Trazer Benefícios Para A Sociedade Até Seu Último Suspiro

Dr. Michael LaitmanPergunta: Se um homem tornou-se famoso no mundo graças as suas realizações excepcionais, isso o liberta do medo da morte?

Resposta: Não acho que haja um homem que não tenha medo da morte se ele entende que a morte é o fim. Somente os animais não têm medo da morte. Eles têm apenas um medo instintivo do que pode prejudicá-los, e vivem de acordo com o instinto de autopreservação.

No entanto, as pessoas têm medo da morte porque têm uma imaginação, sentimentos, e podem aprender com suas experiências e eventos que ocorrem.

Afinal, o homem que era meu amigo está morto agora e não sobrou nada exceto um corpo sem vida; o sopro da vida o deixou. Não há nada mais a fazer, exceto enterrá-lo, e eu entendo que isso também acontecerá comigo.

A sensação de perder a vida é uma experiência única. Por um lado, nós devemos, se necessário, lutar, e um pode ser morto. No entanto, neste caso, temos a oportunidade de superar o medo da morte.

Nós voamos para o espaço e arriscamos nossas vidas em todos os tipos de situações de perigo, e não é porque somos obrigados, mas simplesmente por causa da atração interna. Há uma atração especial para sentir-se à beira da vida e da morte. Este é um fenômeno psicológico conhecido.

O homem é construído de tal forma que a opinião da sociedade obriga-o ao heroísmo e orienta-o em todos os tipos de situações. No entanto, na velhice, a morte assusta o homem e o convida a um sentimento de desespero, inutilidade e traz à tona o medo escondido dentro dele. O homem tenta suprimir esse medo e não o deixa irromper; o que ajuda é estar entre pessoas no seu meio de suas vidas.

A pior coisa que podemos fazer para uma pessoa idosa é colocá-la num asilo, na companhia de pessoas como ela. Nós achamos que é bom e mais confortável para ela. Mas não é bom para ninguém. Uma pessoa precisa estar numa sociedade normal entre jovens e velhos que estão cheios de vida.

Ao reunir todas as pessoas idosas num único lugar, nós podemos prejudicá-las, não importa qual tratamento médico elas recebam.

Pergunta: Em sua opinião, qual é a vida ideal para uma pessoa idosa?

Resposta: Eu acho que enquanto ela tem a força, ela deve trabalhar e trazer benefícios para a sociedade, até seus últimos dias. Talvez ela não possa andar e possa apenas se sentar, mas se ela é capaz de trabalhar, isso combina com sua habilidade. E todos vão lhe agradecer por isso; ela vai saber que é valorizada e vai continuar assim quase até seu último dia.

Pergunta: Como pode uma pessoa superar o medo psicológico da morte iminente?

Resposta: Eu acho que a pessoa precisa estar engajada no trabalho e se ocupar dele de tal forma que, até o último minuto de sua vida, traga benefício para a sociedade. Eu não estou falando de pessoas muito fracas que não conseguem ver, ouvir ou perceber algo, mas, enquanto uma pessoa tem inclusive um poder limitado, ela pode trazer grande benefício na disseminação da educação integral. Se ela participar de um grupo de jovens, ela lhes trará grande benefício, e eles também lhe trarão benefícios.

Quando ensinamos o método da conexão, nós misturamos pessoas de todas as idades em grupos e tentamos dar a cada grupo etário a oportunidade de se expressar em relação às outras faixas etárias. Por isso, nós podemos trazer benefício para velhos e jovens. Os idosos podem ensinar os jovens, apoiá-los e assim proporcionar e reforçar o espírito de vida.

De KabTV “Uma Nova Vida” 22/04/14

Comente