Previsão Econômica Mundial

Dr. Michael LaitmanOpinião (M. Khazin): “Durante 2014, o crescimento do PIB norte-americano foi divulgado; no entanto, ele foi exagerado.

“Para que um crescimento econômico seja estável e de longa duração, é necessário que a demanda do produto final (demanda das famílias) comece a aumentar. No entanto, essas despesas continuam a declinar.

“Todas as esperanças para parar a crise são em vão, e em 2015, a bolha do mercado de ações dos EUA entrará em colapso. A crise vai começar exatamente como em setembro de 2008, com uma queda acentuada dafonte de dados de estoque, e a estabilidade do sistema bancário vai se tornar questionável, cujos ativos vão desvalorizar fortemente, enquanto os passivos (obrigações) permanecerão.

“Outras opções:

  1. O EI vai derrubar o regime saudita e começará uma ‘campanha sunita’ conjunta contra Israel. Um duro golpe para as famílias, o setor real, e o papel do dólar vai subir acentuadamente. Os EUA vão entrar num estado de caos social e político.
  2. Os EUA e todo o sistema bancário mundial vão à falência, e não haverá nenhuma ajuda de qualquer lugar.
  3. A elite financeira vai começar uma emissão em massa de dólar, a fim de salvar o sistema financeiro. A principal consequência para a economia será a ruína das empresas.

“A destruição da OMC vai ser um duro golpe para a União Europeia, China, Japão e Coréia, que vendem muitos produtos de alta tecnologia nos EUA. Hoje, elitistas pró-americanos estão no poder nesses países. A destruição da principal fonte de renda associada com os EUA e o dólar vai causar uma devastadora desmontagem inter-elite.

“Contra-elitistas, apressando-se em seus escritórios, se concentrarão na independência nacional que se estenderá ao nacionalismo e anti-americanismo. Estes processos irão definir o rumo dos acontecimentos mais do que a crise econômica atual.

“A elite financeira não pode aceitar a responsabilidade pela crise, por isso vai criar uma ‘força maior’, utilizando o Islã nos países desenvolvidos e Oriente Médio.

“Há três abordagens para a ordem mundial: satisfatória, pouco satisfatória (que necessita de reforma), e insatisfatória (deve ser completamente destruída). O Islã político hoje não aceita compromissos e está pronto para lutar até o fim pela destruição da atual ordem mundial, na ausência de um programa positivo.

“Ao mesmo tempo, a crise econômica global aumenta os anseios do povo por justiça, especialmente aqueles que têm sofrido com a crise. E verifica-se que a única força hoje que oferece algo para o mundo é um Islã político. Portanto, em 2015, estamos à espera de um aumento dramático na influência do Islã político em todo o mundo, principalmente no Oriente Médio e na União Europeia”.

Meu Comentário: A imagem é incompleta porque o autor não leva em conta a finalidade do desenvolvimento humano, o aumento do nível de afinidade com o Criador no desejo de dar e amar. A natureza nos leva a um sofrimento ainda maior até que percebemos que não há escapatória e que devemos mudar a nossa natureza egoísta para uma altruísta, a fim de sobreviver.

Essa percepção depende da disseminação e masterização da Cabalá, o método de correção da nossa natureza, entre o povo de Israel, e depois em todo o mundo. Caso contrário, vamos voltar a nos encontrar novamente num período de sofrimento, e mais uma vez, ao longo das décadas, chegaremos a mesma escolha.

Comente