Homem E Mulher – Um Ímã Entre Eles, Parte 2

Laitman_511_01Pergunta: O que determina os desejos de uma pessoa? Homens diferentes gostam de mulheres diferentes, e mulheres diferentes gostam de homens diferentes. Por que isso acontece dessa forma?

Resposta: Isso é menos evidente nos animais, porque eles sentem exatamente o que é mais adequado para eles. O macho escolhe a fêmea saudável capaz de dar à luz a prole saudável. E as fêmeas também escolhem um companheiro na mesma base: o mais forte e mais saudável que pode produzir filhotes saudáveis ​​e proteger a família.

Na verdade, as pessoas, inconscientemente, são guiadas pelos mesmos princípios. Embora nos pareça que isso não é assim e nós nos escondamos atrás de palavras bonitas, a nossa atração pelo outro é principalmente devido a isso.

E uma vez que existem quatro níveis em cada criatura: inanimada, vegetal, animal e humana, todas as pessoas são divididas em quatro tipos de acordo com o seu carácter: sanguíneo, fleumático, colérico e melancólico. Isso também influencia a escolha de um parceiro.

Na sociedade humana, essa escolha é afetada por muitos fatores: educação, hábitos e pertencer a uma nação e cultura específica. Portanto, o desejo natural de uma pessoa é muito disfarçado. Se retirarmos todas as influências externas, cada um vai escolher uma mulher que seu corpo necessita, que também é adequado para ele em caráter.

Um parceiro adequado é alguém que me completa. Ou seja, eu sinto que estaria bem com ele. Afinal de contas, vamos viver juntos por um longo tempo, ao contrário dos animais que se encontram apenas por um curto período de tempo para produzir descendentes.

Um homem e uma mulher criam uma família para passar uma vida juntos, o que inclui tudo: educação, cultura, trabalho, criar uma casa, criar filhos e netos. Isso nos une em tais formas de conexão que nós não escolhemos um parceiro de acordo com o chamado interior da natureza e de acordo com os instintos naturais.

Nós seguimos as opiniões geralmente aceitas, padrões e formas que variam em cada geração. Ao longo da história humana, acreditava-se que uma mulher atraente devia ter uma imagem cheias e ser de pequena estatura. E hoje, ao contrário, todo mundo gosta das mais altas e magras. Essas são qualidades externas, mas os requisitos internos para uma mulher mudaram também.

Nos velhos tempos, uma mulher só precisava ser capaz de fazer as tarefas domésticas, cozinhar, limpar, cuidar das crianças e ter filhos. E hoje, a sua educação, profissão, nível cultural e educacional, status social, e a capacidade de se integrar na sociedade são importantes. Esses requisitos mudaram drasticamente ao longo do século passado.

E eles não são naturais porque, embora todos nós sejamos diferentes, nós somos medidos com os mesmos critérios. Por isso, funciona de maneira diferente para cada um, dependendo quão perto ou quão longe eles estão dele. Cada pessoa é rica internamente e tem seu próprio gosto, opinião única e pontos de vista sobre tudo. E nós somos empurrados para um quadro muito estreito e convertidos em uma massa homogênea.

Em cada classe na escola, de 15 meninas, cinco são valorizadas e as demais são vistas como cidadãs de segunda classe, porque não estão em conformidade com as normas e a moda. No entanto, isso nunca aconteceu antes.

Não havia tais normas rigorosas, e cada um media a seu gosto de acordo com o seu coração. Alguns gostavam de gordinhas, alguns gostavam de magras, alguns gostavam de mais altas, e alguns de mais baixas, de acordo com o programa interno de cada um. Além disso, um homem gosta de uma mulher que o faz lembrar de sua mãe, o que significa que é similar a ela.

Mas a sociedade de hoje está tão ligada aos padrões geralmente aceitos que não permite que uma pessoa realize corretamente sua aspiração interior, natural. Essa é a base de todos os problemas da nossa sociedade, porque as pessoas se encontram, se casam, têm filhos e, depois, percebem que aquele que escolheram não é o que se adapta ao seu desejo interior. Nós agimos de acordo com os modelos que nos são impostos pela sociedade e, portanto, somos infelizes.

De KabTV “Nova Vida” 05/04/16

Comente