O Risco De Catástrofes Globais

laitman_222Comentário: A Fundação Sueca Desafios Globais, em colaboração com o Projeto De Prioridades Globais da Universidade Oxford, divulgou recentemente um relatório sobre a questão dos riscos de catástrofes globais. O relatório descreve os principais fatores de risco que poderiam ameaçar seriamente o nosso modo de vida no planeta nos próximos cinco anos como base para a política de gestão de risco dos governos.

Portanto, quais são as catástrofes globais que temos maior risco a partir de agora? Segundo o relatório, ainda hoje o maior risco são as pandemias tanto naturais como as projetadas por seres humanos, e a perspectiva de guerras nucleares. Outras ameaças de alto risco são as mudanças climáticas catastróficas, ser atingido por um asteroide como o que dizimou os dinossauros. Terremotos globais ou rupturas pela inteligência artificial são considerados eventos de baixo risco, pelo menos no curto prazo. Os autores do relatório dão um peso considerável a fatores desconhecidos para os quais parece ser mais difícil se preparar, mas que certamente aumentam o nível de risco (Global Catastrophic Risks).

Nenhum dos especialistas acredita que o maior risco para a humanidade seja a separação e desunião entre as pessoas

Resposta: Infelizmente, não estamos tentando resolver o problema no nível das relações humanas. Essas relações são a base de todos os fenômenos negativos, incluindo o impacto de asteroides e erupções vulcânicas. Há estudos hoje que provam e verificam o fato de que diferentes conexões mentais mútuas afetam nosso ambiente, mas estes estudos são poucos, e, por enquanto, não vemos todas as conexões na natureza.

A humanidade entende que é impossível mudar a natureza humana e que devemos procurar a solução em outros planos, porque é impossível exigir que uma pessoa seja melhor para com os outros, ou se anule e suavize suas más relações mútuas para com os outros, porque essa questão ainda está fora de cogitação.

“O que vocês podem oferecer especificamente, acrescentar, para nos mudar?” Isto é o que as pessoas perguntam aos cientistas, cientistas políticos, sociólogos e filósofos. “Vocês ainda não podem fazer nada por nós; é impossível”.

Suas reivindicações são totalmente justificadas e baseadas em uma perspectiva muito realista do que está acontecendo, porque a única força que muda o homem é a força superior. Ninguém pode chegar perto dessa força. Ela só funciona quando se utiliza a sabedoria da Cabalá. Tudo o que temos a fazer é entender que há um método que pode mudar a nossa natureza.

Portanto, a sabedoria da Cabalá deve ser revelada às pessoas para explicar-lhes que não há outro caminho, nenhum dos truques irá produzir o resultado desejado porque todos os truques que temos são apenas um caminho para a decepção que tivemos no passado.

Apenas a força superior que criou o ego humano pode mudá-lo para a força oposta, o altruísmo, o amor. O egoísmo humano é pedra no caminho do mundo. A humanidade já percebeu que é necessário agir de outra forma. Se permanecermos dentro da estrutura das soluções humanas, sem a ajuda da força superior, não seremos capazes de avançar. Mesmo se tentarmos melhorar, votarmos pelo desarmamento, corrermos para o espaço exterior e explorarmos a lua, a humanidade não vai mudar.

Pergunta: É possível levar a humanidade a um impasse de modo que ela sinta a necessidade da sabedoria da Cabalá e comece a trabalhar com ela, assim como Newton fez em seus dias? Afinal, ele sentiu que havia verdade nela.

Resposta: Ninguém pode fazer isso, exceto os Cabalistas. Nós temos que disseminar a sabedoria da Cabalá, e no caminho vamos encontrar pessoas que estão muito decepcionadas com a vida. Embora elas não possam compreender o nosso método, vão querer realiza-lo, porque não há outro caminho. A ideia da sabedoria da Cabalá é basicamente comunista. E hoje não só nós, mas também o mundo está avançando em direção ao mesmo princípio. O comunismo e o socialismo não são mais palavras obscenas. Há muitos socialistas hoje na América e na Inglaterra, e o único perigo é que o despertar do socialismo se transforme em socialismo nacionalista, em fascismo.

Fascismo deriva da palavra “fascio em italiano, que é um método que une as pessoas, mas as une contra outra coisa. Nós estamos em uma encruzilhada e temos que escolher que caminho tomar, se o caminho para o socialismo e o comunismo, o caminho da fraternidade que une o mundo acima de todas as diferenças, ou o socialismo dentro de um estado independente que tem a intenção de derrotar e escravizar outros. Esse é o problema que o mundo enfrenta novamente, assim como no início do século XX. Esperemos que quando se tratar do nazismo as pessoas sintam que há uma alternativa para não voltarmos ao mesmo ciclo vicioso.

De KabTV “Notícias com Michael Laitman” 01/05/16

Comente