Letras Do Sistema Superior

laitman_610_1O Ari, “Shaar HaKavanot” (Portões da Intenção): A primeira Katnut (pequenez) do Tachton (inferior), de NHY de Ima, a fase de Tevuna, é chamada de Elohim (א-ל-ה-י ם), Din (julgamento).

Na segunda Katnut do Elyon (superior), de HGT de Ima, em Bina, os Dinim não estão revelados como em Tevuna, então isso é chamado de AHDTM (א-כ-ד-ט-ם), que é obtido por substituição das letras pelas letras que vêm antes.

Não há letra antes de Aleph, por isso ela não pode ser transformada. Mas Lamed passa a ter a Kaf antes dela. Hey é substituída por Dalet antes dela. Yod é substituída por Tet antes dela. A Mem final – é substituída pelo Mem aberta antes dela. E já que é impossível para ela permanecer aberta no final de uma palavra, está escrito como uma Mem final.

Imagine que nós estamos numa investigação e estamos começando a diferenciar entre as forças, entre as origens das forças, os resultados das forças que agem sobre nós, a nossa participação nessas forças revela o sistema superior diante de nós. Quanto mais descobrirmos o sistema, mais poderemos compreender como ele funciona e age. Como resultado de tal investigação, artigos como esses aparecem. Diante de nós está um artigo científico que explica a ação do sistema superior que nos gere.

Pergunta: O que significa a substituição das letras e sua combinação? O que são “frente” e “costas”?

Resposta: Frente e costas (verso) são Ohr Yashar (Luz Direta) e Ohr Hozer (Luz Refletida), um nível e seu interior. Existem várias combinações e substituições de letras. Originalmente, cada letra tem seu caractere como uma estrutura complexa. A letra é um desejo de receber que tem um Tzimtzum (restrição), Masach (tela) sobre si e Aviut (espessura/desejo de receber). A letra é completamente envolta em Luz e por isso mantém a sua forma particular que indica sua relação no que diz respeito à Luz. Assim, a letra é chamada de “caixa”, uma letra.

Para cada letra, ou seja, para cada estado em particular, existe um estado anterior a ele e o próximo estado, o superior e o inferior. Há estados que acontecem simultaneamente, da direita e da esquerda. Há estados que são o reflexo das dez Sefirot do Elyon sobre as dez Sefirot do Tachton, então todas as Sefirot de Hochma estão conectadas, todas as Sefirot de Bina estão conectadas, e assim por diante.

Mesmo que a Luz passe gradualmente por meio de outras Sefirot, por todas as letras, todas as estações, ela passa por uma onda particular que é percebida apenas pela Sefirot de mesmo nome; Ohr Bina é percebida apenas pela Sefirot de Bina e Ohr Hochma é percebida apenas pelas Sefirot de Hochma.

A conexão entre uma Sefira e todo o resto das Sefirot, e a conexão entre esses tipos de Sefirot são tipos completamente diferentes de conexão. É exatamente como o departamento de saúde conecta todos os médicos no país. Junto com isso, os médicos têm uma infinidade de outras conexões, com outros departamentos, com a família, e assim por diante.

É assim que o sistema é construído. A fim de expressar essas conexões nós precisamos de símbolos para descrevê-las. As combinações de letras possibilitam que façamos isso. No entanto, essa não é uma descrição suficiente. Só alguém que sente e reconhece esses estados em si mesmo, quando olha para as letras, pode implementar, examinar e, depois, entender o que elas estão falando.

Nenhuma língua, nem mesmo todas as línguas juntas, podem expressar a conexão integral. Com a ajuda de uma linguagem limitada e uma “fatia” é impossível expressar a totalidade. Portanto, os Cabalistas não descrevem todo o sistema espiritual. Eles só indicam sinais sobre o caminho para aqueles que os seguem, e assim nós teremos Ohr Makif (Luz Circundante).

Da 3ª parte da Lição Diária de Cabalá 09/04/14, Escritos do Ari

Comente