Vá Para Sua Terra

Baal HaSulam, “A Herança da Terra”: Israel não voltará para sua terra, a menos que todos se tornem um “feixe”.

Terra (Eretz) refere-se ao desejo (Ratzon). Queremos adquirir a “terra de Israel”, que é um desejo especial que tem de ser dirigido ao Criador, Yashar-El (direto para o Criador). Isso significa que temos que focar o nosso desejo no Criador, a fim de doar, e isso se expressa quando nos concentramos no amor aos outros.

Como é isto relacionado com a localização geográfica do Estado de Israel? É isto sobre ramos e raízes? A nação judaica pode viver em sua terra apenas se eles são compatíveis com as leis que operam entre a nação e a terra espiritual de Israel.

Isto significa que quando os meus desejos estão focados em como agradar ao Criador, que é expresso em deliciando os outros de acordo com o princípio de todos em Israel são amigos, e são mutuamente responsáveis ​​uns pelos outros; não faças aos outros o que é odioso para você; ama teu amigo como a ti mesmo; como um homem em um só coração, etc..

Se sou atraído por isso, significa que eu corrigi todos os meus desejos com a ajuda da Luz Superior, e, em seguida, eles mudam de desejos externos para desejos internos; eles se transformam de uma terra seca a um desejo de Yashar-El (Direto ao Criador). Então, conforme eu entro na terra espiritual de Israel, na espiritualidade, eu sou atraído para a terra de Israel, na corporalidade.

Esta é a razão pela qual o Criador enviou Abraão da Babilônia para a terra, que era a terra de Canaã, na época, de modo que ele iria corrigir-se lá e sentir a verdadeira natureza de Yashar-El(Direto ao Criador). Trata-se tanto do trabalho interno como das ações corporais. As famílias dos estudantes de Abraão recolheram seus pertences, seus camelos, as suas ovelhas e cabras e viajaram para aquele lugar. Esta transição foi de acordo com o seu trabalho de conexão, de acordo com o que Abraão lhes havia ensinado.

As pessoas no mundo não entendem a lei da compatibilidade entre um ramo e uma raiz. Mas foi expressa até mesmo na Babilônia, quando o seu povo espalhou-se por todo o globo. Primeiro, eles eram como uma só nação, apesar de serem muitas tribos e famílias estendidas. Então, quando o ego irrompeu entre eles e começou a se expandir, os sinais de separação apareceram.

Pessoas, conectadas umas às outras, afastaram-se, e assim eles dividiram-se em grupos que eventualmente deixaram a Babilônia e espalharam-se por todo o mundo. Esta é a forma como as nações do mundo foram criadas. Elas foram formadas de acordo com os desejos egoístas que determinaram a sua singularidade e quem podia dar-se bem com quem. Conseqüentemente, vemos que hoje cada nação tem sua mentalidade única, costumes, tradições, etc..

Além disso, as pessoas de toda a Babilônia, que tinham um ponto no coração, reuniram-se em torno de Abraão, independentemente das tribos ou das famílias estendidas a que pertenciam. Quando ouviram a mensagem de que Abraãao expandiu-se eles sentiram que queriam pertencer a este grupo, que dirigiu-se para Canaã, de acordo com a lei do ramo e da raiz.

O resto das pessoas não sabia por que eles foram atraídos para lugares diferentes. É o mesmo hoje: Uma pessoa não sente que é o Criador que lhe envia tudo na vida e que Ele guia-o em uma determinada direção ou outra. Parece que tudo acontece por acaso, sem uma causa, embora nada seja aleatório na natureza. As razões simplesmente nos são ocultas.

“Por outro lado, o grupo de Abraão recebeu uma ordem clara: Vá para sua terra”. Em outras palavras, os alunos sentiram muito claramente a conexão entre a raiz espiritual e o ramo corpóreo. Eles estavam em um estado de Canaã e, portanto, chegaram à terra de Canaã.

Mais tarde, eles conectam-se com mais força, um ao outro, até que eles alcançaram o estado da “casa de Jacó”, que significa a unidade na pequenez (Katnut). Em seguida, eles descobriram que faltava uma unidade adicional interior, resistência, ou, em suma, uma adição, material para o trabalho.

Assim, seu desejo egoísta começou a crescer, o que é chamado o exílio no Egito. Este processo interno foi acompanhado por um processo externo: Eles desceram para o Egito. Lá, eles foram submetidos a diferentes experiências de acordo com os seus estados internos: sete anos de saciedade, sete anos de fome, as pragas do Egito, contudo tudo isso aconteceu externamente e não em total conformidade com os seus estados internos.

Não podemos discernir esta conexão; entretanto, não há razão para procurar por paralelos definitivos. No êxodo espiritual do Egito, por exemplo, todo o Egito, o que significa que caiu todo o desejo egoísta. Afinal de contas, os filhos de Israel deixaram o grande ego. Ele existia entre eles e não os deixava conectarem-se, a despeito de todos os seus esforços, até que tiveram a chance de subir acima dele. De um modo geral, esta conexão só foi possível acima do ego, e não no seu interior, ou em conjunto com ele.

Mas algo diferente aconteceu no mundo corpóreo. O Egito não caiu imediatamente após os filhos de Israel deixá-lo. Afinal de contas, este mundo existe, embora não haja nada espiritual nele. Este é o lugar donde deriva a falta de correlação entre a destruição espiritual do Egito e o ramo espiritual.

Nós estabelecemos nossa realidade entre nós no nível espiritual, e o nível corporal, que é percebido por nossos cinco sentidos, permanece o mesmo. Não há nenhum conteúdo espiritual nele e ele não tem de tornar-se desolado de acordo com os eventos espirituais. Isto é como a diferença entre os níveis é revelada enquanto o Egito corporal permanece em seu lugar, embora tenha sido destruído em nossos estados internos.

Isto diz que a raiz espiritual tem que tocar o ramo corporal, mas apenas tocá-lo. Não está vestida com ele e não opera nele.

[133998]

Da 5ª parte da Lição Diária de Cabala de 30/4/14, Escritos do Baal HaSulam

Material Relacionado:
A Terra De Israel E O Direito De Assentamento Temporário

Comente