As Doze Tribos Da Alma Comum

Dr. Michael LaitmanA Luz emana do Oriente, porque ali o sol nasce. De lá vem o vento oriental, o mais nocivo de todos os ventos. Do oeste vem neve, granizo, calor, geada e chuvas pesadas.

O Sul, uma fonte de bênção de orvalho e chuva, é a fonte do orvalho abençoado e da chuva. Do Norte é enviado a “escuridão” e as forças maliciosas.

(A Torá, “Bamidbar”)

A localização das bandeiras (estandartes) dos acampamentos dos judeus corresponde aos quatro lados da Luz.

O sistema unificado chamado a alma comum consiste em doze partes (as doze tribos) que se relacionam e estão conectadas entre si de acordo com os quatro lados do mundo que significam as quatro partes – Hochma, Bina, Zeir Anpin e Malchut.

E as bandeiras devem ficar umas diante das outras:

Bina – Hochma

Malchut – ZeirAnpin

Cada parte é composta de 3 linhas, com um total de 12 partes (12 tribos). Sua localização representa o emparelhamento do vaso da alma comum.

A Torá especifica sob quais bandeiras elas devem estar. A bandeira simboliza o propósito particular de cada campo que tem suas próprias características e propriedades. Por conseguinte, o objetivo comum é expresso nelas num foco ligeiramente diferente, a partir de um ângulo diferente.

Como exemplo, o corpo humano é constituído por vários órgãos. Cada um a sua própria maneira detecta os movimentos do corpo, apoios, etc. Do mesmo modo, graças à variedade de propriedades e a maneira como se conectam entre si, as propriedades da força geral, do Criador, são reveladas.

A propriedade de doação se revela como resultado de enormes diferenças egoístas. A doação é tão absoluta como o amor de uma mãe: faça o que quiser; eu ainda amo você.

De KabTV “Segredos do Livro Eterno” 24/12/14

Comente