A Noite Do Êxodo Do Egito

Dr. Michael LaitmanPergunta: Como a Cabalá explica “a noite do êxodo do Egito”?

Resposta: A noite do êxodo do Egito é resultado de todo o desenvolvimento anterior dos judeus pelo qual eles chegaram ao estado que lhes permitiu tornar-se uma nação e entender que dentro deles está o ego, o Faraó, que os separa, leva aos conflitos entre si e faz com que se sintam distantes uns dos outros.

Olhe o que está acontecendo ao redor: discórdias na família, sociedade e governo. Nós faríamos qualquer coisa para suprimir um suposto inimigo. Nós precisamos começar a sentir o nosso estado como o Egito, como o domínio do Faraó, ou seja, o nosso egoísmo que nos impede de ser uma nação, uma família. Precisamente isso é chamado de noite.

É por isso que na noite de Pesach nós nos reunimos com nossas famílias e nos consideramos como uma família, uma nação. Nós queremos demonstrar que estamos prontos para se unir, para estar juntos com o objetivo de se elevar acima do nosso egoísmo e chegar à liberdade dele. Esse é o êxodo do Egito e a entrada para a terra de Israel.

Entre eles, há um período de 40 anos da passagem no deserto, onde nos corrigimos. Através dessa correção, nos preparamos para a entrada na terra de Israel, na medida em não podemos ir do egoísmo e ódio imediatamente ao amor. Afinal, o amor é o mesmo egoísmo na forma invertida. E os quarenta longos anos do período de preparação representam a distância do desejo de receber para o desejo de doar, do ódio ao amor.

A noite egípcia é um breu, uma noite terrível de uma falta absoluta da compreensão do que está acontecendo e o que vai acontecer. As pessoas veem que por causa do ódio mútuo, elas deixam de existir como uma nação, como uma família. Elas entendem que esse estado sem saída as leva à morte.

Mas, ao mesmo tempo, não veem o caminho para sair dele porque o poder do egoísmo parece ser historicamente eterno e absoluto. Para todo lado que a pessoa se vira, ela vê seu egoísmo, e sente que faz tudo apenas para seu próprio benefício. Ele controla todas as nossas ações: internas, externas, nossos relacionamentos, etc.

Todo mundo mantém uma distância do outro onde seria capaz de se defender e receber o máximo do outro. Isso significa que o egoísmo regula o tempo todo as nossas relações mútuas, a natureza, os animais, o mundo e a vida.

O terrível estado de comunicação apenas de uma forma egoísta nos é revelado como a escuridão do Egito. Exatamente neste estado, no meio da noite, uma força surge de repente em nós, que nos faz avançar para a saída do egoísmo e nos dá a sensação de que podemos nos elevar sobre ele.

Um ponto culminante de inversão aparece, e a mais terrível escuridão de repente começa a se transformar em alguma esperança, em Luz: há uma saída em algum lugar, eu tenho que correr! E eu corro atrás desse sonho, depois desse poder interno que de repente irrompe em mim. E a Luz aparece!

É uma noite especial, a noite de sair da escravidão egoísta para a eternidade e perfeição altruísta. É por isso que a celebramos.

De KabTV “Notícias com o Dr. Michael Laitman” 13/04/16

Comente