Por que O Islã É Tão Popular?

Laitman_049_01Pergunta: O Islã (islamismo) é a religião mais nova, classificada em segundo lugar, ou talvez agora até mesmo em primeiro lugar, depois do cristianismo pelo seu número de seguidores. O que torna essa religião popular?

Resposta: A Cabalá salienta explicitamente que no fim dos dias do mundo, antes dele começar a se aproximar de sua correta conclusão, a integração global, haverá um período em que o Islã se tornará a religião mais forte ou o movimento mundial mais forte.

Isso foi escrito há milhares de anos pela Cabalá! Guerras ideológicas serão travadas de forma contínua, com ações militares as acompanhando. Afinal de contas, a espada está representada na bandeira islâmica por uma razão.

Pergunta: De onde vem a popularidade da religião do Islã?

Resposta: Sua popularidade se deve ao fato de que o Islã une todos os seus apoiadores e está em conformidade com as massas. Essa religião tem um conjunto de todas as variações possíveis, a fim de se juntar a qualquer ambiente ou movimento. Portanto, o Islã é muito amplo.

Pode-se dizer que o Cristianismo também é muito fragmentado. Realmente, mas é uma religião mais velha. Longe vão os dias das Cruzadas, as guerras religiosas que se alastraram uma vez na França, Alemanha e Inglaterra, entre a Áustria e a Espanha, e assim por diante. Tudo acabou muito rapidamente porque a ciência estava se desenvolvendo nesses locais afetada pela Inquisição, em paralelo a ela e lutando com ela.

É diferente com a mentalidade árabe. O Islã é basicamente uma religião dos habitantes pobres e despretensiosos dos desertos e regiões como Oceania, Indonésia e África. Ele se dirige às pessoas simples, despretensiosas e tacanhas. Ele pode lhes dizer muito a esse respeito. Afinal, o que elas precisam observar? Namaz e praticamente nada mais.

Por outro lado, eles recebem suporte em todo o mundo. Hoje nenhuma religião e nenhum movimento tem o poder de resistir a isso porque eles são decrépitos. Precisamente sobre esse pano de fundo surge o Islã moderno.

Nós devemos entender que esse não é o Islã que durante séculos esteve em um estado adormecido na Arábia, norte da África e desertos asiáticos até o Afeganistão e mais além. Esse é um tipo diferente de Islã.

O verdadeiro Islã é o Sufismo que fala sobre a unidade e igualdade e é reflexo do judaísmo.

No entanto, hoje o Sufismo está completamente esmagado e é impopular. Os sufis foram forçados a deixar os países árabes e se mudar para outros lugares. Eu me encontrei com alguns na América, Holanda e Inglaterra. Infelizmente, a Cabalá árabe chamada de “Sufismo” desapareceu. Na superfície se eleva o espírito agressivo da conquista, apoiado por uma ideologia especial que quer que o mundo aceite o Islã de qualquer forma.

Pergunta: Será que tem que ser dessa maneira do ponto de vista da Cabalá?

Resposta: Não. A sabedoria da Cabalá descreve a trajetória histórica de todas as nações e religiões. Na sabedoria da Cabalá está escrito que mesmo o Judaísmo negou e rejeitou a sabedoria da Cabalá e tornou-se uma religião que congela seus adeptos, o Cristianismo desaparecerá gradualmente, enquanto o Islã, que ficou adormecido por muitos anos do século VII d.C. até hoje, deve especificamente “incendiar-se” hoje em dia, e depois de certo período de tempo vai desaparecer como o resto das religiões.

Afinal, nenhuma delas está envolvida com a descoberta do mundo superior, de modo que a humanidade em desenvolvimento não pode obter nenhuma satisfação através delas. Nós já estamos chegando a isso.

No futuro, veremos que todas as religiões desaparecerão e, em vez delas, a humanidade descobrirá o verdadeiro estado do universo, ou seja, a sua relação e conexão com a força superior, na forma de realização absoluta.

De KabTV “Notícias com Michael Laitman” 26/09/16

Comente