Atitude Da Cabalá Para Com As Religiões

laitman_283_01Pergunta: Eu sou estudante do Rav há cerca de oito anos. Eu o respeito, sou grato por seus ensinamentos e procuro implementar os ensinamentos e seu conselho o melhor que posso, como os outros alunos do Rav.

Criado como muçulmano, ultimamente também tenho tido muita preocupação com a conversa sobre a fé muçulmana, as perguntas feitas e as respostas do Rav a elas sobre o perigo do Islã e os muçulmanos. Eu não acredito que Rav seja contra o Islã ou contra qualquer fé. Eu confio no Rav, mas não posso parar de sentir dor sempre que o assunto vem à tona e a discussão em torno dele.

Não tenho a certeza que a resposta de Rav sempre seja percebida corretamente pela maioria dos seus estudantes e o público; alguns dos estudantes dedicados do Rav se se descobrem como contra os muçulmanos, eu devo dizer.

Eu não sou um muçulmano praticante, mas conheço um monte de muçulmanos, incluindo a minha própria família, que são boas pessoas, praticando a sua fé da melhor maneira possível sem sentir ódio e malícia para com os outros.

Os estudantes do Rav criados como muçulmanos assumem vários riscos ao seguir os ensinamentos da Cabalá, e eu tenho certeza que o Rav está ciente disso. Eu não sei qual é a solução, mas certamente dar a impressão não intencional que uma religião é mais prejudicial do que outras não pode ser muito útil.

Desejando sempre boa saúde e sucesso ao Rav.

Resposta: A Cabalá não é contra as religiões, pois todas surgiram dela. Baal HaSulam escreve que mesmo com o fim da correção da natureza humana, há lugar para todas as religiões.

Eu sou apenas contra a distorção das religiões que vemos hoje: o judaísmo se transformou apenas em um método para realizar ações mecânicas, o cristianismo se envolve em decorações puramente externas, e o Islã demonstra seu ódio a todos e em tudo.

Na verdade, a fonte de todas as religiões, a Cabalá (ver artigo do Baal HaSulam “A Essência da Religião e Seu Propósito”), conclama todas as nações do mundo apenas à unificação e o amor acima do nosso egoísmo.

A prática do Islã de hoje é o ódio ativo e assassinatos. Ao mesmo tempo, eles expulsaram os Cabalistas do Islã, os Sufis, de seu ambiente. Eu me reúno com eles apenas no seu exílio dos países árabes. Portanto, eu não posso odiar o verdadeiro Islã, mas apenas aqueles que o distorcem hoje e o transformam em prática de ódio para com todas as pessoas de outras religiões, até mesmo dentro do próprio Islã.

Comente