Nascimento Dois Meses Após A Morte Cerebral Da Mãe

laitman_565_01Comentário: Um caso médico sem precedentes foi registrado na Polônia. Uma mulher que tinha câncer no cérebro morreu durante a 17ª semana de gravidez. Seu cérebro deixou de funcionar, mas seu coração continuou a bater.

Os médicos não se atreveram a realizar uma cesariana porque temiam que o embrião não iria sobreviver fora do corpo da mãe. Eles decidiram sustentar os órgãos internos da mãe para que o coração continuasse batendo, e ela permaneceu viva. E a criança nasceu.

O pai da criança estava ao lado da mãe o tempo todo e leu contos de fadas para seu filho não-nascido.

Resposta: Essa é uma história muito comovente com uma atitude especial para com a vida. O pai realmente queria um filho dessa mulher, e isso afetou o resultado porque o embrião em desenvolvimento sente como seus pais se importam com ele e transmitem-lhe tudo o que podem. Tais poderes influenciam fortemente o desenvolvimento do embrião.

Os médicos também agiram de uma forma muito humana, porque um feto com 17 semanas de desenvolvimento no útero já é considerado um ser humano e, portanto, deve ser salvo.

Eles usaram um método bastante incomum para manter o corpo da mãe vivo para o bem da criança, mas podemos supor que, se pudessem ter perguntado à mãe, ela teria concordado, porque o instinto materno faz uma mãe fazer tudo para o bem de seu filho.

Eu não sei se ela tinha consentido com isso, mas a julgar pelo comportamento do pai, parece que os médicos fizeram a coisa certa. Vamos torcer para que a criança seja criada em conformidade e cresça até ser uma pessoa especial de bom coração, que será um benefício para a sociedade.

De KabTV “Notícias com Michael Laitman” 21/04/16

Comente