Classificando Desejos

Dr. Michael LaitmanA Torá, “Números”, 16:47-16:50: E tomou-o Aarão, como Moisés tinha falado, e correu ao meio da congregação; e eis que já a praga havia começado entre o povo; e deitou incenso nele, e fez expiação pelo povo. E estava em pé entre os mortos e os vivos; e cessou a praga. E os que morreram daquela praga foram catorze mil e setecentos, fora os que morreram pela causa de Coré. E voltou Aarão a Moisés à porta da Tenda da Congregação; e cessou a praga.

A Torá não fala sobre pessoas e sua morte física, mas sobre nossos desejos e atributos que pensamos que podemos corrigir no nível atual, mas, de repente, descobrimos que alguns deles não podem ser corrigidos. O ego é dividido em 613 atributos, que juntos são chamados de nosso ego, caracterizado pelo ódio entre as pessoas, a rejeição mútua, e dirigido contra a nossa unidade. Ninguém quer se aproximar dos outros, e se chega, é somente para dominá-los.

Esses atributos geralmente aparecem quando começamos a nos aproximar de alguém. Mas esse nível ainda deve ser alcançado. Quando aprendemos a nos aproximar dos outros e nos a conectar a eles em um coração comum e uma mente comum, começamos a sentir como as forças que se opõem a essa unidade surgem em nós. Essas forças são reveladas numa pessoa como 613 atributos, desejos, chamados Mitzvot (mandamentos). Uma Mitzva é a correção de um determinado atributo que temos, e a Torá nos fala como corrigir as forças que nos dividem em forças que nos aproximam, conectam e unem.

Mas antes disso, precisamos sentir que tais desejos por conexão e unidade existem. Isso é exatamente o que aconteceu com Korach (Coré): ele aspirava à unidade, mas acreditava que era possível alcançá-la de uma maneira diferente. Quando este e os outros 250 desejos que se agarravam a ele se manifestaram, tornou-se claro que eles eram impossíveis de corrigir.

Essa é a razão dele cair do nível em que estava, o que significa que o atributo de Korach numa pessoa caiu. Ou seja, ela ainda não pode ser corrigida no nível atual da escada espiritual. Mais tarde, Korach vai nascer num nível superior, onde há outras forças mais fortes e mais precisas de correção que serão capazes de corrigir esses desejos com o seu método e eles vão ser retirados do seu local.

Pergunta: Será que isso significa que ele se torna justo?

Resposta: Claro! Tudo alcança a forma correta. O povo também sofre o mesmo “inventário”: alguns dos desejos, atributos e intenções chamados “povo” podem se unir com o Criador e alguns ainda não podem ser conectados.

Ao mesmo tempo, todo mundo toma o seu lugar específico e, assim, alguns desejos morrem por causa de uma praga, outros apenas sofrem, e outros acham que estão num estado mais ou menos normal. Essa divisão entre os atributos é necessária, pois sem ela a pessoa não vai saber o que está dentro dela e quais de seus atributos estão focados no objetivo da criação. Afinal, tudo é medido de acordo com o objetivo final: quais atributos eu tenho que corrigir em mim mesmo, a fim de me aproximar dos outros e alcançar a adesão completa com o Criador.

Tudo na Torá é descrito como ações terríveis em que milhares de pessoas aparentemente morrem numa praga, mas, ao mesmo tempo, os números são Gematria, pelos quais o mesmo volume é calculado, a mesma densidade dos desejos na alma geral que são condenados à morte no momento. Isso significa que eles são neutralizados agora e não são levados em conta por enquanto. Esses desejos vão para o fundo, e quando chegar a hora, sobem. É assim que ocorre a triagem dos desejos, e apenas aqueles que podem ser corrigidos sob a influência da Luz Superior avançam.

De KabTV “Segredos do Livro Eterno” 27/05/15

Comente