O Amor Num Fogo Baixo Que Não Se Apaga

Laitman_183_04Comentário: Na sociedade de hoje, há uma convenção de que as pessoas entram numa conexão íntima muito rapidamente após o primeiro encontro. E há uma enorme omissão. Na mente do público a revolução sexual é percebida como permissiva.

Resposta: É por isso que não obtemos prazer com o sexo. Existe algum tipo de convenção social que permite entrar numa conexão íntima muito rápida após mal se encontrar e não saber nada sobre o outro. Assim, nós estamos perdendo todo esse imenso suplemento que leva a uma explosão dos sentidos.

Afinal, o que acontece depois que a dupla alcança a satisfação sexual? Tudo acaba e nada permanece. É assim que a natureza nos obriga a adicionar um componente emocional a este ato, e se ele estiver ausente, nós o deixamos vazio. Um momento depois, os nossos pensamentos já estão em outro lugar. Talvez, já estejamos pensando em alguma outra conexão.

A satisfação só é possível se construirmos um sistema de relacionamento onde o ato sexual apenas o complementa e não é realizado apenas para satisfazer o nível mais baixo de um desejo bestial. Nós devemos aprender a amar! Em primeiro lugar, cabe a nós construir um sistema comum de conexões, concessão mútua, compreensão mútua e contatos agradáveis.

Estes são os sistemas que possibilitam que alguém sinta a pessoa internamente e aprenda a dar-lhe prazer, e ela vai sentir o que eu gosto, o que me dá prazer. Não se trata de sexo aqui. Pelo contrário, trata-se de todos os tipos de conexões entre nós.

É bom para nós estar juntos, conversar, nos ver, saborear algo que alguém lhe oferece, o que significa dizer que estes são todos os tipos de expressões humanas com as quais podemos desfrutar um do outro.

Para amar o outro como a mim mesmo, eu preciso primeiro entender quais são suas necessidades e tentar satisfazê-las, e meu parceiro aprende as minhas necessidades e as satisfaz. Ele deve sentir o prazer de mim, e eu quero desfrutá-lo. Quando uma conexão como essa é criada entre nós, onde cada um se encontra dentro do outro e atende às necessidades do outro, já podemos chegar a uma proximidade íntima. Isso também indica que estamos um dentro do outro e estão satisfazendo nosso parceiro.

Nós somos pessoas com muitos talentos, envolvidos com uma variedade de coisas, e nem sempre exigimos atenção um do outro. No entanto, há uma necessidade latente em cada um de nós que pode ser despertada a qualquer momento e satisfeita através de algumas palavras de carinho ou toque.

Pergunta: Eu entendo essa técnica, mas palavras bonitas nem sempre tocam o coração de alguém. O que eu devo fazer para tocar nesse ponto interior dentro de um parceiro que está esperando secretamente por minha atenção?

Resposta: Nós começamos de longe, com palavras suaves, para estimular a pessoa. Essa é a mesma abordagem como em qualquer outro tipo de relacionamento humano, não só entre casais. Você tenta proporcionar satisfação e amor ao parceiro.

“Cortejo” significa que, em primeiro lugar, eu aprendo a compreender quem é a pessoa com a ajuda de todos os tipos de pequenas e curtas análises, tentativas cuidadosas. É assim que eu encontro os pontos sensíveis nela para que, quando eu tocá-las, posso lhe dar prazer. Eu devo desenvolver o meu relacionamento com esses pontos sensíveis e expandi-los cada vez mais.

Através de exercícios como estes, eu desperto na pessoa uma necessidade pela minha atenção. Eu continuo a satisfazê-la: eu digo palavras bonitas para ela, dou algum presente, descubro preocupação e atenção, e, desta forma, aos poucos faço com que ela se acostume com essas satisfações, como se eu domasse um animal. Cada um de nós é construído assim. Graças a isso, eu formo uma necessidade de satisfação nela, para o meu bom relacionamento com ela.

Aqui, eu paro minhas ações um pouco, e depois começo a satisfazer o meu parceiro novamente – paro um pouco, satisfaço novamente. Desta forma, eu o inflamo e desperto nele um desejo ainda maior. Este é o jogo que nós jogamos um com o outro. Este é o jogo entre duas pessoas amorosas que sabem como manter o seu amor em fogo baixo para que a qualquer momento seja possível acendê-lo numa grande chama.

Isso requer habilidade. Eu não posso repetir as mesmas frases feitas, mas devo me ajustar com precisão aos desejos do meu parceiro. No entanto, mesmo isso não é suficiente. Depois de me ajustar, eu devo começar a desenvolver o desejo, expandindo-o o tempo todo através da satisfação. Isso é até que o hábito se torne uma segunda natureza. Então, minha esposa vai sentir uma necessidade tão forte por minha relação para com ela, e eu sinto a mesma coisa sobre ela.

Portanto, segue-se que nós estamos construindo um espaço comum entre nós. Minha necessidade é construída dentro dela, e sua necessidade é construída dentro de mim. Esta área comum, onde dependemos uns dos outros é o território do nosso amor.

De KabTV “Uma Nova Vida” 09/06/13

Um Comentário

  1. Agradeço

Comente