Liberdade E Dependência

A Torá, “Levítico” 26: 1 – 26: 2: Vocês não devem fazer ídolos para vós mesmos, nem devem estabelecer uma estátua ou um monumento para vós mesmos. E na vossa terra vocês não podem colocar um pavimento de pedra onde prostrar-vos, pois eu sou o Senhor, vosso Deus. Vocês devem manter os Meus sábados e temer Meu Santuário. Eu sou o Senhor.

Não prostrar-se significa tentar ser o mais independente possível-livre.

Este é um paradoxo, mas a liberdade e independência devem ser formatados sob o slogan, “pois eu sou o Senhor, vosso Deus”, o que implica absoluta falta de liberdade. É nesta absoluta falta de liberdade que eu compreendo que devo ser totalmente livre, o que significa subir acima de mim mesmo, e unir-me com o Criador.

Na verdade, é na unidade com Ele que eu consigo a independência completa. É difícil perceber esse paradoxo devido à sua dualidade, mas existe. Os cientistas que lidam com a física quântica também estão começando a perceber essa dualidade. Embora eles não percebam, teoricamente, eles entendem que isto é assim.

No entanto, como podemos integrar esses dois opostos? É absolutamente impossível. É impossível na percepção unidimensional. Não podemos sequer imaginar o que significa ser livre de acordo com a nossa unidade com a força do Criador. A fim de fazer isso, nós precisamos ter um sistema interno que combina os dois opostos.

Pergunta: Isso significa que eu tenho que estar livre de todos os ídolos e imagens de escultura que eu sigo?

Resposta: Os ídolos e as imagens esculpidas são essenciais para meu desenvolvimento. Devo agarrar-me a algo, como uma criança que agarra-se a algum brinquedo, uma chupeta, ou um cobertor, e não pode viver sem isto. Eu sinto o mundo através disto.

É impossível avançar sem ídolos e imagens esculpidas, uma vez que desenvolvemos na medida em que estamos a subir acima deles. Cada vez que eu mudo as diferentes divindades até subir acima desses estados, tornando-me totalmente livre dos ídolos e, ao mesmo tempo, sou totalmente dependente do Criador.

Este fenômeno é típico de nossa época, quando os ídolos e imagens esculpidas desaparecem gradualmente e uma pessoa parece encontrar-se suspensa no ar. Estamos começando a purificar-nos deles, mas, ao mesmo tempo, eles também estão florescendo e se espalhando. Logo veremos a crescente atração pela religião e mais guerras que são supostamente desejáveis a Deus.

A humanidade de alguma forma precisa cortar esta conexão apertada e complexa e fazer algo a respeito da economia e da política e do dano que causaram ao mundo.

No entanto, eles não resolverão nada por este método. A única alternativa para os sofrimentos é a adequada educação das pessoas e trazê-las para o reconhecimento do que está acontecendo no mundo. Não há mais nada, exceto isto, nenhum outro método de alterar o homem ou de colocar pressão sobre nós, por parte da natureza ou da sociedade. Este ponto crítico está chegando mais perto.

[156850]

De KabTV de “Segredos do Livro Eterno” 19/11/14

Material Relacionado:
Não Deverás Criar Uma Imagem Esculpida de Si
Nós Mesmos Criamos O Criado

 

Comente