Mistério De Miriam

laitman_749_01Torá, “Números”, “Chukat, Capítulo 20:1: Chegando os filhos de Israel, toda a congregação, ao deserto de Zim, no mês primeiro, o povo ficou em Cades; e Miriam morreu ali, e ali foi sepultada.

Qualquer propriedade espiritual consiste de partes masculina e feminina. A parte feminina é chamada de Aviut (desejo); a parte masculina é chamada de Masach (tela) e Luz refletida. A parte feminina atrai; a parte masculina repele.

Miriam, a líder das mulheres, era a irmã de Moisés, ou seja, representava as propriedades de Bina que se manifestavam através dela.

A morte de Miriam simboliza que, com a saída do Egito, a parte de um desejo comum que conectava Moisés com o Egito foi corrigida. Miriam era o elo entre Batya, a filha do Faraó que adotou Moisés, e sua mãe natural, Yohevet.

Quando a filha do Faraó encontrou um bebê, percebeu que era uma criança judia. Miriam passava por perto; ela sugeriu encontrar uma ama judaica para o bebê que chorava, e Batya concordou. Assim, Moisés foi devolvido à sua mãe. Ela cuidou dele, mas a filha do Faraó o criou.

Assim, Miriam corria constantemente do palácio do Faraó para a casa de Moisés; sua constante corrida entre as duas casas simboliza uma transição em curso: Malchut em seu lugar e Malchut em Bina; novamente, Malchut em seu lugar e Malchut emBina. Essa transição estabeleceu uma base para o êxodo do Egito, ou seja, a desintegração do egoísmo.

A morte de Miriam simboliza o desaparecimento da conexão, e concede aos filhos de Israel a oportunidade de romper com o Egito e a transição para a próxima fase.

De KabTV “Segredos do Livro Eterno” 24/06/15

Comente