Estudar Mein Kampf Na Escola

laitman_431_05Comentário: Ultimamente tem havido uma discussão ativa na Alemanha sobre a questão da remoção do livro de Hitler, Mein Kampf. E agora vem o anúncio de que a Associação dos Professores alemães pretende incluir esse livro no currículo escolar.

Eles pensam que uma investigação e análise detalhada desse trabalho, sob a orientação dos professores, possibilitará proteger os estudantes do extremismo.

Resposta: Tudo depende da forma de abordagem e estudo. Mas, de qualquer forma, isso terá uma influência negativa, porque essa é a nossa natureza.

É como oferecer às crianças o aprendizado de palavras cujo uso é proibido ou mostrar filmes pornográficos e analisá-los da perspectiva profissional. De qualquer forma, os jovens vão olhar para isso como um lobo para uma cabra, e vão conversar entre si sobre um material profissional e simultaneamente engolir a saliva.

Eu imagino que isso não vai ensinar nada às crianças. Certamente, elas irão desenvolver vários círculos e movimentos juvenis tipo a Hitlejugend (Juventude Hitlerista) porque cada uma delas vai sentir que é a sua história e quer justificar-se.

O livro em si foi bem escrito, com todos os tipos de provas históricas e afins. Em princípio, o autor estava certo de que os judeus são os culpados por tudo e que tudo o que houve e há na Alemanha resultou deles.

Eu diria que isso era não só na Alemanha, mas também em todo o mundo. Pois tudo o que foi feito no passado e no presente foi realizado tanto pelos judeus ou através dos judeus, ou a partir dos judeus através dos outros. É assim que o nosso mundo foi construído e organizado; nós só precisamos entender como usar isso corretamente, abandonando finalmente esse círculo vicioso.

A humanidade sempre vai no mesmo círculo, constantemente se batendo e caindo nos mesmos obstáculos. Portanto, neste contexto, é duvidoso que esse livro ajude.

Certamente, ele vai gerar a um grande número de antissemitas. Depois de seus avós, seus netos e bisnetos vão se levantar e pode ser que seja possível explicar-lhes mais. Mas hoje os antissemitas estão muito atrofiados, se não completamente indiferentes a esse problema. Quando eles se tornarem mais rígidos, isso vai acelerar o desenvolvimento, apesar de que um movimento como esse na linha esquerda é, certamente, um movimento indesejável para a frente. Mas não há nada a ser feito aqui.

O problema é novamente os judeus. Para o mundo ir na direção certa, os judeus não precisam convencer ninguém de nada e fazer qualquer outra coisa. Se eles conseguirem se reorganizar e encontrar a sua dependência e completar um ao outro corretamente em amizade, amor e conexão integral, o mundo inteiro irá aspirar automaticamente a esse estado e tornar-se como ele.

Assim, o livro Mein Kampf também será percebido de maneira diferente. Assim, o resultado depende do que é feito em Israel. Se não tomarmos quaisquer medidas, vai ser ruim. Mas se a unidade começar em Israel, esse livro aparentemente irá destacar as características de um povo que está em necessidade de correção.

De KabTV “Notícias com Michael Laitman” 20/12/15

Comente