Trabalhar Não Em Prol Da Recompensa

Laitman_167Baal HaSulam, Carta # 16: … Portanto, antes de alguém sair para ganhar o pão de cada dia, ele deve remover os seus pensamentos da Providência privada e dizer: “Se eu não for por mim, que será por mim?”. Ele deve fazer todas as táticas aplicadas na corporeidade para ganhar a vida como fazem os outros.

Mas à noite, quando volta para casa com seu salário, ele nunca deve pensar que ganhou esse lucro por suas próprias inovações, mas que, mesmo se ficasse o dia todo no porão de sua casa, ele ainda teria ganho seu pagamento, pois o Criador contemplou por ele antes, e por isso tinha que ser.

Portanto, por que uma pessoa deveria fazer um esforço por nada, se ela obterá tudo de qualquer maneira? O esforço e os incômodos são necessários para corrigir a Shevira (quebra). Em sua percepção e seus Kelim destruídos, parece-lhe que ela realmente faz o trabalho e que isso depende de seu esforço.

Isso significa que a diferença entre os dois princípios de “Se eu não for por mim, quem será por mim?” e “Não há outro além Dele” é precisamente a mesma Shevira. Se fechássemos e anulássemos a diferença, retornaríamos à adesão.

Este é o significado da unificação de HaVaYaH Elokim. HaVaYaH significa a Providência privada, onde o Criador é tudo, e Ele não precisa de moradores de casas de materiais para ajudá-lo. Elokim em Gematria é HaTeva [a Natureza], onde o homem se comporta de acordo com a natureza que Ele incutiu nos sistemas do céu e da terra corpóreos, e ele mantém essas regras como faz o resto dos seres corpóreos. No entanto, ele também acredita em HaVaYaH, ou seja, na Providência privada.

Com isso, ele os une, e “eles se tornam como um em sua mão”, e, com isso, ele traz grande satisfação ao seu Criador e traz iluminação a todos os mundos.

É como um cavalo e seu cavaleiro que se aderem numa conexão inseparável, de modo que o cavalo adivinha com antecedência e se move de acordo com o desejo do cavaleiro. É assim que uma pessoa quer se sentir, que todos os seus movimentos internos são dirigidos pelo poder superior.

A pessoa sente a resistência interna de seu desejo, mas ainda está feliz com essa resistência. Isso ocorre porque, assim, ela tem a possibilidade de ascender acima desta resistência. Se ela se volta aos mesmos movimentos onde seria como uma sombra ao Criador, obedecendo de forma feliz e agradável a Sua orientação, mesmo que isso fosse o oposto de seu desejo, com isso ela se corrige e dá satisfação ao Criador.

A força da sua adesão é medida através disso: o quanto suas ações estão ajustadas com precisão? As ações da pessoa são acomodadas ao Criador precisamente no movimento e no ritmo. Desta forma, a pessoa alcança o Criador e está ciente de Sua providência e orientação ao longo de toda a criação.

Da 1ª parte da Lição Diária de Cabalá 15/05/14, Escritos de Baal HaSulam

Comente