lição da Cabalá em Russo 01/01/17

Se A Vida Não Está Cheia De Significado Eterno…

Dr. Michael LaitmanComentário: Eu estou pronto para viver na face da Terra para sempre em um estado de alta prosperidade. Há muito trabalho a fazer; ele será suficiente por muito tempo ….

Minha Resposta: Você está falando como uma criança brincando que está sendo arrastada para a cama, mas resiste e grita que não acabou de brincar. A humanidade já começou a entender que tudo isso não passa de brinquedos.

Portanto, se a vida não está cheia de significado eterno e equivale à existência do corpo bestial no mundo material, então ela não tem sentido.

Isso pode ser visto na atitude da geração atual para com a vida. Eles tomam drogas e não precisam de nada. Eles estão cansados, não querem trabalhar, e não querem estudar. Talvez eles ainda queiram ganhar dinheiro… mas que tipo de meta é essa? Em última análise, vemos que a humanidade está “marchando” em direção à degeneração.

A sabedoria da Cabalá explica isso como um atraso em nosso desenvolvimento espiritual. Nós, como frutos muito maduros, estamos começando a apodrecer lentamente. Esse é o estado da humanidade moderna.

Portanto, não precisamos pensar em viver para sempre no corpo bestial, mas em como alcançar uma vida real que é eterna, infinita, perfeita e espiritual.

Da Lição de Cabalá em Russo 01/01/17

Homens E Mulheres: As Diferenças No Trabalho Espiritual

Pergunta: A natureza de homens e mulheres é muito diferente fisicamente e psicologicamente e suas raízes espirituais também são diferentes. Podem existir essas diferenças no contexto do trabalho espiritual e unificação, em um grupo de dez homens, em contraste com um grupo de dez mulheres?

Resposta: No trabalho espiritual não existem diferenças entre os grupos de homens e mulheres. A única condição é que as suas dezenas trabalhem separadamente, caso contrário, a atração para o sexo oposto, e assim por diante, pode ser misturada com a Cabalá. É impossível fazer isso de qualquer outra forma. Homens e mulheres devem estar cada um no seu próprio grupo, enquanto estudando em eventos, workshops e em tudo mais.

Pergunta: Como podemos fazer a unidade de todo o mundo se nós separamos os homens das mulheres? Não chegou o momento em que todos nós, homens e mulheres, nos unimos em nosso trabalho espiritual?

Resposta: Quando pararmos de sentir o ego e pararmos com relação aos nossos corpos físicos, em seguida, as diferenças entre homens e mulheres desaparecerão. Após, a atração sexual por mulheres não irá interferir com a nossa realização no mundo superior, porque, então, só isso nos atrairá.

[202406]

Da Lição de Cabalá em russo 30/10/16

Material Relacionado:
Homens E Mulheres Que Estudam Cabalá
Será Que Uma Mulher Precisa De Um Grupo?
Homens E Mulheres No Trabalho Espiritual

Por Que Não Sinto A Luz Superior?

Pergunta: O que é a Luz superior?

Resposta: A Luz superior é a energia que se espalha e preenche todo o volume da criação e nós também a usamos. No momento nós contemos apenas a energia que cada um pode pegar para si mesmo.

Pergunta: Por que não sinto a Luz superior?

Resposta: Porque você não se conecta com nenhuma pessoa em um sistema que pode servir como um sensor da Luz superior. Este sensor é o grupo de dez.

Pergunta: Eu não posso alcançá-la por mim mesmo, de forma independente, caso queira ser feliz mental e espiritualmente?

Resposta: Absolutamente não desde que você não tem os pré-requisitos certos para isso. Como você pode ser espiritualmente feliz se você é um solitário e egoísta?

O termo “felicidade espiritual” refere-se a subir acima de si mesmo, acima do seu estado corporal. Sair de você mesmo significa entrar em outros.

[202420]

Da Lição de Cabalá em russo 30/10/16

Material Relacionado:
Como É Que Se Atrai A Luz Superior?
Como Podemos Atrair A Luz Superior?
Amar Por Meio Do Criador

Nova Vida # 838 – Antissemitismo e anti-Israelismo

Nova Vida # 838 – Antissemitismo e anti-Israelismo

Dr. Michael Laitman em conversa com Oren Levi e Yael Leshed-Harel

Resumo

O estado da nação de Israel depende da conexão entre nós. Isso decorre da forma como a nação foi fundada nos dias de Abraão, era um grupo de pessoas diferentes que se conectaram em torno da ideia espiritual que Abraham revelou.

Ser luz para as nações do mundo significa definir um exemplo de como a nação de Israel vive em conexão e amor acima de todas as diferenças.

[203676]

De KabTV “Vida Nova # 838 – Antissemitismo e Anti-Israelismo”, 14/3/17

icon for podpress Video: Reproduzir Agora | Download icon for podpress Audio: Reproduzir Agora | Download

OBS: Em idioma inglês