Textos arquivados em ''

Meus Pensamentos No Twitter, 22/02/17

twitter

Nós estamos emocionados por ter uma enorme delegação da China se juntando a nós na Convenção Mundial de Cabalá.

Pessoas totalmente desconhecidas se conectando na Convenção Mundial de Cabalá 2017 – o maior evento de #peace (paz) do mundo.

A Elite Dominante e o Pseudo-Liberalismo – Uma Combinação Explosiva

haaretz

Do Twitter, 22/02/17

Comida Jogada Fora

laitman_627_2Nas Notícias (Times of Israel): “Israel está jogando fora cerca de 35 por cento dos alimentos que produz, num valor estimado de 18 bilhões de shekels em 2015, de acordo com um relatório divulgado esta semana pelo Leket Israel, o Banco Nacional de Alimento.

“O desperdício de alimentos em Israel tem implicações de longo alcance, especialmente para os 17% da sociedade israelense considerados em “insegurança alimentar” – aqueles que não têm certeza de que vão ter comida suficiente ao longo do mês.

“‘Há coisas que podemos fazer com um esforço mínimo para resgatar comida, mas precisamos ter políticas que direcionem isso, políticas que venham de um nível de governo’, disse Gidi Kroch, CEO da Leket Israel”.

Meu Comentário: Eu acho que é muito mais do que isso. Mas mesmo isso seria suficiente para alimentar todos os necessitados.

Comentário: Muitas medidas estão sendo tomadas para evitar jogar comida fora.

Meu Comentário: Nada vai ajudar com isso ou mortes por acidentes de automóvel, problemas nas escolas, família e todos os lugares possíveis. Somente a ascensão de uma pessoa ao próximo nível de desenvolvimento ajudará a resolver todos os problemas.

As pessoas jogam comida fora porque o que acontece com os outros não importa para elas. Se você soubesse que seus filhos, vivendo a poucos quilômetros de você, estivessem agora morrendo de fome, não lhes traria comida?

Falta-nos a sensação de que somos uma família. Portanto, é necessário reavivar esse sentimento entre nós. Assim, haverá abundância de tudo para todos. Caso contrário, não será possível resolver esse problema.

Não estou dizendo que é necessário correr e distribuir comida. Mas qualquer um voluntariamente deixaria de lado todos os seus excedentes. Então, isso não é sequer compartilhar com alguém, mas simplesmente dar-lhes o excedente que estamos jogando fora.

Então tudo estaria bem e racional com respeito à comida. Não podemos imaginar a quantidade de comida que é jogada fora em lojas, supermercados, salões de casamento e restaurantes. Nós jogamos fora mais do que comemos.

Isso significa que devemos organizar sistemas de distribuição especiais. Então as pessoas não vão morrer de fome e sempre haverá o suficiente para todos.

Se sentíssemos que aqueles que estão com fome fossem nossos parentes, isso nos levaria a colocar nosso excedente de lado e criaria um sistema para coletá-lo e distribuí-lo. O mesmo poderia ser feito com roupas e tudo o mais, ou seja, os imensos excedentes de produtos que fabricamos.

É possível alcançar esse sentimento somente quando começarmos a implementar a grande regra geral: “E amarás o teu amigo como a ti mesmo” (Levítico 19:18), ou pelo menos quando sentirmos que somos um só povo.

Mas nós só podemos conseguir isso com a ajuda de uma reeducação séria e de nenhuma outra maneira. É impossível resolver problemas como esses de forma diferente. Nós devemos falar e escrever tanto sobre isso de modo que todos entendam como estão vivendo e quem eles são. Então será mais fácil explicar às pessoas que precisamos fazer algo sobre nós mesmos.

De KabTV “Notícias com Michael Laitman” 11/01/16

Onze Anos Após Arosa, Parte 5

laitman_293De “A Crise e Sua Solução”, Fórum de Arosa 2006

Altruísmo – O Princípio da Vida

Se explorarmos o princípio do altruísmo na natureza, descobriremos que ele é a base de toda a vida. Todo organismo vivo é composto por uma pluralidade de células e órgãos que trabalham em conjunto, complementando-se mutuamente. Nesse processo, eles são obrigados a conceder, influenciar e ajudar uns aos outros. A lei de integração de células e órgãos de acordo com o princípio altruísta “um por todos” é eficaz em todo organismo vivo.

A lei do desenvolvimento evolutivo obrigou as partículas elementares a se conectarem em átomos, moléculas e, depois, em células orgânicas vivas que são capazes de se reproduzir por si mesmas de acordo com um programa intracelular. As células vivas têm o desejo de se reproduzir e criar organismos mais complexos, e tudo isso acontece devido à conexão.

