Pragmatismo É O Deus Da Vida Moderna

laitman_430Pergunta: A vida no mundo de hoje está mudando rapidamente. Forças terroristas estão começando a chegar ao poder. A antiga diferença entre os países mais fortes e mais fracos está sumindo. Uma organização terrorista pode chegar ao poder em um país muito forte, e as vidas de todos os seus cidadãos estarão em perigo. Isso pode continuar indefinidamente, e um forte poder nunca conquistará um mais fraco. O que significa ser um poder forte no mundo moderno?

Resposta: Há um motor interno de desenvolvimento da humanidade, chamado “tempo”. Com o tempo muitas coisas mudam. Períodos geológicos mudam, e eles fazem parte do desenvolvimento vegetal e animal da natureza. A humanidade se desenvolve também, e uma formação social substitui a outra.

Tudo muda com o tempo, e não há nada que surja uma vez e permaneça estável e inviolável. Um determinado programa interno atua dentro da natureza, e consequentemente, nós nos desenvolvemos de um estado para outro.

Todas as partes da humanidade oscilam, como as ondas no mar: uma sobe, outra desce. Além disso, todos nós somos dependentes uns dos outros, e essa dependência se torna mais forte do século XX em diante. Portanto, não podemos decidir nada para o futuro.

Há cerca de cinquenta principais países instrumentais do mundo, cada um dos quais afeta os outros. É tão impossível fazer qualquer prognóstico, como é prever um furacão, tsunami, uma erupção vulcânica, ou uma explosão em uma usina nuclear.

Quem poderia imaginar que a Europa teria que enfrentar uma onda de imigrantes? Todos os fenômenos estão conectados uns com os outros, nós apenas não vemos esta conexão. O mundo se desenvolve de acordo com o nosso programa interno, que é desconhecido para nós.

E nós nos supreendemos de que não há nenhuma estabilidade ou conexões apropriadas. Tudo muda de repente. Nos últimos dez anos temos assistido a muitos elevações, subidas, quedas e crises –  mais do que ao longo de todo o milênio anterior.

Portanto, não podemos dizer qual país é forte e qual é fraco. Um país pode ser forte por algum período de tempo muito limitado, e isso também é bastante relativo. Afinal de contas, força implica a capacidade de garantir a nossa segurança amanhã. Mas o amanhã é incerto para todos. O tempo é comprimido e tão apressado que é impossível prever qualquer coisa.

Nós vemos os países que antes eram poderosos cairem e se esfacelar. A União Soviética está caindo aos pedaços e a Europa está dominada pela crise. E a intenção era tão grande: criar um mercado comum Europeu, alcançar a unidade na Europa. Parecia que este era o início de um bom futuro para a humanidade.

A princípio as pessoas estavam tão inspiradas e tinham tanta esperança nessa unificação. As pessoas pensavam que estavam construindo um incrível mundo novo. Mas basta olhar para a forma como a situação mudou ao longo cerca de vinte anos ou mais.

Meu amigo, que trabalhou com o Comitê da Unificação Europeiu em Estrasburgo, disse na época que na base desta unificação havia cálculos econômicos simples. Era uma transação de mercado, e não uma união.

Não importa que unificações nós tentamos criar (Rússia, China, Brasil, União Europeia, América-Canadá-México, ou a Aliança Transatlântica, etc.) nós acabamos caindo num desespero ainda maior da nossa incapacidade de alcançar a unidade em qualquer escala: pequena ou grande.

Mesmo a instituição do casamento está caindo aos pedaços. Antigamente as pessoas tinham uma aspiração interior de pelo menos se unir com parentes: cônjuges, pais, filhos, vizinhos, habitantes da mesma aldeia ou cidade, colegas de trabalho, ou cidadãos de um mesmo país. Mas hoje isso desapareceu completamente.

Uma pessoa deixa sua família com facilidade e se muda para outro país sem sentir nenhuma nostalgia de sua terra natal. Ela vive num país estrangeiro onde também não se preocupa com nada, exceto com o seu próprio bem-estar, como se estivesse vivendo no espaço.

Todas as conexões anteriores entre as pessoas, que existiram ao longo da história e deram certa forma à sociedade humana, não funcionam hoje.

Nós vagamos pelo mundo como sombras, sem perceber o outro, enfiando nossos narizes em nossos celulares. De que país poderoso nós podemos falar se nada atrai a pessoa à sua terra natal e as pessoas só são guiadas por seus cálculos pragmáticos.

De KabTV “Uma NovaVida” 10/8/15

Comente