Para Onde Que O Programa De Desenvolvimento Nos Conduz? Parte 2

Laitman_712_03A Cabalá mantém que todo o desenvolvimento humano anterior foi planejado de acordo com o programa embutido na natureza. Na nossa geração, os Cabalistas estão obrigados a entregar esse conhecimento a todas as pessoas e ensinar-lhes o que precisa ser feito.

A Natureza manifesta sinais de que a hora chegou e que a revelação do método que explica o verdadeiro programa de desenvolvimento tem que ir junto com esse processo, não atrás.

O método da Cabalá já existe há quase 6000 anos, mas os Cabalistas de todas as gerações anteriores esperaram o momento em que seria possível revelar sua finalidade porque seus contemporâneos ainda não estavam prontos para a sua revelação.

Baal HaSulam iria revelá-lo no meio do século passado, quando começou a publicar o jornal “A Nação” e outros artigos escritos para a geração mais jovem, para os círculos mais amplos. Mas ele houve uma forte resistência e o jornal foi fechado. Isso fez com que Baal HaSulam concluísse que a geração ainda não estava pronta, e ele parou esse trabalho.

Mas nós já vivemos na próxima geração. Baal HaSulam indicou que a partir de 1995 a sabedoria da Cabalá deve ser revelada a todos. Desde então nós realmente começamos a espalhá-la usando todos os meios possíveis e continuamos fazendo isso até hoje.

Apesar de nossos muitos adversários, não temos escolha: o desenvolvimento da humanidade e as diretrizes vindas de Cima formam o próprio programa da natureza, da força superior, nos obriga a agir e a espalhar a sabedoria da Cabalá em todo o mundo o mais amplamente possível.

Pergunta: Para onde exatamente o programa da natureza nos leva, a que estado?

Resposta: O programa de desenvolvimento tem que nos levar à unidade, para que a humanidade assuma a forma de um círculo. Nele todos serão iguais e conectados como um homem com um coração. Este estado tem que ser revelado a todos como a forma futura da humanidade.

Pergunta: Será que essa forma de círculo afeta a insatisfação que as pessoas sentem hoje em dia, quando aparentemente têm todos os bens materiais, mas a alma ainda sente falta de alguma coisa?

Resposta: Está faltando o mais importante: o sentido da vida, o seu objetivo e sabor. Nenhuma riqueza material pode compensar isso. Obviamente, se uma pessoa é colocada na situação em que lhe faltam as necessidades básicas, ela vai primeiro se preocupar com o seu pão de cada dia.

Mas assim que ela preenche suas necessidades, a pergunta sobre o sentido da vida desperta. Assim que ela sentir que tem o que comer, beber e vestir, vai imediatamente a se perguntar: “Para que serve tudo isso?”

Pergunta: Essa é uma pergunta que distingue o homem do animal. Por que ela aparece em nós e para onde tem que nos levar?

Resposta: Essa pergunta deve nos levar a um maior desenvolvimento até o nível humano. O ser humano é o único que se conecta com outras pessoas subindo acima do seu egoísmo. O egoísmo indica precisamente os lugares que precisam ser corrigidos, sem erradicar o nosso egoísmo, mas sim subindo sobre ele e cobrindo todos os crimes com amor.

É assim que chegamos o “ama ao próximo como a ti mesmo” e a um nível completamente diferente da vida: o nível espiritual, Nós não vivemos por meio de nosso corpo animalesco, mas por meio de um espírito como é esperado do homem.

Essa transição ainda não está clara para as pessoas. É como um novo nascimento que acontece conosco no mundo espiritual e pelo qual temos que passar. Eu os previno de antemão que não é nada fácil.

É por isso que o método que nos ajuda a conectar é revelado. Conforme os nossos esforços a força superior, a força de unidade e integração, nos influencia e une. E quando nos unimos, acima do egoísmo que nos separa, sobre a diferença desses dois absolutos, as forças de separação e as forças de unidade, nós sentimos uma nova vida.

Pergunta: Como isso vai afetar a percepção pessoal?

Resposta: Todo mundo vai se sentir em um grau diferente de vida, como que existindo no reino espiritual, acima das restrições corporais. O nosso corpo animal existe na estrutura do tempo, movimento e espaço. Ele depende da realização e da preocupação constante sobre como se preencher, bem como a forma de procriar de geração em geração. Ele está sujeito a todos os instintos naturais inerentes aos animais.

Homem sobe acima deles e torna-se livre dessas preocupações, cuidando apenas de como chegar ao crescente poder de conexão.

De KabTV “Nova Vida”, 06/09/16

Comente