Comunismo: Utopia Ou Realidade, Parte 4

laitman_424_02Desfazendo o Impasse: O Que É Preferível?

Pergunta: Por que, apesar do fracasso do comunismo na Rússia, muitas nações apoiam e se apegam a ele e começam a estabelecer partidos comunistas?

Resposta: A ideia, em si, é muito atraente porque as massas veem um futuro brilhante em alcançar a igualdade, fraternidade e a adequada repartição dos benefícios da sociedade. Mas agora as pessoas mudaram, uma vez que o egoísmo atingiu níveis inimagináveis nos últimos séculos.

Por que a guerra acontece? A guerra é uma limpeza, uma liberação. Ela transforma todos os egoístas em iguais. Ela mata o egoísmo neles porque trata-se da sobrevivência. Afinal, para sobreviver, é necessário estar conectado com todos os outros. É necessário pensar nos problemas comuns, na vitória comum, no sucesso compartilhado. Portanto, a guerra inflama paixões intensas e egoístas nas nações e povos e é uma espécie de denominador comum.

Após o pseudo comunismo soviético, alguns anos mais tarde ele foi implementado na Alemanha, mas na forma de fascismo nacional. Na verdade, foi o mesmo.

Hoje a humanidade está se aproximando da guerra. Já se fala sobre isso como se fosse inevitável: “O que será, será, mas não há alternativa”. Onde antes as pessoas tinham medo de pressionar o botão vermelho, agora é como se não houvesse o medo de uma guerra nuclear.

Pergunta: Será que a humanidade, inconscientemente, quer a guerra?

Resposta: Hoje, a humanidade entende que nossas vidas não têm significado, não há correalização, que os seres humanos são uma espécie de ramo “beco-sem-saída” da natureza, que cometeu um grande erro porque o egoísmo não o levou a lugar algum. Isso sugere que o egoísmo chegou ao fim.

Nós ainda não estamos cientes disso, mas já vemos que o ego tomou seu curso, como um câncer em desenvolvimento. Afinal, uma pessoa doente não sente nada no começo e só mais tarde começa a sentir e compreender que o tumor maligno está devorando-a!

Agora, a humanidade está devorando a si mesma, mas ela deve reconhecer isso e parar. Em qualquer caso, de um jeito bom ou através do caminho do sofrimento, teremos que chegar a isso para alcançar a construção de uma sociedade feliz.

Continua.

De Kab TV “Sobre a Nossa Vida” 11/05/15

Comente