O Povo De Israel Na Terra De Israel

laitman_933Baal HaSulam escreve no artigo, “Herança da Terra”, que nós herdamos a terra de Israel quando estamos acomodados nela e nos tornamos o povo de Israel. Isso não significa apenas vir para Israel, receber a cidadania e pronto, você já é um habitante de Israel. Um habitante é uma pessoa que tem um lugar nesta terra.

Eretz Yisrael” (a terra de Israel – “Eretz“, da palavra “Ratzon” – desejo) é o desejo de estar junto com todos, porque Israel é um encontro de pessoas que estão conectadas e unidas, como está escrito: “Todos em Israel são amigos”, caso contrário, isso não é chamado “Israel”. Portanto, nós estamos no exílio, fora da terra de Israel, e não somos chamados de povo de Israel. “O povo de Israel na terra de Israel” é um conceito de unidade, união e conexão, porque só assim é possível estar num estado chamado de “O povo de Israel na terra de Israel”

A questão é: como podemos alcançar um desejo como este, transformando-nos para nos tornar um todo? E como é possível ter um único desejo? Afinal, cada um de nós é muito diferente dos outros. Isto é particularmente importante em Israel: há tantas perspectivas, pontos de vista extremos. É como uma torta dividida em milhares e milhares de pedaços. E o que pode ser feito com eles?

Além disso, na medida do nosso desenvolvimento, quando estamos passando por tantos estados diferentes, especialmente nos últimos anos, cada um de nós sente o quanto seu ego cresceu, até que ponto ele é dos outros. Basicamente, em vez de nos aproximarmos, estamos nos afastando. Então, quando e como podemos nos transformar para nos tornar, “como um homem com um coração”, “todos em Israel são amigos”?

Nós vemos que outros povos se dão mais ou menos bem uns com os outros. Mas argumentos e problemas surgiram conosco, mesmo no momento em que nos reunimos nesta terra. E estes problemas não desapareceram, pelo contrário, tornaram-se cada vez maiores, e nós não sabemos o que fazer com eles. Assim, nosso problema é: como podemos vencer nosso ego que infla e irrompe em todos? E nós vemos como o ódio mútuo está fora de controle.

Aqui a sabedoria da Cabalá fornece uma solução. Primeiro, ela explica por que a natureza nos desenvolveu na direção do crescimento da inclinação ao mal, o ego, do fortalecimento das explosões de raiva em cada pessoa na sua atitude para com outros que não são como ela. Ano após ano, todas essas revelações só aumentam. Houve uma época em que as relações entre religiosos e seculares, as relações entre os próprios seculares, e as relações entre todos os religiosos eram mais pacíficas. Hoje, as relações estão se tornando cada vez piores.

A sabedoria da Cabalá explica que essa é uma correção da natureza. Para avançar uma pessoa na sua evolução, a natureza desenvolve o ego na pessoa, o desejo de prazer, a agressão, na medida em que essas tendências são necessárias para a pessoa crescer, mas apenas na condição de que ela sabe como usar todas as coisas extremas que são despertadas nela. Assim, o sofrimento que sentimos quando não conseguimos atingir o desejado é necessário. E se isso é assim, como é possível que cada um, tendo um grande ego, pode finalmente se colocar com outros e se conectar com eles num único conjunto?

Afinal, está escrito que o povo de Israel pode alcançar a paz e ser um povo poderoso reconhecido por todos, e o mundo inteiro vai se acalmar em relação a nós e parar de nos atacar, pressionar e odiar, apenas com a condição de que nos tornemos como um único conjunto. Portanto, como podemos nos transformar para nos tornar um todo único, tanto interna como externamente, se o nosso ego está crescendo o tempo todo? À primeira vista isso parece contraditório.

Pergunta: O que significa que “o ego cresceu”?

Resposta: Ano após ano eu sinto que quero mais e mais, que não estou preparado para aceitar os outros com mais delicadeza, compreensão, concordância. Em cada um de nós o mesmo agressor está escondido, mas em alguns indivíduos essas inclinações são encontradas em menor escala e nem sequer são sentidas; eles pensam em si mesmos como pessoas boas; enquanto que outros surtam, exigem uma ação, e assim matam e queimam casas. Mas, em princípio, este é um problema de todos. Não existe tal coisa em que algo acontece com uma pessoa que não é encontrado em outras. Todas as tendências, todas as características são encontradas em todos.

Então, aqui reside a questão: como podemos chegar, em última análise, à correção? A correção é que nos tornamos tão próximos uns dos outros que todos aceitam os outros, cada um está incluído nos outros, ainda mais do que hoje, a tal ponto que eu compreendo o sofrimento dos outros, a sua natureza, o seu comportamento necessário, e os aceito como eles são.

Pergunta: Mas isso não é contrário ao nosso ego crescente?

Resposta: Se deixarmos tudo como está agora, só vai ser pior. Há algo a se pensar aqui, e nós vemos isso em muitos estudos de psicólogos e sociólogos. Assim como a sabedoria da Cabalá diz, para chegar à aceitação mútua precisamos de educação, uma educação integral para todas as pessoas. Só com a ajuda de uma educação consistente e constante que englobe todas as pessoas, que coloca todos os problemas do povo e da nação no topo, vamos descobrir e saber não apenas como nos complementar, mas também nos tornar um todo único.

Neste único todo estão tanto a Esquerda como a Direita, o secular e o religioso, gays e heteros, todos os tipos de partidos e facções; não importa quem ou o quê. Mas, especificamente graças a essa educação integral e única que a sabedoria da Cabalá recomenda, nós não aprendemos apenas a nos complementar, a conceder um ao outro; em vez disso, vemos que todas essas diferenças devem existir. Pois o ego que cresceu em todos se tornou ainda mais oposto aos outros e não os aceitaria, de tal forma que cada um está pronto para matar o outro, devido ao ódio infundado, como era antes no momento da destruição do Templo.

Mas com a ajuda da educação que a sabedoria da Cabalá nos recomenda como uma correção, vemos quão importante é cada um, como ingredientes numa salada. Cada um tem o seu lugar e, especificamente, com a aceitação e não a correção das características de alguém. Só a educação vai nos ajudar; ela sabe como nos conectar. E ninguém precisa mudar; todos precisam receber essa educação, por isso é chamada de integral. Então, vamos ver o quão importante é cada um, e não vamos pensar que, se corrigíssemos alguém as coisas seriam melhores para nós, como às vezes acontece numa família. De repente, veremos que todos nós somos uma família, todo mundo tem seu papel e todos se complementam. Mas a educação é que deve dar isso para nós.

A Educação Integral, que a sabedoria da Cabalá oferece, pode nos dar uma visão como essa. Assim, todos de forma gradual, com compreensão, começarão a aceitar uns aos outros, saberão por que o nosso ego ficou tão forte, pois este é o programa superior da natureza que se realiza em nós desta forma, e em qualquer caso, nos obriga a nos complementarmos mutuamente; caso contrário, vamos simplesmente nos matar.

É assim que entendemos por que o nosso ego está crescendo o tempo todo, de modo que a nossa conexão seja muito mais poderosa, forte, conflitante, de modo que dentro deste conflito, nós criemos o povo unido de Israel, um único conjunto. Então, vamos sentir que existimos como o povo de Israel na terra de Israel, que realmente retornamos à nossa terra como um povo unido.

Do Programa da Rádio Israelense 103FM, 02/08/15

Comente