“E Serás Chamado Diante Do Nome Do Criador”

laitman_528_04Pergunta: Como eu posso escolher entre agir a favor do meu ego ou a favor do ambiente? Afinal de contas, às vezes o meu ego me confunde e me convence de que o que é bom para o meio ambiente é diferente do que a sociedade define como bom.

Resposta: Se o grupo diz algo, é, sem dúvida, um sinal de que essa é a maneira que deve ser. É dito: “Eles têm olhos, mas não podem ver”. Como você pode acreditar em seus próprios olhos? Se o grupo me diz que algo tem que ser feito, eu posso organizar um debate, um workshop, mas, no final, eu tenho que aceitar a decisão do grupo.

A mesma regra se aplica às relações entre o professor e os alunos, como está escrito: “Eduque uma criança segundo os seus caminhos” (Provérbios 22: 6). Se o grupo toma uma determinada decisão no que diz respeito ao seu caminho, eu vou junto e não posso correr na frente, já que não terei mais permissão de descobrir de cima, a menos que seja de acordo com a opinião do grupo, seu desejo, decisões e perspectiva. Eu não posso julgar o grupo e eu mesmo. Eu inclusive me engano no meu autojulgamento e continuamente chego a conclusões erradas. Isso é sem dúvida o que acontece.

Pergunta: Portanto, o que pode alimentar uma pessoa, se ela acredita que o grupo está errado?

Resposta: Claro que eu sempre acredito que o grupo está errado, mas não preciso prestar atenção a esses pensamentos. É claro que eu acho que todo mundo está errado e eu estou certo. Mas, se o Criador me trouxe para o grupo e disse “tome”, eu tenho que aceitar esse destino. Mas como eu posso aceitá-lo se não concordo com a opinião do ambiente, não estou incorporado nele, e não me conecto com os amigos?

Eu não sou objetivo porque julgo tudo com minhas corrupções (“a pessoa julga de acordo com suas próprias falhas”), de acordo com o meu ego. Os amigos também chegam à conclusões egoístas e podem estar estudando tanto quanto eu, podem entender menos, mas se eles têm uma opinião geral, eu tenho que aceitá-la. Este é o meu ambiente e eu tenho que crescer nele, porque não posso crescer sozinho. Eu tenho que aceitar a sua opinião como se fosse a opinião da minha mãe, como um útero ao qual eu tenho que me adaptar, e a força superior vai completar o trabalho.

O ambiente é a forma em relação a qual eu tenho que quebrar meu ego e transformá-lo em doação. Esta é a razão de se dizer “Eduque uma criança segundo os seus caminhos”, o que significa que temos que levar em conta o seu caminho, o seu desejo, o seu progresso, e assim avançar. Isso não pode ser feito de forma diferente.

Caso contrário, não há nada com que eu possa me anular. O Criador não está ao meu lado. O grupo deve ser sempre o Criador para mim, cada vez mais. Por isso se diz: “do amor dos seres criados ao amor do Criador”. Se eu me estabilizar no que diz respeito ao grupo, eu vou começar a ver o Criador através dele, porque a forma do grupo é a forma do superior.

Nós temos que discutir e esclarecer todas estas questões e consultar o professor, mas uma vez que o grupo tome uma decisão, eu tenho que me anular no que diz respeito à sua opinião. Uma pessoa não pode se beneficiar se tem queixas em relação ao grupo e se o deixa e desaparece. Todas as suas queixas, seus desejos e seus pensamentos são inúteis se ela não anular no que diz respeito ao grupo. Esta é a única razão pela qual eles foram dados a ela.

O grupo também me dá o poder de me anular. Eu recebo a Luz que reforma através dele, e é claro que não tenho um poder próprio. Mas eu já entendo que meus miseráveis e temporários pensamentos e desejos, e os pensamentos e desejos do grupo, me foram dados apenas para que eu exija a Luz que Reforma e me apegue a ela cada vez mais.

Um embrião não precisa do útero, mas precisa da força que ele obtém através dela e que formata o seu corpo de forma semelhante ao superior. O superior não é o útero. O útero é apenas o meio temporário para que eu me adapte e me anule no que diz respeito ao superior, mas, ao mesmo tempo, eu não revelo a sua forma.

Quando eu recebo a Luz que Reforma, eu construo a mim mesmo, nasço e continuo crescendo. É assim que eu construo a minha imagem humana, e dessa imagem eu descubro quem é o superior. O Criador não tem forma própria. Minha forma corrigida é chamada de Criador. “E me chame diante do nome do Criador”.

Da Preparação para a Lição Diária de Cabalá 14/02/14

Comente