É Impossível Recusar Ser O Povo Escolhido

laitman_556Baal HaSulam, “O Arvut (Garantia Mútua)” Item 26: Tenha em mente que essas coisas são óbvias para toda pessoa instruída no convite que Deus enviou a Israel através de Moisés antes da recepção da Torá.

É como está escrito (Êxodo, 19: 5): “‘Agora, pois, se diligentemente ouvirem a Minha voz e guardarem a Minha aliança, então serão Meu próprio tesouro entre todos os povos, pois toda a terra é Minha; e serão para Mim um reino de sacerdotes e uma nação santa. Estas são as palavras que falarão aos filhos de Israel’.

E Moisés chamou os anciãos do povo e expôs diante deles todas essas palavras que o Senhor havia falado, e todas as pessoas responderam juntas, e disseram: ‘Tudo aquilo que o Senhor falou, nós faremos’. E Moisés relatou ao Senhor as palavras do povo”.

Será que todo o povo de Israel realiza a promessa dada ao Criador, ou ao menos parte dele?

O Criador prometeu que iríamos garantir um relacionamento especial com Ele, chamado de uma aliança (ou pacto), enquanto mantivéssemos Suas condições. O Criador diz que escolheu o nosso povo dentre todos os povos, e que devemos nos tornar isso, quer queiramos ou não, porque é isso que o Criador decidiu.

99,9% de nós se recusaram a ser o povo escolhido, um povo especial. Quem precisa disso? Nós sofremos bastante com isso durante toda a nossa história. Todos podem confirmar que essa aliança não nos trouxe nenhum bem; pelo menos, é assim que nos parece à distância. Mas a aliança foi decidida desde cima, e devemos aceitá-la; não há nada para discutir.

O Criador diz: “…serão Meu próprio tesouro dentre todos os povos”, o que significa que devemos nos tornar um elo entre o poder superior e toda a humanidade de modo que possamos transmitir a gestão superior ao mundo.

“Pois toda a terra é Minha”, toda a criação, todo o desejo de receber que foi criado está sob o controle do poder superior. No entanto, o Criador quer passar o controle ao povo de Israel que foram escolhidos por Ele para esse papel. O Criador nos escolheu, e nós temos que assumir o controle sobre o nosso desejo egoísta.

“E serão para mim um reino de sacerdotes”, o que significa que vocês vão realizar este trabalho. E o trabalho é transferir todas as centelhas de doação a todos os povos, para que todos cheguem à doação e descubram o Criador dentro dela, “pois todos Me conhecerão, do menor ao maior deles” (Jeremias 31:33). Através deste trabalho, nós nos tornamos uma “nação santa”.

“Estas são as palavras que falarão ao povo de Israel”. Isto é, cada um recebeu a ordem do Criador, não pessoalmente, mas através do ponto no coração, que é chamado de Moisés; eles ouviram a voz do Criador não diretamente com claro conhecimento e sentimento, mas através de um emissário.

Moisés transmitiu esse comando aos filhos de Israel. Todos sabem da Torá que foi difícil para Moisés levar a cabo essa missão e obter o consentimento do povo. Mas, por fim, o povo concordou em trabalhar junto como um só homem, e eles proclamaram: “Tudo aquilo que o Senhor falou, nós faremos”, e, depois, “Moisés relatou ao Senhor as palavras do povo”.

Isso significa que o consentimento mútuo já está em nossas raízes. Ele atua e funciona mesmo se não sentimos isso. Agora ninguém pede para receber e assinar essa aliança novamente, mas apenas renová-la de acordo com o nível do nosso desenvolvimento atual.

Mesmo que cortássemos essa conexão do nosso lado, isso não diminuiria a nossa conexão mútua e com o poder superior. Apenas que uma descida profunda ocorreu que possibilitou que descobríssemos todo o mal entre nós para que pudéssemos corrigir e santificá-lo, ou seja, que alcançássemos o nível de doar em prol de doar e até mesmo ao nível de receber em prol de doar. Isso é o que o povo de Israel deve fazer.

Da Lição Diária de Cabalá 19/10/15, Escritos do Baal HaSulam

Comente