As conexões tornam-se mais extraordinárias. Dentro de organismos vivos, ocorrem processos com os quais o ser humano não concordaria. Por exemplo, uma célula está pronta para morrer, a fim de abrir espaço para novas células, ou servir de alimento para outras células, e assim por diante. Isto é, no processo de desenvolvimento, as ações altruístas são realizadas por parte da natureza quando a pessoa cuida de todo o ambiente em geral.

Por exemplo, as células do corpo humano existem em um sistema e são totalmente subordinadas a ele. Não é porque ele tem um poder sobre elas, mas porque cada célula pequena, de acordo com seu programa interno, procura unir o sistema. Para elas, a lei do sistema, da conexão geral, é o ativo principal e mais importante.

Elas mesmas estão dispostas a viver ou morrer – não importa para elas. O sentimento da lei do sistema em que existem é maior para elas do que sua própria existência material. Uma célula se mata para dar lugar a uma nova vida, e com isso se conecta ao processo geral ou ao programa geral.

Em termos do programa geral, essa célula não morre, mas continua precisamente vivendo devido ao fato de que forneceu o lugar para as novas células vivas.

Alegadamente, ela não se conforma com o fato de que toda a natureza é baseada no egoísmo. A conexão sempre envolve concessões e anulação, e quanto mais complexo for o composto vivo, maior anulação requer.

Quando as células vegetais e animais não-vivas se conectam, as concessões não são resultado de um cálculo egoísta primitivo, mas de um desejo de vencer em um nível mais alto do que o visível para nós. Uma célula, ao se anular, dá vida a células mais complexas que aparecem em seu lugar e por meio delas recebe uma nova existência no nível superior.

Dessa forma, o material não-vivo é transformado em uma planta, uma planta em um animal e um animal em ser humano. Em cada etapa, a matéria se torna mais complexa, e essa organização elevada só é possível devido à anulação em prol da conexão. Dessa forma, as conexões tornam-se mais qualitativas. Elas não têm cálculos egoístas da existência anterior, mas apenas se preocupam com a conexão superior.

O peixe vai desovar e morrer em prol da futura prole. Os biólogos pensam que esse é um instinto cego, mas a natureza não mata exatamente assim. Devido à morte do nível inferior, a vida no nível superior nasce.

Por meio do auto sacrifício no estágio anterior, uma combinação mais complexa e avançada aparece a tal ponto que mesmo os materiais não-vivos convencionais se tornam radioativos e emitem partículas. Qualquer composto químico, mesmo os átomos simples de hidrogênio e oxigênio, é baseado em concessões mútuas onde cada um sacrifica sua independência para se conectar.

Se o material se decompõe, isso significa que ele é mais estável nesta forma do que conectado. Essa é a essência de todas as reações e processos químicos. Um composto mais complexo é um ganho mais valioso. Este é o processo de desenvolvimento que eleva a natureza a um nível mais altamente organizado, cada vez exigindo um sacrifício mais significativo.

Portanto, o altruísmo é o princípio da vida, porque sem ele, a conexão ao nível das partículas elementares, dos átomos, moléculas ou quaisquer organismos, seria impossível. Não haveria seres vivos complexos e somente devido à organização complexa temos sentimentos e inteligência.

Todas as formas altamente organizadas de vida que exigem a capacidade de combinar e se comparar umas às outras são baseadas em anulação e conexão, bem como em auto sacrifício em prol de um estado superior.

Da 3ª parte da Lição Diária de Cabalá 11/01/17, Lição sobre o Tópico, “Mismah Arosa“, (Documento de Arosa)

Vida Nova # 397 – Construindo Uma Comunidade Na Era Do Eu

Nova Vida # 397 – Construindo Uma Comunidade Na Era Do Eu
Dr. Michael Laitman em conversa com Oren Levi e Tal Mandelbaum ben Moshe

Resumo

Como podemos conhecer o “eu” (self) por meio da educação comunitária e como aprendemos a administrar nossas vidas da melhor maneira possível por meio de nossas relações com o ambiente?

Todo mundo é individualista, mas hoje nós estamos todos conectados. Nós temos que desenvolver a educação comunitária. A vida na comunidade certamente pode nos poupar muito dinheiro e esforços, mas ninguém quer se aproximar dos outros.

O objetivo da educação comunitária é desenvolver a capacidade de se conectar com os outros, a capacidade que tivemos quando crianças. Um grupo educacional ainda não é uma comunidade. Uma comunidade refere-se à conexão entre as pessoas.

Se todos saírem do seu canto, podemos transformar qualquer bairro simples em um bairro de prestígio.

De KabTV “Nova Vida # 397 – Construindo Uma Comunidade Na Era Do Eu”, 05/06/14