Refúgio

Dr. Michael LaitmanPergunta: O Holocausto que se abateu sobre a nação judaica foi o evento mais trágico de toda a nossa história. Mas quando vemos como o antissemitismo está ganhando força em todo o mundo, parece que, em vez de se tornar uma coisa do passado, o Holocausto é possível inclusive hoje. Pode o Holocausto acontecer de novo?

Resposta: O ponto do processo que está acontecendo conosco é para nos arrependermos de nossa natureza egoísta e exigirmos sua substituição, a substituição do ódio pelo amor fraternal. A fim de chegar a esse tipo de realização, nós precisamos aprender sobre todo o programa da criação.

A ciência da Cabalá explica que toda a criação é um sistema analógico fechado, cuja totalidade das partes estão interconectadas em todos os níveis numa esfera. Assim, cada elemento afeta todos os outros elementos, e todos participam harmoniosamente no sistema, exceto o homem.

Imagine uma esfera que ainda a natureza inanimada, plantas, animais, e que todos existem em total simbiose com o outro. Mesmo que víssemos como um deles devora o outro, é apenas porque o homem, a criatura mais desenvolvida, é má e egoísta por natureza.

O egoísmo nos separa e nos obriga a lucrar à custa dos outros, a competir e guerrear. Cada pessoa se sente melhor se consegue chegar à frente dos outros, em vez de deixá-los chegar à frente dela.

A natureza humana é oposta à natureza integral global e perfeita, que é um sistema redondo e fechado. Mas, no final, a humanidade tem que chegar à equivalência com a natureza e alcançar um estado maravilhoso, perfeito, onde todas as nações do mundo estão unidas.

Há uma nação especial chamada a nação de Israel, que tem o método para alcançar a unidade. Esta nação viveu em tal unidade por 1600 anos, desde o tempo da antiga Babilônia em diante.

Depois de sair da antiga Babilônia, a nação judaica atravessou a terra de Canaã, o Egito e o deserto do Sinai, e depois atingiu a terra de Israel, onde viveu até a destruição do Templo e sua expulsão no último exílio. Por cerca de 1500 anos, essa nação viveu pelo princípio do “ama ao próximo como a si mesmo”.

A nação judaica viveu na realização da natureza geral da unidade, e em virtude disso alcançou as leis da natureza geral, alcançou o “Criador”, ou perfeição, amor mútuo e doação.

Depois disso, nós caímos da altura do amor para o ódio e, assim, nos tornamos iguais a todas as nações do mundo, entre as quais vivemos até hoje. Mas cerca de cem anos atrás, a nação judaica teve a oportunidade de voltar à terra de Israel, a fim de criar novamente o Estado de Israel aqui.

O Estado de Israel deve ser criado de acordo com o nosso programa, as leis pelas quais estamos habituados a viver, ou seja, as leis da unidade da nação e do Estado. Sem essa unidade, que atende a nação judaica, isto é, o “ama ao próximo como a si mesmo”, não podemos nos tornar uma nação. É por isso que ainda somos chamados de uma reunião de exilados.

Só pela realização do método da unidade, que nos foi dado, é que vamos construir a nação de Israel. Caso contrário, não podemos ser considerados uma nação. Parece que vivemos juntos, num país, mas, na realidade, cada um é por si mesmo. É assim que vivemos hoje. Muitas pessoas até gostariam de sair, e ficariam felizes em deixar o país se tivessem a chance de viver bem no exterior.

Não há o espírito de uma nação aqui, vivendo num país, em sua terra. É mais como um refúgio onde nos reunimos porque não tínhamos outra escolha. No entanto, enquanto que em gerações anteriores, imediatamente depois do Holocausto, quando os judeus escaparam para cá de outros países, Israel se assemelhava a um refúgio, hoje já não é mais um, porque hoje cada pessoa tem a oportunidade de viajar pelo mundo e viver onde ela quer. Você pode encontrar israelenses em qualquer parte do mundo. Ou seja, nós estamos mais uma vez dispersos por todo o mundo, como se a ameaça já tivesse passado e nós pudéssemos sair do refúgio.

Mas, de acordo com o programa da criação, nós temos que nos tornar uma nação, e não é para podermos viver bem, mas para mostrar o bom exemplo para todos os outros. Este é o significado de se tornar “uma luz para as nações do mundo”.

Nós vamos ter que perceber essa unidade, quer queiramos ou não. Portanto, vamos experimentar todos os tipos de problemas dentro da nação de Israel, junto com um terrível ódio e antissemitismo de fora, de outras nações, até que tudo isso nos obrigue a unir. Mas nós podemos nos tornar conscientes da necessidade de unir por nossa própria conta e começar a trabalhar nisso de acordo com o método da Cabalá, que explica como a amar ao próximo como a si mesmo. Então não precisaremos ser cutucados por lutas internas ou ódio externo.

De KabTV “Uma Nova Vida” 12/04/15

Comente