A Revolução Do Século XXI: Homem Rico, Homem Pobre

Laitman_130O fosso econômico entre os diferentes segmentos da população não é novo para Israel. No entanto, na última década, ele tem seriamente se expandido. Não é de se admirar que a desigualdade exacerbada gera outro fenômeno não menos natural: o ódio aos ricos.

Geralmente, riqueza e pobreza é um eterno leitmotiv (motivo condutro) da sociedade humana. Hoje em dia, no entanto, essa questão se torna muito mais emocional.

Não muito tempo atrás, nós respeitávamos a elite financeira, sejam eles empresários bem-sucedidos ou os herdeiros de grandes fortunas. Eles apareciam nas notícias, artigos e livros eram escritos sobre eles.

No entanto, recentemente uma nova atitude se formou, acompanhada de severas críticas a eles e às vezes de ódio e antagonismo. Em certa medida, eles são percebidos como inimigos.

Aqui, nós, involuntariamente, nos lembramos da Revolução Francesa, com o famoso ditado, “Que comam brioches”. Na época, a frase simbolizava a alienação, o isolamento das elites do povo.

Hoje, esse fosso se tornou tão grande que o antigo respeito às vezes se transforma em hostilidade, o mesmo tipo que uma vez levou às revoluções.

Basicamente, isso se refere não só à sociedade Israelense, especialmente na economia e em outros aspectos; nós estamos adotando costumes ocidentais.

De Kab TV “Uma Nova Vida” 14/05/15

Comente