Longo Caminho Para O Templo, Parte 4

laitman_740_03Moisés e a Recepção da Torá

Babilônios que rejeitaram a metodologia de Abraão se propagaram ao redor da Terra, a todos os países. O grupo de Abraão saiu da Babilônia, e foi para a terra de Canaã. Depois, desceram ao Egito, e, posteriormente, retornaram novamente à Canaã, que mais tarde se tornou a terra de Israel.

O grupo de Abraão sofreu inúmeras dificuldades. A principal missão do grupo era transferir a metodologia da conexão quando chegasse a hora aos babilônios, ou seja, a todo o mundo.

Depois de Abraão, várias gerações de Cabalistas surgiram: Isaque, Jacó, José, e, finalmente, Moisés. Eles revelaram as formas da aplicação prática da metodologia. Moisés elevou o grupo de Abraão a um novo nível de unidade chamado “a recepção da Torá”.

Eles tiveram que se unir num nível superior para chegar à “montanha de ódio”, o Monte Sinai, em vez da Torre de Babel. Para isso, tiveram que se referir a uma força muito mais poderosa. Caso eles tivessem sucesso, a metodologia denominada “Torá” seria revelada a eles.

A Torá é a sabedoria da Cabalá, que busca a revelação do Criador às criações neste mundo. A Torá descreve a rede de conexão que nos une através de relações benevolentes, calor e afeição mútua. O princípio fundamental da Torá, “ama o teu próximo como a ti mesmo”, deveria nos levar do amor pelos seres criados ao amor pelo Criador.

Moisés revelou a metodologia ao povo de Israel que passou pelo exílio egípcio e ganhou enorme egoísmo estando no exílio. Seu egoísmo atingiu um grau muito maior do que aqueles que estavam associados à Torre de Babel. A Torre de Babel, mais o egoísmo acumulado no Egito transformado no Monte Sinai (ódio), assim eles tiveram a oportunidade de trabalhar no Monte Sinai ao melhorar as conexões entre eles.

Depois de revelar o enorme sistema da natureza, o povo de Israel percebeu que sua missão era a de corrigir a realidade e a humanidade, incluindo os babilônios de quem uma vez fugiram.

A correção acontece em duas etapas: a primeira etapa é elevar o povo de Israel à altura em que eles se tornam um homem com um coração. Este trabalho é chamado de “quarenta anos vagando no deserto”.

Após esta fase, o povo de Israel alcança o estado de uma unidade tão grande, que a construção de uma conexão chamada de “o templo” torna-se possível. O templo significa o vaso de santidade em prol da doação e do amor mútuo.

O vaso é chamado de O Templo (a casa de santidade); a divindade é doação e amor. No entanto, o povo foi incapaz de manter tal nível elevado mais do que um instante; eles imediatamente caíram deste nível.

O grande amor e unidade que eles alcançaram por um curto instante entrou em colapso. O povo se dividiu em grupos hostis que se enfrentaram.

Eles continuaram a cair ainda mais, até Nabucodonosor destruir o Templo. Não se trata da ruína de um prédio em Jerusalém; ao contrário, tratava-se de forças egoístas hostis que quebraram a unidade entre o povo de Israel.

Eles chegaram a um estado maravilhoso de unidade. Dentro dele, eles revelaram o sistema da governança superior que rege todo o universo. De repente, a bela estrutura arredondada começou a apodrecer, deteriorando-se e explodindo. Grandes grupos se desprenderam do povo de Israel: os saduceus (Tzdokim), K’tzinim (nobreza), e outros.

Como resultado, a unidade entrou em colapso. Os judeus se tornaram estranhos um ao outro como se já estivessem espalhados entre outras nações, como está escrito em Megillat Esther. No entanto, eles se lembraram de que estiveram unidos em algum ponto da história, mas este fato desapareceu e não era mais importante para eles.

A situação agravou-se. O processo histórico, isto é, o sistema de governança superior com o qual eles estavam familiarizados, não os deixava ficar no mesmo estágio para sempre. O primeiro homem, Adão, juntamente com os Cabalistas que o seguiram, descobriu que o mundo deve alcançar a unidade novamente.

Está escrito nos Profetas: “Todos Me conhecerão; Minha casa se tornará a casa de oração para todas as nações. Todos se unirão. O lobo habitará com o cordeiro”. O mundo deve alcançar unidade e harmonia que inclui todos esses estados. Este nível é chamado de Terceiro Templo.

Continua…

De KabTV “Uma Nova Vida”, 05/07/15

Comente