O Holocausto Mudou Os Genes De Gerações De Judeus

Dr. Michael LaitmanNas Notícias: (Max-Planck Gelseleschaft): “Uma equipe internacional liderada por Rachel Yehuda, professora no Mount Sinai Hospital, em Nova York, e pela analista molecular Elisabeth Binder, diretora do Instituto Max Planck de Psiquiatria, em Munique, estudou os genes de 32 indivíduos judeus que haviam sido detidos em campos de concentração, experimentaram tortura ou tinham sido forçados a se esconder durante a Segunda Guerra Mundial. Adicionalmente, os pesquisadores examinaram os genes de crianças do grupo que são conhecidas por terem uma maior probabilidade de distúrbios de estresse, e compararam os resultados com famílias judias que viviam fora da Europa durante o Holocausto.

“Os cientistas se concentraram em mudanças epigenéticas no gene FKBP5 que tem sido o foco de pesquisa de Elisabeth Binder. ‘Com “epigenética” entendemos todos os processos que não alteram o código genético real, mas alteram a sua acessibilidade’, explica Elisabeth Binder. ‘O FKPB5 determina o grau de eficácia que o organismo pode reagir aos hormônios do estresse, e assim regula todo o sistema de hormônio do estresse. O FKBP5 é alterado em várias doenças como o transtorno de estresse pós-traumático ou depressão maior e agora tem sido associado a efeitos intergeracionais.

“Os resultados sugerem que ‘a herança epigenética’, onde as experiências de vida de uma pessoa podem afetar os genes de seus descendentes, pode desempenhar um papel importante no desenvolvimento de uma criança. ‘As alterações genéticas nas crianças não parecem ser mediadas pela adversidade vivida durante sua infância, mas só pode ser atribuída à exposição do Holocausto nos pais’, disse Rachel Yehuda. ‘As influências ambientais, como estresse, tabagismo ou dieta podem afetar os genes dos nossos filhos. A detecção precoce de tais marcas epigenéticas pode avançar o desenvolvimento de estratégias de prevenção para enfrentar os efeitos intergeracionais de exposição ao trauma”.

Meu Comentário: Todos nós, toda a humanidade e todas as suas gerações estamos completamente interconectados como um único organismo. Por isso, é natural que toda a informação seja transmitida, e de forma imediata, “para cima e para baixo”, dentro de uma geração e entre gerações e é sempre preservada na nossa memória compartilhada, que é a nossa causa comum e a correção completa.

Neste caso, em particular, até que os judeus não cumpram o seu propósito – de levar o mundo a um único todo – essa memória vai obrigá-los a cumprir a sua missão.

Comente