Um Por Cento Que Fez Um Humano A Partir De Um Macaco, Parte 3

Laitman_088Pergunta: Não é por acaso que o nível humano é chamado de “falante” na Cabalá, já que o discurso é o que distingue os seres humanos dos animais. Nós podemos falar, expressar nossos desejos e pensamentos. No entanto, verifica-se que os animais e, especialmente, os macacos, também têm sua própria linguagem. Como isso difere da linguagem humana?

Resposta: Os animais têm suas próprias linguagens no âmbito necessário para as suas vidas. Eles não sentem a necessidade de mais nada.

A linguagem animal passa entre cada um todas as informações relevantes para a sua vida, existência e para a manutenção das relações entre eles. Enquanto que, para as pessoas, a coisa mais importante é transmitir informações entre si sobre o nosso desenvolvimento.

É por isso que a linguagem humana deve ser muito rica e complementada com fotografias, desenhos, escrita, todos os tipos de caracteres, cantos e a transferência de informações através de cartas escritas e outros tipos de memória.

O nosso desenvolvimento nos obriga a isso. Um animal é ligado ao atual momento em que se vive agora. Um ser humano, no entanto, sente a conexão com o passado e o futuro, e, portanto, requer algum tipo de adição à sua memória que irá ajudá-lo a armazenar a informação e passá-la de uma geração para outra e dentro de algumas gerações. Essa é a única maneira dele poder avançar.

Embora essa não seja a coisa mais importante em um ser humano. Nós ainda não tocamos a principal diferença entre um ser humano e um animal, que é o seu destino especial e elevado. Até agora estamos discutindo somente coisas que nos distinguem dos animais nessa vida material: linguagem, cultura, educação, construção da sociedade humana e do governo com todos os seus sistemas.

Tudo isso foi desenvolvido por pessoas e organizado naturalmente, e está presente em diferentes culturas: na América do Sul, China, África e Oceania.

Mas o destino especial do ser humano é atingir o nível humano, que é chamado de Adão (homem). Esse não é um animal apenas um pouco mais desenvolvido. Toda a vida humana que o eleva acima do nível animal é para conhecer a fonte da sua vida, a sua causa e efeito.

Estas são as perguntas que separam o homem de qualquer animal, incluindo o chimpanzé. Um macaco não se pergunta sobre o sentido de sua vida e, portanto, não se desenvolve. E o ser humano sim, e essa questão o obriga a criar religiões, crenças, contato com forças ocultas, procurar algo que exista fora deste mundo, vida em outros planetas, e pensar no que vai acontecer com ele após a morte.

Uma pessoa é extremamente preocupada com essas questões. Ou seja, ela não está conectada apenas ao momento atual, a essa vida física, material. Pelo contrário, está pronta para dedicar sua vida inteira a descobrir com quem está realmente conectada. Quem é ela? Quem a controla e obriga? Para que está vivendo? Que programa é esse que constantemente a força a se desenvolver e faz com que ela pergunte sobre o propósito da vida e seu significado?

Essa parte da pessoa se desenvolve cada vez mais e exige uma resposta.

De KabTV “Nova Vida” 06/09/16

Comente