Profissionalismo No Trabalho Espiritual

laitman_249-03Pergunta: Como uma pessoa sente que está realizando um serviço para o Criador, que está estudando o interior da Torá e não se encontra em atividades externas?

Resposta: A diferença entre a Torá externa e seu interior é que a pessoa tenta ver a relação entre ela e o Criador em tudo o que está acontecendo com ela.

O mundo inteiro, os amigos, os sentimentos interiores, todos os tipos de imagens, eventos e situações, esta é a única língua que falamos com o Criador. Se eu começo a me relacionar com a realidade dessa forma, é dito que eu comecei um diálogo com o Criador e me encontro no trabalho interior.

Todo profissional sente seu trabalho de uma maneira primorosa e minuciosa, o que não é compreendido de fora. Se você estiver instalando um ar condicionado num edifício, o consumidor quer que ele funcione e refresque o quarto, mas você está pensando numa infinidade de detalhes e sutilezas, decidindo a melhor forma de fazer isso. Tudo depende do desenvolvimento dos sentidos, da sensibilidade.

Isto porque com cada pedaço de metal você tem uma conexão com um sentido interno e decide fazê-lo desta forma ou de outra. Tudo passa pela linguagem dos sentidos, assim como um violinista sente cada nota que ele toca. Assim, cada especialista sente o material com o qual está trabalhando, não importa o quão grosseiro ele seja.

No trabalho espiritual, também, um sentimento é necessário, o qual é atingido indo-se cada vez mais fundo nele. Nós realmente começamos a senti-lo no nível físico, no corpo, no coração. A substância da criação é o desejo de prazer que percebe tudo no sentimento. A mente só nos ajuda a entender o que estamos sentindo e arranja uma comparação entre fenômenos comparando qualidades, formas e cores.

A mente funciona num sistema duplo como um computador, apenas com zeros e uns: sim/não. Assim, a compreensão só vem com a experiência. A principal coisa é tentar ir mais fundo nas sensações que são relevantes à conexão entre o Criador e nós, e não deixar a mente vagar para coisas externas. Concentre-se principalmente no centro da conexão, o interior da conexão.

Ninguém é tão sábio quanto o experiente. Mas, se trabalhamos num grupo, então estamos integrados uns com os outros, somos estimulados por outros, por suas palavras, por suas perguntas, e avançamos muito mais rápido.

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 02/05/14, Escritos do Rabash

Comente