Nova Vida # 436 – Rosh Hashaná

Nova Vida # 436 – Rosh Hashaná
Dr. Michael Laitman em conversa com Oren Levi e Yael Leshed-Harel

Resumo

De acordo com a sabedoria da Cabalá, Rosh Hashaná (Ano Novo Judaico) é o início de uma mudança. Qual é a mudança? Qual introspecção vamos fazer neste feriado, e como uma pessoa se torna compatível com o sistema da natureza que opera no mundo?

Um novo começo se inicia pelo resumo do ano que passou, por encontrar o mal em nós no que diz respeito ao amor. É um autoexame como se eu me dirigisse à força superior cuja natureza é amor e doação. “Para que possamos ser cabeça e não cauda” significa que não vamos encontrar golpes sem entender o porquê, que devemos avançar por nós mesmos rumo ao amor. A natureza tem um plano para levar todos nós a um estado de doação mútua, conexão e equilíbrio para sermos como um só homem.

Nós podemos corrigir nossa atitude para com este plano a cada dia. Nós não precisamos esperar Rosh Hashaná. O “dia do juízo” refere-se ao programa evolutivo da natureza chamado Deus. Eu posso transformar o juízo em misericórdia. Pelo o que sou julgado? Até que ponto posso me opor ou apoiar o programa de desenvolvimento, como um programa de computador. Nós temos que fazer esse autoexame a cada dia, mas Rosh Hashaná é uma espécie de símbolo geral.

Eu não posso afetar esse programa pessoalmente, mas apenas corrigir a minha atitude para com os outros. O objetivo do nosso desenvolvimento é a conexão, amar ao próximo como a nós mesmos, e não fazer aos outros o que é odioso para nós. A nação de Israel tem de realizar este autoexame uma vez que ela deve levar o mundo inteiro à correção.

O Shofar, a romã, a maçã mergulhada no mel, e a cabeça de peixe, todos simbolizam a mitigação dos Dinim (julgamento), respeitando a doação em vez da recepção. Coroar o rei significa que o objetivo do nosso desenvolvimento deve nos levar e que devemos ser como um feixe.

Ser selado e assinado no Livro da Vida significa que estamos todos conectados em uma rede. Estabelecer uma conexão com os outros é ser selado e assinado no Livro da Vida. Uma pessoa sela sua própria sentença, uma vez que isso cabe a ela e à sua atitude para com os outros na rede. A fim de ser selada e assinada no livro dos justos, a pessoa tem que aprender as leis do sistema, que são pura doação.

De KabTV “Nova Vida # 436 – Rosh Hashaná“, 28/09/14

Comente