O Mundo Sem A Elite E A Classe Baixa

laitman_430Se nós entendermos que tipo de vida estamos levando, vamos querer sair dessa situação. Hoje, o mundo está chegando a um estado tal que ele não terá escolha. Caso contrário, todos os governos terão que pensar e decidir o que fazer com 90% da população que eles não precisam.

Cem ou duzentos anos atrás, uma pessoa que não trabalhava não tinha nada para comer. Hoje, no entanto, uma pessoa não precisa trabalhar para comer. Há uma abundância de alimentos no mundo. No passado, uma pessoa não tinha nada para vestir se não tivesse dinheiro. Hoje, há tanta roupa no mundo que não há nenhum problema em estar vestido.

Portanto, o que deve ser feito com as pessoas que não temos necessidade? De uma população de sete bilhões, quinhentos milhões são suficientes para suprir a todos com tudo o que é necessário. E o que o resto das pessoas vai fazer? Para onde vai esse mundo? Que tipo de sentido há na existência de todos os sete bilhões? Como a próxima geração será construída?

Existem algumas abordagens e opções aqui. Uma abordagem é a abordagem fascista que diz que temos que reconstruir câmaras de gás e fornos, e voltar ao Holocausto. Limpem essa terra de alguns bilhões de pessoas, se não há nenhuma necessidade delas. Então, o que deve ser feito com elas? Outros dizem que isso é desumano, mas é possível fazer a mesma coisa através de drogas e medicamentos. Existem diversos métodos para reduzir a população.

Há um outro método: organizar guerras em todo o mundo em que eles se matam, ou desenvolver tal ideologia em que uma pessoa não precisa se casar e ter filhos. O casamento do mesmo sexo se torna aceitável para todos, homens com homens e mulheres com mulheres. O elemento principal é reduzir a quantidade da população que não é necessária para ninguém.

Hoje, o maior problema é que existem bilhões de pessoas supérfluas. Isso não é no sentido de que não há comida suficiente, e que não podemos alimentá-las. Pelo contrário, há um enorme lastro que não tem nada para fazer. Não há suficiente para eles em termos de tempo, espaço e cuidado. Eles se tornam irrelevantes, e este é um problema muito grande.

Se olharmos para o mundo desde cima, de um ponto de vista demográfico, do lado dos governos, vemos toda a seriedade e gravidade do problema. Talvez então entendamos o que está acontecendo hoje no mundo, por que ninguém se preocupa com onde as guerras estão acontecendo e há um aumento do uso de drogas.

A razão para tal atitude indiferente está começando a ser entendida. Nós estamos diante de um problema muito grande. Queremos continuar a avançar através dos métodos antigos como antes, mas o mundo exige que cheguemos a uma nova estrutura.

Certamente, é possível iniciar uma guerra atômica e reduzir o número de pessoas que vivem no mundo pela metade ou três quartos. No entanto, a natureza nos obriga a chegar a um estado em que não haverá nem elites nem uma classe baixa.

No mundo de hoje, há um grande número de pessoas “extra” para o capitalismo. Nós não temos escolha. Devemos chegar a uma nova forma social construída sobre a igualdade absoluta, pois no final do desenvolvimento do capitalismo, 90% da população vai ficar sem trabalho, e não haverá nada para mantê-las ocupadas.

A única maneira é dar-lhes trabalho na construção de novas relações entre si de acordo com o princípio da igualdade. Afinal, apenas uma forma como essa assegura a continuação da existência humana no mundo moderno, avançando em direção à igualdade e maior conexão entre as pessoas até que descubramos um novo modo de vida entre nós.

Este é exatamente o processo que está acontecendo no mundo hoje, embora nem todo mundo perceba. Mas a abordagem de cima é muito clara. O problema está apenas na costura entre a nova e a velha forma pela qual o mundo sempre existiu até nossos dias e através da qual nos desenvolvemos nos níveis inanimado, vegetal e animal. Hoje, toda a humanidade atingiu um novo nível de desenvolvimento humano.

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 08/04/15, Escritos do Rabash

Comente