A Legalização Da Maconha Nos EUA

Laitman_408Opinião (Dasha Gasanova): “A cultura do tabaco nos países desenvolvidos do mundo tem mais de 500 anos de idade. Mas a luta contra o tabaco só começou no século XX, em paralelo com a criação de monopólios nas vendas de tabaco e o crescimento no lucro.

“Por muito tempo esses processos ocorreram simultaneamente, onde os médicos alertavam sobre os perigos e os fabricantes enchiam os bolsos. Agora não há nenhuma dúvida de que doenças cardíacas, tumores e doenças respiratórias estão diretamente ligados ao fumo de tabaco.

“No entanto, o fumo de tabaco nunca foi considerado como uma prática perigosa para o público, em contraste com a dependência de drogas. É muito difícil encontrar um viciado que esteja identificado como uma imagem positiva em qualquer das várias culturas. Há muito tempo se considera que se envolver no uso de drogas é desprezível, inadequado, e é perseguido de forma rígida como uma infração penal e condenado pela sociedade.

“Não há nenhuma pessoa sensata que duvide do dano à saúde causado pelas drogas. Além disso, estão as sensações físicas que um viciado tem, e as pessoas próximas a ele que são diretamente prejudicadas.

“Aqui é interessante ver a transformação, o ‘salto mortal’ da sociedade americana e a liderança legislativa e executiva em relação ao uso de maconha, no sentido de apoiar a legalização deste hábito. Para onde foi o conservadorismo e a continuação dos fundamentos morais dos patriarcas fundadores dos EUA?

“Na última década, em muitos estados dos EUA, o fumo de drogas se impôs em relação ao fumo de tabaco – a luta ativa contra o tabaco limpou a área para o uso de erva, tudo de acordo com a lei.

“As consequências mortais da utilização de erva persistem por décadas.

“No caso da erva, tanto os médicos norte-americanos como aqueles que comercializam a maconha, encontram-se na mesma trincheira. Os médicos calmamente se relacionam com o tema da dependência de drogas, mesmo quando é claro para eles que é muito mais difícil de ser reabilitado de erva do que de tabaco”.

Meu Comentário: De acordo com os planos da elite americana, há a necessidade de fazer eutanásia da maioria da humanidade até que a população diminua naturalmente para 1-2 bilhões de pessoas. Não há outro meio “tranquilo”. Assim, decidiu-se numa escala global fabricar drogas “leves” legais e comercializá-las. As empresas de tabaco foram forçadas ficar quietas. E a mesma ordem foi dada para a mídia. A atitude em relação negativa ao tabaco e a atitude positiva para com a maconha está se espalhando dos EUA para o resto do mundo.

Comente