Setenta Nações Diferentes Juntas Na Mesma Terra

laitman_941Pergunta: Não muito tempo atrás, o mundo permaneceu no confronto entre Rússia e Estados Unidos, em uma guerra fria permanente entre estes dois países.

As relações entre essas superpotências, uma das quais sempre personificou uma ditadura comunista e a outra um reduto da democracia e da liberdade, foram fundamentais na política mundial e influenciaram o estado das coisas em todo o mundo.

Hoje, a situação é agravada por novas forças que continuam aparecendo na arena mundial, tais como organizações terroristas internacionais, bem como o conflito entre a Rússia e a Ucrânia. Como o senhor avalia as relações entre a Rússia e os EUA e a perspectiva para o seu desenvolvimento?

Resposta: De acordo com a sabedoria da Cabalá, há 70 nações diferentes no mundo, cada uma com seu caráter específico, velocidade e direção de desenvolvimento. As 70 nações se espalharam pelo mundo e estabeleceram conexões mútuas com base em suas características individuais.

Junto com o desenvolvimento das nações e as relações entre elas, as relações e o comércio internacionais também avançaram. Os militares, indústria, cultura, educação, acesso à Internet, também se desenvolveram em conjunto com o caráter de cada nação.

As 70 nações do mundo não se desenvolvem isoladamente, cada uma por sua própria conta. Existe um programa de desenvolvimento empreendido pelo comércio internacional e as relações entre os países, que trocam bens e informação.

Devido ao desenvolvimento cultural e a educação em massa, o impacto de vários países entre si é extremamente forte. É impossível apresentar as coisas em apenas duas cores. Há mais do que apenas o preto e o branco, o bom e o mau.

Cada país permanece muito especial: a França é a França, a Itália permanece a Itália e a Espanha é a Espanha. Cada país tem suas características específicas que são baseadas no caráter das pessoas que vivem no seu território. Além disso, há adições adquiridas através da comunicação com outros países.

É impossível viver em isolamento neste mundo. É por isso que cada país recebe um certo “input” que adiciona ao seu estilo nacional. Normalmente, este tipo de interferência não beneficia o país. Ninguém quer isso. Os italianos querem continuar vivendo como italianos, os espanhóis como espanhóis, os franceses como franceses. Não há escolha senão aceitar adições externas que afetam as culturas nacionais locais, os sistemas de educação, o comportamento rotineiro, e os sistemas jurídicos.

Há uma lei internacional. Como regra, ela é uma série de limitações vindas da UNESCO, da ONU e de outras organizações internacionais. Voluntária ou involuntariamente, cada país tem que aceitar suas regras, embora às vezes elas possam ser um fardo para um país.

Se nós falarmos da Rússia e dos EUA, temos que perceber que estes países são essencialmente diferentes por causa da natureza de seus povos. Os EUA foram fundados por anglo-saxões e alemães. Durante o tempo em que a América foi fundada, quase 40% das pessoas que viviam lá eram alemãs. Havia até mesmo uma questão sobre qual língua se tornaria a língua nacional do país: Inglês ou Alemão.

Portanto, o velho espírito da América era Inglês e Alemão, com um pouco de influência francesa. Mas foi a cultura europeia relativamente homogênea que lançou as bases da nação.

A Rússia é completamente o oposto em espírito. Os russos realmente diferem de todas as outras nações. Os Russos vieram originalmente da Ásia e, mais tarde habitaram na parte europeia do continente euroasiático. Na verdade, a Europa não é um lugar apropriado para os russos de forma alguma. Isso explica por que esta nação possui um carácter único, não muito pragmático.

Para os russos, a coisa mais importante no mundo é o seu orgulho nacional. Eles esperam que as outras nações os respeitem e temam; nada mais importa. Se eles sentirem que são respeitados e que outros os temem, então serão sempre felizes com suas vidas.

Em outras palavras, os russos podem passar fome e ficar de pés descalços, mas ainda só se preocupam em ser uma superpotência forte que todo mundo teme. Não importa se outras nações os consideram estúpidos; o principal é que eles têm que sentir que são heróis. Esta é a mentalidade russa.

Os Anglo-saxões exercem uma abordagem totalmente diferente, puramente pragmática. Eles não se importam com o que as outras nações pensam deles e se elas os levam em consideração ou não. A principal coisa para eles é avançar: desenvolver a educação, cultura, indústria, etc., para o progresso.

Para a Rússia o mais importante é a unidade do povo, o orgulho nacional, e nos EUA, pelo contrário, é dar a cada indivíduo a máxima liberdade, porque a livre iniciativa leva ao florescimento econômico.

Tudo depende do caráter nacional; é por isso que nunca devemos comparar uma nação com outra, nem podemos afirmar que um povo é melhor do que o outro. Eles são apenas diferentes!

De KabTV “Uma Nova Vida” 06/08/15

Comente