A Mistura Das Nações

laitman_747_01Uma pessoa é criada como um egoísta absoluto e sua tarefa é adquirir uma qualidade de doação e amor oposta ao egoísmo. É para isso que serve a Torá, como está escrito: “Eu criei o egoísmo e dei a Torá para sua correção”.

Visto que a Luz da Torá corrige e retorna ao estado correto, devemos usá-la como um instrumento para alcançar a equivalência com o Criador.

Aqui surge o problema: a pessoa usa a Torá para o seu propósito? Infelizmente, vemos que seu verdadeiro propósito é absolutamente esquecido.

A atitude correta para com a Torá não existia por muito tempo, somente quando as pessoas viajavam pelo deserto e realizavam a correção até o nível de doação mútua. Então começou sua correção no nível da recepção mútua, a fim de doar, que é simbolizado pela entrada na terra de Israel.

Foi então que elas construíram o Primeiro Templo – o estado de completa realização mútua. O sistema de conexão integral foi utilizado, o que significa ser como um homem com um coração. Nele, elas revelaram o Criador em toda a Sua glória.

No entanto, assim que alcançaram o estado correto mais elevado entre si, imediatamente começaram a cair, porque o próximo nível de egoísmo surgiu dentro delas, que já não dependia delas. Esse egoísmo estava nas nações do mundo e fora do círculo criado entre os judeus chamado Templo.

Elas não tinham força para resistir, corrigir, unir e absorvê-lo na conexão entre si. Afinal, ele pertencia às nações do mundo que não deixaram a Babilônia com elas, não passaram pelo caminho do sofrimento no exílio egípcio e não fizeram a correção que o povo de Israel realizou durante 40 anos de travessia do deserto.

Os judeus não estavam prontos para passar o método às nações do mundo e absorver seu egoísmo dentro deles mesmos, porque não havia interface e nenhuma inclusão mútua dos diferentes desejos em si. Assim, o povo de Israel começou a cair do alto nível de amor mútuo, a fim de preparar a correção das nações do mundo.

Acontece que essa parte quase completamente corrigida da humanidade tinha que ser quebrada, assim como o sistema chamado “Adão” foi quebrado em seu tempo, para se dissolver nas nações do mundo.

Assim, ocorreu a mistura e absorção mútua de diferentes qualidades. Parte das qualidades (o egoísmo das nações do mundo) entrou nas qualidades corrigidas do povo de Israel, e as qualidades de Israel de doação e amor caíram nas qualidades egoístas das nações do mundo.

Essa se tornou a causa da destruição do Primeiro Templo, que simbolizava o amor. Então a destruição tinha que continuar de acordo com o mesmo sistema como no mundo de Nikkudim, no sistema de Adão e na destruição do Segundo Templo.

Depois da destruição do Primeiro Templo, não havia amor entre as pessoas, mas os vestígios da qualidade de doação continuavam e eram expressos no acordo mútuo e nas leis da comunidade correta. No entanto, após a destruição do Segundo Templo, eles também desapareceram.

Como está escrito: “O povo de Israel caiu do nível do amor para o nível do ódio infundado”. Ao mesmo tempo, eles se tornaram completamente idênticos às nações do mundo e ainda piores do que elas porque as nações do mundo não tiveram a ascensão e a queda, onde todas as subidas anteriores se transformam inversamente em quedas correspondentes: quanto maior a subida, menor a queda.

Portanto, após o colapso final do Segundo Templo, o povo de Israel se encontrava em um estado espiritual mais distante do Criador. A partir desse estado, eles devem começar o caminho de elevação.

Assim, o primeiro movimento foi dirigido para a conclusão da penetração mútua, a difusão das qualidades das nações do mundo com as qualidades do povo de Israel e vice-versa, de modo que nenhuma diferença permanecesse entre eles.

Essa condição, por um lado, foi conseguida através da criação das religiões (judaísmo, cristianismo e islamismo) com a ajuda de várias guerras, ataques, massacres e expulsões de país para país e, por outro lado, a ciência e a cultura, a descoberta de continentes, a grande assimilação e assim por diante pelos judeus.

Tudo isso era para que a dissolução final acontecesse e para que as várias qualidades entrassem umas nas outras. Além disso, não se trata de qualidades físicas e de contatos materiais entre as pessoas, uma vez que os judeus sempre viveram isolados, mas sobre a interpenetração interna e espiritual das qualidades. Talvez, isso foi expresso externamente através de várias ações físicas que são completamente incompatíveis com as espirituais.

A difusão final das qualidades do povo de Israel com as nações do mundo terminou aproximadamente no século XVI, quando o grande Cabalista ARI descreveu o método de correção do mundo e o sistema da condição correta do universo. Portanto, ele é considerado Mashiach (Messias) Ben-Yosef entre os Cabalistas, que é o predecessor do Mashiach Ben-David (Messias)

De KabTV “Segredos do Livro Eterno” 14/09/16

Comente