Um Por Cento Que Fez Um Ser Humano A Partir De Um Macaco, Parte 2

Laitman_182_02O objetivo final da evolução, o seu programa, permanece escondido de uma pessoa. Todo mundo ingenuamente acredita que sabe para onde está indo, ou simplesmente não quer saber. As pessoas já estão desapontadas com toda essa vida e preferem seguir o fluxo passivamente – hoje é igual a ontem, até que a vida termina.

Nós geramos a próxima geração sem pensar no seu significado, mas simplesmente cumprimos o programa embutido em nós. Ninguém pode responder porque precisamos dessa vida que não é fácil, e por que toda essa corrida? Nenhuma resposta, nós preferimos não pensar nisso.

A força protetora do corpo suprime essa pergunta e não nos permite pedir muito. Apesar de tudo, esta questão nos reduz a um grau inferior ao dos animais. Os animais não têm esta pergunta; eles agem automaticamente de acordo com seu programa natural. Mas as pessoas não podem viver assim, elas perguntam, e não conseguem encontrar uma resposta.

É por isso que essa questão é muito deprimente para nós; ela nos mostra a nossa própria insignificância e inutilidade. Os animais não fazem perguntas, simplesmente vivem. Os seres humanos, no entanto, tentam descobrir que força nos anima e por que somos do jeito que somos? Não sabemos a resposta, e ainda temos que continuar a viver e realizar o programa de alguém.

Essa é uma forma muito humilhante da vida que nos traz muito sofrimento. Se nos compararmos com um macaco, veremos que ele é muito maior do que um ser humano. Apesar de tudo, um ser humano sabe que a sua vida não tem sentido e, no entanto, continua a viver. Ele cumpre o programa da natureza que é imposto a ele. Um macaco, no entanto, não sabe nada sobre isso e, portanto, vive em harmonia com natureza. Com cada ação que realizo na ordem da natureza, eu confirmo que sou pior do que um macaco, uma vez que não entendo, mas mesmo assim atuo.

Portanto, hoje em dia uma pessoa perde a paciência e pergunta: “Quanto tempo vai continuar assim? Por quê? Para que serve esse sofrimento?” Se eu não tivesse sofrido, iria viver minha vida de alguma forma. Mas o problema é que nós sofremos o tempo todo, desde o nascimento até a morte, e hoje esse sofrimento aumenta cada vez mais.

Parece que temos tudo, mas a pergunta sobre o sentido da vida desperta cada vez mais nos forçando a uma depressão profunda. Pessoas pobres e patéticas são menores do que as formigas, porque todas as criaturas agem instintivamente, sem pedir, em pleno acordo com a natureza.

E em nós a natureza deixou uma pergunta, como se zombando de nós. Ela nos faz obedecê-la completamente, ri e diz: “Olha o que estou fazendo com você, e você não tem para onde fugir!” Acontece que nós simplesmente devemos responder à pergunta sobre o sentido da vida.

Um por cento da diferença genética entre um humano e macaco são apenas diferenças externas. A pergunta sobre o sentido da vida não está nesse um por cento. Os animais também diferem entre si geneticamente, de modo que esse não é o motivo. A razão é que essa questão vive no ser humano e evoca nele uma grande necessidade de saber qual é a base da vida, a causa dela, e a finalidade para a qual vivemos? Nós apenas temos que encontrar a resposta.

De KabTV “Nova Vida” 06/09/16

Comente