Longo Caminho Para O Templo, Parte 7

Dr. Michael LaitmanDa Barbárie para Um Mundo Civilizado (Iluminado)

Durante seus milhares de anos de exílio, o povo de Israel sofreu com a destruição do Primeiro e do Segundo Templos, atingiu o estado de quebra completa, e perdeu inclusive a mínima memória sobre o sistema comum que os unia.

Começando com Adão, o primeiro homem, o povo judeu percebeu como o sistema funcionava. Na época de Abraão, eles persistentemente estudavam a estrutura da unidade, e no tempo de Moisés, ainda conseguiam implementá-la entre eles.

Este estado das coisas durou até a destruição do Segundo Templo, até a época do rabino Akiva, quando tudo desmoronou. A queda teve grande impacto sobre o avanço de toda a humanidade.

Por um lado, os judeus se espalharam ao redor do mundo. Este processo permitiu-lhes contribuir com a sua forma de desenvolvimento para outros países, afetando o desenvolvimento da religião, pensamento, crença, filosofia, ciência e medicina.

O conhecimento foi transferido através dos antigos gregos e romanos, por meio de filósofos ao longo da história. Os judeus fundaram um sistema de comércio e indústria na Europa e construíram a base para o comércio e fabricação moderna.

O sistema que eles criaram era integral, e apesar dos judeus estarem espalhados pelo mundo, eles falavam uma língua e se entendiam bem. Portanto, eles foram capazes de construir conexões com outros. Estes eventos ocorreram cerca de 1500 anos atrás, e só foram possíveis devido ao estado especial que o povo judeu tinha alcançado.

Um judeu podia viajar da Itália para a Holanda e falar com os judeus locais sem qualquer problema, ir a uma sinagoga e fazer acordos comerciais. E vice-versa, os judeus da Holanda viajavam para a Itália ou outros países e faziam a mesma coisa. No mundo fragmentado, onde os países estavam isolados, os judeus serviam como elo.

Os judeus estavam unidos por uma cultura, educação, linguagem e Kashrut (leis dietéticas religiosas) comuns. Quando um judeu ia para outro país, ele poia comer apenas em casas judaicas locais, não em qualquer outro lugar. Esta tradição também promovia fortemente conexões entre os judeus, já que os viajantes iam a sinagogas locais. Este tipo de conduta estimulou o crescimento da indústria e do comércio no mundo.

É assim que os judeus contribuíram para o avanço global no mundo, na medida em que eram exilados para entregar tecnologias, ciência, indústria, comércio e religiões para outras nações.

Originalmente, todas as religiões serviram ao propósito de avançar a humanidade, e graças às religiões, o paganismo deixou de existir. As pessoas pararam de adorar árvores e pedras e pararam de associar objetos materiais com poderes sobrenaturais. Tornaram-se mais espirituais.

Assim, uma boa base foi criada para o desenvolvimento das artes, pintura, música, etc. As artes estimularam o avanço espiritual interno das pessoas e atingiram as pessoas comuns por meio de suas religiões. As nações do mundo não têm um indício de que seu sucesso nas artes e nas ciências foi possível graças aos judeus, que receberam esse conhecimento só porque em algum momento alcançaram a força espiritual superior escondida na natureza.

De KabTV “Uma Nova Vida” 05/07/15

Comente